Siga-nos

Perfil

Expresso

Sondagem à boca (ou ao pé) das urnas

  • 333

A Coluna de Alterne, pretendendo, alternativamente a toda a Comunicação Social de hoje, falar de política e de eleições, alojou o seu servidor no Tuvalu e decidiu entrevistar o conhecido prof. John Pal Erma, comentador político das noites de quinta-feira na TV Rural. O que ele nos diz, como é próprio de um rural, é de extraordinário bom senso. Aqui fica:

Professor, já tem sondagens à boca da urna?

- Na verdade, não tenho à boca da urna, apenas ao pé da urna.

- Certo, e que nos dizem elas? Quem ganhará as eleições?

- Uma coisa curiosa é que vai ganhar as eleições quem tiver mais votos, mas isso não quer dizer nada, porque costuma ser assim, acho eu…

- E será com maioria absoluta?

- Dentro dos parâmetros da própria maioria sim. Ou seja, não haverá maioria de um só partido ou coligação superior à maioria que o partido ou coligação que ganha tiver.

- Não é isso. A pergunta é se os deputados eleitos pelos vencedores terão mais de metade da câmara.

- Depende da Câmara. Se for da Câmara do Porto, não. Mas se for a de outro local qualquer pode ser que sim.

- Quero dizer da Assembleia da República, do Parlamento!

- Mas não é para isso que são as eleições?

- Claro! Por isso lhe faço esta pergunta.

- O pé da urna não responde. Há coisas em que o pé da mesa é muito renitente…

- O pé da urna?

- Sim, eu não lhe disse que tinha uma sondagem ao pé das urnas?

- Certo, mas isso não lhe dá indicações?

- Só se for uma urna de pé de galo, o que é raro existir. Nessas ganha a União Nacional ou o Partido Republicano. É tudo gente morta, percebe?

- Não. Não percebo. Parece-me que esta conversa não tem sentido nenhum…

- E vai dizer que a culpa é minha? Eu já lhe disse que ganha quem tiver mais votos, se quiser saber quem é, conte os votos quando eles esvaziaram aquilo lá para as sete ou oito horas.

- Nesse caso de que vale a sua sondagem à boca das urnas?

- Eu não faço sondagens à boca – isso é para os dentistas. Faço sondagens ao pé das urnas. A ver se estão sólidas. Sou uma espécie de podólogo ou podiatra das urnas.

- Nesse caso não sabe quem vai ganhar?

- Sei! Já lhe disse! É quem tiver mais votos. Pelo menos, dantes era assim, agora podem ter mudado as regras, mas não me disseram nada.

- Bem, vá lá fazer comentários para a TV Rural…

- Olhe são mais fáceis. Quando falo do pé de salsa ou do pé de couves ninguém se põe a perguntar quem vai ganhar. Até parece que isso é importante… Por acaso, deixe-me perguntar-lhe uma coisa: Acha importante?

- Claro que é, decide o futuro do país!

- O pé de salsa??? Por essa é que não esperava!