Siga-nos

Perfil

Expresso

O regime não morreu, mas mudou para sempre

  • 333

A consequência máxima da mudança em curso é do meu agrado: a bipolarização. Seguindo Sá Carneiro, Amaro da Costa e Pulido Valente, sempre a defendi, sempre considerei que o “arco da governação” era a prisão ideológica da direita e a garantia da superioridade do socialismo democrático.

Problema? A bipolarização devia ter chegado através de um trabalho sério à esquerda, um trabalho que reconstruísse pontes entre o PS e os seus extremos. É por isso o Livre era um projecto sério. É por isso que as movimentações dos últimos dias constituem uma fraude que bloqueará por mais uma década a possibilidade de uma verdadeira coligação à esquerda; esta fictícia “maioria de esquerda” de Costa, Jerónimo e Martins cairá depois de alguns meses, deixando ainda mais cicatrizes na relação entre esquerdas.

Para continuar a ler o artigo, clique AQUI