Siga-nos

Perfil

Expresso

É a favor que me saia o euromilhões?

  • 333

A Coluna de Alterne nunca fica atrás dos seus competidores, mesmo dos mais assanhados. Por isso, mal soube que Tsipras e o Governo grego querem referendar as propostas da troika, perdão, das instituições no que diz respeito à austeridade grega, lembrou-se de umas tantas perguntas que também, aqui, no nosso cantinho, podiam ser feitas

A lista não é exaustiva, mas a verdade é que está muito calor e não convém exaurirmo-nos mais do que o recomendável. Dadas as explicações, aqui vai ela:

- É a favor dos impostos que o Estado nos leva?

- Acha que deveria haver uma diminuição de impostos?

- É a favor de queimar gatos e de os pôr amarrados a uma bilha em cima de um pau?

- É a favor que me saia o euromilhões?

- O António Costa devia ser ainda melhor do que o Carlos César o acha?

- O Miguel Relvas deve continuar doutor?

- O gin tónico devia ser mais barato?

- A imperial devia ser de borla quando a temperatura ultrapassa os 26º centígrados?

- O Passos Coelho devia perder as eleições?

- O Sampaio da Nóvoa devia concorrer sozinho às presidenciais?

- O povo grego devia ser salvo pelo super-homem?

- É a favor de contribuir com dinheiro para a Grécia?

- Está disposto a albergar um imigrante pobre em sua casa?

- Era capaz de contribuir para a melhoria da vida da viúva do soldado desconhecido?

- A dívida portuguesa devia ser perdoada por todos os credores?

- Os titulares do papel comercial do BES deviam ser ressarcidos com o seu dinheiro?

- O livro que saiu a dizer que a culpa do BES ter falido é do Governo e do Banco de Portugal devia entrar nos tops das livrarias?

- Está disposto a ajudar o dr. Ricardo Salgado?

- A vida está cara?

- Os feriados deviam ser repostos?

- As férias deviam ter mais dois meses?

São perguntas assim, de resposta difícil, que se espera dos referendos. Nisso, há que reconhecer, os gregos apontam-nos o caminho. Devemos recusar a demagogia e ser democratas a sério. É perguntar ao povo se quer mais austeridade ou não. Se o povo dizer que sim, tem mais austeridade, se disser que não, tem mais austeridade à mesma, provavelmente pior, mas pronunciou-se. É como a pergunta do Euromilhões. Eu sou a favor que me saia a mim. Mas não creio que só por isso ele me acabe por sair.