Siga-nos

Perfil

Expresso

Regresso a 2011?

  • 333

Desejo que não se confirmem os cenários a seguir apresentados. Infelizmente são cada vez mais prováveis. A janela temporal entre a entrada em funções de um novo Governo e a caducidade dos diplomas de contenção orçamental, a 31 de dezembro de 2015 – cortes de salários da função pública; sobretaxa de IRS; congelamento de pensões e CES – é cada vez mais estreita.

Apesar de a Coligação ter dito, na carta de resposta às perguntas do Partido Socialista sobre o cenário macro - económico, que ainda tem esperança na aprovação do Orçamento do Estado de 2016 a tempo de repor estas medidas, o risco de entrar em vigor o regime dos duodécimos a partir de dia 1 de janeiro é cada vez maior.

Nesse momento, uma vez que os referidos diplomas são temporários por natureza, o acréscimo de défice automaticamente projetado até ao fim de 2016 é de cerca de 2 mil milhões de euros. Se nada fosse feito, só por causa deste automatismo o défice provável no final do ano seria novamente de cerca de 5 por cento do PIB.

Para continuar a ler o artigo, clique AQUI