Siga-nos

Perfil

Expresso

Não devíamos mostrar a foto do menino morto

  • 333

Se os europeus necessitam da foto de uma criança afogada à beira-mar para prestar atenção a um problema que dura há anos, então estamos pior do que pensávamos, estamos mais embrutecidos do que julgávamos. E, já agora, estamos mais embrutecidos porque - precisamente - passamos a vida à procura de motivos de indignação ou comoção; numa rotina que se repete dia após dia, partilhamos fotos e vídeos (do facebook até às televisões) que têm como objectivo despertar emoções xaroposas e não discussões racionais. Como dizia Thatcher, as pessoas hoje em dia não querem pensar, só querem sentir. É como se existisse uma imoralidade intrínseca num pensamento realista que filtra e civiliza as comoções. É como se a primeira e mais básica emoção tivesse o monopólio da moral.

Para continuar a ler o artigo, clique AQUI