Siga-nos

Perfil

Expresso

Aqui na China não se passou nada!

  • 333

A Coluna de Alterne não vai em cantigas da Imprensa ocidental, de modo que foi às fontes credíveis – à Imprensa chinesa. Da leitura atenta dos periódicos do Império do Meio, da audição e visão atenta dos seus programas de rádio e de televisão, chega-se à conclusão de que nada se passou na Bolsa de Xangai. Depois de falar com Xi Jiping, o meu amigo presidente da República Popular, reforcei essa ideia

A conversa que decorreu com Xi foi esclarecedora. “Aqui na China não se passou nada!”, disse ele. E eu, ainda incrédulo, perguntei: mas a Bolsa de Xangai não andou a cair a semana quase toda, levando a uma série de interrogações e dúvidas sobre a solidez da economia chinesa?

Onde leste isso? Perguntou Xi um pouco irritado. Eu respondi que tinha lido na Imprensa de todo o mundo.

Ah! Gritou ele. Na Imprensa capitalista e imperialista; americana, inglesa, francesa… ao que eu acrescentei e espanhola, italiana, portuguesa e alemã… Bem disse, o Xi, na Imprensa chinesa não se encontra uma única informação sobre tal acontecimento. Podes constatar, vou-te enviar os exemplares dos principais jornais e as gravações das notícias da TV e das rádios e verás. Sabes chinês? Perguntou ainda. Claro, respondi, quem não sabe? Anda tudo a aprender chinês em Portugal. Porquê? Perguntou o Xi. Porque querem aprender antes que vocês lhes ensinem… Xi não percebeu a piada e despachou-me.

Li os jornais e ouvi as gravações e, de facto, nem uma notícia sobre a Bolsa de Xangai encontrei. Achei estranho porque os jornais ocidentais não falavam de outra coisa. Liguei ao Xi e disse-lhe que, de facto nada tinha encontrado e ele respondeu-me: Vês? E agora não vais dizer que nós aqui fazemos censura, pois não? Essa é sempre a manigância dos imperialistas, acusar-nos do que eles próprios fazem. Descansa, que continuamos como até aqui. Não se passou nada, não se passou nada.

E assim reconfortado com as palavras de Xi antevejo um futuro radioso, embora percorrendo uma estrada sinuosa, onde mil flores desabrocham, cem escolas rivalizam e os jornais só dizem o que devem dizer e não vêm com más notícias que só nos trazem angústias, stresse e preocupações.