Siga-nos

Perfil

Expresso

Coluna de alterne

Sócrates escreveu o livro, disso não duvido

  • 333

Andam para aí a dizer que não foi José Sócrates quem escreveu o livro 'A confiança no Mundo'. A Coluna de Alterne, sempre com uma visão arguta, apurada e atenta do que se passa em Portugal pode testemunhar que tal é falso. Foi mesmo Sócrates quem escreveu o livro. O que falta revelar é quem o reviu. Mas também podemos afirmar: fui eu, o Comendador!

Vexa, senhor Comendador!? Já estou a ver os espíritos mais desconfiados a interrogar e exclamar ao mesmo tempo! Mas não foi Vexa que teve uma pega com o engenheiro a propósito de Kant e desse livro, tendo até Sócrates saído por cima, na opinião dele e dos seus apoiantes?

Rio-me... Acreditam em tudo! É como no futebol, não percebem que tudo está combinado desde o início. Vamos por partes (como dizia o esquartejador) que eu conto tudo.

O Sócrates andava pela Sorbonne meio perdido sem saber o que fazer. Eu encontrei-o e tivemos uma saudável troca de palavras. Daí nasceu a ideia de ele escrever um livro. Mas ele, modesto como todos sabem que é, disse-me ter medo de falhar algum conceito, daqueles mais complicados. Foi então que eu lhe disse:

- Não tenhas problemas, eu revejo-te a obra!

Ele achou a ideia ótima e assim nos despedimos. Mais tarde, ligou-me para o telemóvel a perguntar se não seria possível eu rever a obra antes de ela estar escrita. Confesso que achei o pedido estranho, mas ele desarmou-me:

- Poupava-se tempo e trabalho!

E foi assim que revi 'A Confiança no Mundo' mesmo antes de ele escrever tal livro. Enviei-lhe a revisão devidamente feita e ele mandou tudo para a tipografia.

No entanto fiquei sempre a pensar na ideia de rever algo antes de esse algo estar iniciado. Não poderia, tal ato, ser considerado menos próprio? Para precaver qualquer suspeita sobre mim, fiz uma crítica ao livro, à qual Sócrates, por meu intermédio, respondeu. Daí nasceu uma polémica acerca de Kant entre o revisor do seu livro, que era eu, e eu próprio da qual se saiu muito bem o engenheiro Sócrates (que, apesar de tudo, não deu pelas armadilhas que lá estão acerca da polémica com Benjamin Constant).

Não percebo, pois, como pode vir agora o Tribunal da Relação e o semanário 'Sol' (que têm vários pontos em comum) dizer que não foi Sócrates a escrever o livro. Eu sei que eles suspeitam de um professor Catedrático da geração de Sócrates, o que me excluiu, e essa parte intriga-me. Não a posso esclarecer cabalmente, uma vez que nunca li o livro que revi. Será que ele pediu a outra pessoa que lho revisse ou o escrevesse por ele? Será que o 'O Sol' está a inventar? Será que o Tribunal está equivocado? Enfim, tudo isto é muito confuso...

Acho que vou pedir conselho àquele professor de Sócrates que foi processado pela advogada do amigo de Sócrates por ter pressionado, via mulher do amigo, o amigo a mudar o depoimento. Isto, claro, no caso de ser verdade, porque até eu, confesso, já não percebo nada.

Mas digo, alto e bom som, uma verdade dura como punhos: se Sócrates não tem confiança no mundo, ninguém pode ter.

Porque todo o mundo é dele...