74
Anterior
Défice dentro do limite da troika
Seguinte
Receita fiscal desce 3,1%
Página Inicial   >  Economia  >   Biliões escondidos em paraísos fiscais

Biliões escondidos em paraísos fiscais

Os mais ricos do mundo têm fortunas depositadas em paraísos fiscais, que podem representar um valor idêntico aos PIB norte-americano e japonês juntos, revela relatório da ONG Tax Justice Network.
agências e Tax Justice Network |
Ilhas Caimão, um dos mais conhecidos paraísos fiscais
Ilhas Caimão, um dos mais conhecidos paraísos fiscais / Getty Images

A riqueza privada depositada em paraísos fiscais como a Suíça e as Ilhas Caimão é de pelo menos 21 biliões de dólares (17,7 biliões de euros). Segundo dados ontem divulgados pela Tax Justice Network - organização não governamental de defesa da transparência fiscal -, o dinheiro não declarado, escondido em contas offshores, é equivalente ao produto interno bruto (PIB) norte-americano somado ao japonês.

Os chineses, russos, coreanos e brasileiros, por esta ordem, são os que mais remetem dinheiro para países onde não se pagam impostos. Os africanos, mexicanos, argentinos e venezuelanos também aparecem com destaque no relatório.

São os grandes bancos privados, como a UBS, o Credit Suisse e Goldman Sachs à cabeça, além de outras instituições como o Bank of America, JP Morgan e Citybank, quem trata desta fuga de capitais.

O estudo "The Price of offshore Revisited" - encomendado pela Tax Justice Network a James Henry, consultor e antigo economista-chefe da empresa McKinsey, é o mais completo e rigoroso mapeamento da aplicação de dinheiro em paraísos fiscais - ou seja, não declarada nos países de origem -, até hoje feito.

James Henry reuniu dados do Banco de Compensações Internacionais (BIS), do Fundo Monetário Internacional (FMI), do Banco Mundial (BM), ONU, bancos centrais  e informações prestadas pelos governos de cada país, cruzando-os  com dados acerca da procura de reservas em moeda e ouro, e, ainda, dados de várias consultoras sobre o setor do private banking com offshores.

"Buraco negro" na economia mundial


O autor do relatório diz que, tendo em contra um universo de mais de 139 países e dez milhões de investidores (os donos destas fortunas), a soma de recursos nos paraísos fiscais varia entre 17 biliões de euros - uma estimativa mais conservadora - a 26,3 biliões. 

De acordo com o site "Esquerda.net", caso "esse dinheiro rendesse 3% de juro anual e o rendimento desses juros fosse taxado a 30%, a receita para os cofres públicos alcançaria até 230 mil milhões de euros num ano, ou seja, cerca do triplo do valor do empréstimo da troika a Portugal. Isto sem contar com outras taxas sobre mais-valias financeiras ou heranças que fariam a receita fiscal subir muito mais".  

Segundo James Henry, a desigualdade no mundo é, certamente, muito maior do que a estimada, uma vez que os estudos sobre o tema não levam em conta tais valores. Os 100.000 mais ricos do mundo detêm sozinhos 8 biliões de euros em offshores.

O autor do estudo responsabiliza o FMI, Banco Mundial, OCDE e G20 por nada terem feito para controlar esta fuga, apesar de saberem de grande parte desta informação agora disponível.

"Estes ativos estão protegidos por um grupo de facilitadores profissionais, altamente pagos e diligentes, na banca privada e nos setores do direito, da contabilidade e dos veículos de investimento, que se aproveitam de uma economia global com cada vez menos fronteiras", disse James Henry.

De acordo com o diretor da Tax Justicce Network, John Christensen, os bancos que tratam da fuga de capitais agem, principalmente, abordando sobretudo os milionários dos países exportadores de riquezas minerais, como os africanos. Além de o dinheiro não ser declarado nos países de origem e nos paraísos fiscais, o governo norte-americano, de onde provém a maioria destes bancos, também não compartilha informações tributárias.

