Siga-nos

Perfil

Expresso

Bruno e Jesus, o amor ardente e a divisão a quente

  • 333

A Coluna de Alterne, sempre informada e documentada, descobriu que já o patrono do Bruno de Carvalho, o velho São Bruno, se entregava ardentemente a Jesus, ao mesmo tempo que Jesus prometera colocar uns contra os outros dentro da mesma casa. Ora lede:

Andai incréus, ide ver à Wikipédia quem é Bruno, o que ele fez e por que o fez. E vede como estava escrito, já há mil anos, que o seu amor por Jesus seria deveras o propósito da sua obra. Eu sei que desconfiais e que pensais que eu passo a vida a mentir-vos, mas aqui tendes o que lá está escrito:

Bruno de Colónia; (Colónia, 1030 ou 1035 - Serra San Bruno, 6 de outubro de 1101) foi um monge alemão, fundador da Ordem dos Cartuxos, proclamado santo pela Igreja Católica. A Ordem dos Cartuxos é considerada a mais rígida (vedes? Digo eu) de todas as ordens religiosas da Igreja, e atravessou a história sem quaisquer reformas (ora aí está, ainda não é reformado, ao contrário dos outros presidentes do Sporting).

Nascido de família nobre, em 1035. Sacerdote amigo e admirado pelo Arcebispo de Reims. Inteligente e piedoso (o despedimento do Marco não dá a entender essa piedade, mas adiante), começou a dar aulas na escola da Catedral de Reims, até que já cinquentenário e cónego amadureceu a inspiração de servir a uma Ordem religiosa.

Após curto estágio num mosteiro beneditino, retirou-se a uma região chamada Cartuxa. Assim, São Bruno começou sua obra a partir do coração quente de amor por Jesus.

Aqui vedes, pois, que o coração quente de Bruno por Jesus é coisa antiga. E como escreveu Camões, já mais de 500 anos depois, “O amor é um fogo que arde sem se ver”, também discretamente Bruno se aproximou de Jesus até o levar a ocupar o cargo de treinador.

Eu penso que Jesus devia estar muito ferido por ser tão mal tratado em todo o lado. Daí que Bruno, ao dar-lhe a mão e a sarar-lhe o ego (ou seja o eu dele) foi o bom samaritano. É certo que não tinha dinheiro, mas como era de famílias nobres arranjou-o com um sobrinho qualquer e sabe-se lá com quem mais.

O que interessa é que, como se diz na missa, Jesus uniu os sportinguistas e agora está no meio deles. Ou então, como vem na Bíblia, Jesus dividiu os sportinguistas e veio semear a dissensão: “Julgais que Eu vim estabelecer a paz na Terra? Não, Eu vo-lo digo, mas antes a divisão. Porque, daqui por diante, estarão cinco divididos numa só casa: três contra dois e dois contra três” (Lucas 12:51,52)

Na verdade, o que interessa, como diria o padre da minha aldeia, é que tudo isto estava escrito lá em cima. Não há nada a fazer, senão aguentar. 

É a vida!

São Bruno em êxtase por Jesus

São Bruno em êxtase por Jesus