Siga-nos

Perfil

Expresso

Coluna de alterne

Há sempre algo neo-novo neste país

A Coluna de Alterne pôs-se à procura de novidades e encontrou. O Governo tem sempre algo novo para nos oferecer e um dos seus mais apegados propagandistas é o líder da bancada socialista, Ferro Rodrigues. É claro que também pode não ser nada disto, mas como dizia Salazar - que não é para aqui chamado - "em política o que parece é!"

No último debate quinzenal no Parlamento, Ferro Rodrigues disse o seguinte: "A estratégia neoliberal com que o Governo começou o seu mandato morreu". E isto, já se sabe, estratégia morta, estratégia posta, pelo que o parlamentar continuou: "Estão a passar para uma estratégia neopopulista".

Felizmente há sempre algo de novo. Não era liberal, mas neoliberal e não é populista, mas neopopulista. Digamos que a linha oposicionista do PS é neosarcástica e tem uma lógica que poderia ser considerada neologicista. A neointervenção, foi porém no sentido de se saber se Passos falava de mexilhão ou de lagosta, porque Passos, num neodiscurso que tinha feito numas neo-instalações avisara que, em Portugal, ao contrário de outros países quem se lixou não foi o mexilhão.

A neopolémica entre os dois políticos (ambos arqueopolíticos) foi depois para outros caminhos, nomeadamente da neo-empregabildiade que como se sabe é assegurada pelo próprio Governo, numa neo-ideia que veio de um neo-ministro. Só que o PS é contra que seja o Governo a criar postos de trabalho porque acha, numa neoguinada, que os postos de trabalho devem ser criados com a ajuda do Governo.

Aquilo acabou bem e cada um foi para sua casa devidamente aprumado e com o sentido do dever cumprido. Penso ser claro que nem mexilhões, nem lagostas, nem mesmo desempregados foram fisicamente maltratados no decurso deste debate quinzenal.