Siga-nos

Perfil

Expresso

Centeno: a cobardia de Passos e Portas

  • 333

Não gosto da indústria dos debates. Nas hermenêuticas, semióticas e macumbas que se seguem a cada confronto, a forma vence sempre a substância, porque a maioria das pessoas vê o debate político como um sucedâneo geriátrico da rixa escolar. Nunca irei esquecer 2009: Manuela Ferreira Leite passou o debate a tentar falar da realidade (a dívida), mas o complexo mediático das televisões declarou José Sócrates como o grande vencedor do debate – dois anos depois a troika aterrou na Portela. Portanto, não me peçam para participar no coro pós-debates.

Para continuar a ler o artigo, clique AQUI