"Este relatório centra as atenções num gigantesco "buraco negro" na economia mundial que nunca tinha sido medido. isto é, a riqueza privada colocada nos offshores e a enorme quantia de rendimento não taxado que ela produz. Isto, numa altura em que os governos de todo o mundo estão famintos de recursos, e estamos mais conscientes que nunca acerca dos custos da desigualdade económica", afirma James Henry.

 

 


Opinião


Multimédia

Desaparecidos para sempre no Mar do Norte

O dia 15 de novembro já foi feriado, há 90 anos. A razão foi o desaparecimento de Sacadura Cabral algures no Mar do Norte. Depois de fazer mais de oito mil quilómetros de Lisboa ao Rio de Janeiro, o aviador pioneiro não conseguiu completar o voo entre a cidade holandesa de Amesterdão e a capital portuguesa. Ainda hoje, não se sabe o que aconteceu ao companheiro de Gago Coutinho e tio-avô de Paulo Portas, a quem o Expresso pediu um sms.

Os muros do mundo

Novembro relembrou-nos os muros que caem, mas também os que permanecem e os que se expandem. Berlim aproximou-se de si própria há 25 anos, mas há muros que continuam a desaproximar. Esta é a história de sete deles - diferentes, imprevisíveis, estranhos.

Tudo o que precisa de saber sobre o ébola. Em dois minutos

Porque é que este está a ser o pior surto da história? Como é que os primeiros sintomas se confundem com os de outras doenças? É possível viajar depois de ter contraído o vírus, sem transmitir a doença? E estamos ou não perto de ter uma vacina? O Expresso procurou as respostas a estas e outras dúvidas sobre o ébola.

A última viagem do navio indesejado

Construído nos Estaleiros de Viana e pensado para fazer a ligação entre ilhas nos Açores, o Atlântida foi recusado pelo Governo Regional por alegadamente não atingir a velocidade pretendida. Contando com os custos associados à dissolução do contrato, o prejuízo ascendeu a 70 milhões de euros. Foi agora comprado a "preço de saldo", para mudar de nome e ser reconvertido num cruzeiro na Amazónia. Fizemos a última viagem do Atlântida e vamos mostrar-lhe os segredos do navio.

O papa-medalhas que veio do espaço

O atleta português mais medalhado de sempre, Francisco Vicente, regressou dos campeonatos europeus de veteranos, na Turquia, com novas lembranças ao pescoço. Três de ouro e duas de prata para juntar à coleção. Tem 81 medalhas, uma por cada ano de vida.

Terror religioso está a aumentar

Relatório sobre a Liberdade Religiosa é divulgado esta terça-feira em todo o mundo. Dos 196 países analisados, só em 80 não há indícios de perseguições motivadas pela fé.

Vai pagar mais ou menos IRS? Veja as simulações

Reforma do imposto protege quem tem dependentes a cargo, mas pode penalizar os restantes contribuintes. Função pública e pensionistas vão ter mais dinheiro disponível. Veja simulações para vários casos.

Tem três minutinhos? Vamos explicar-lhe o que muda no orçamento de 350 mil portugueses (e no de muitas empresas)

O novo salário mínimo entrou em vigor. São mais €20 brutos para cerca de 350 mil portugueses (números do Ministério da Segurança Social, porque os sindicatos falam em 500 mil trabalhadores). Mudou o valor, mas também os descontos que as empresas fazem para a Segurança Social. Porque se trata de uma medida que afeta a vida de muitos portugueses, queremos explicar o que se perde e o que se ganha, o que se altera e o que se mantém.

Music fighter: temos Marco Paulo e Bruno Nogueira numa batalha épica

Está preparado para um dos encontros mais improváveis na história da música portuguesa? O humorista Bruno Nogueira e a cantora Manuela Azevedo, dos Clã, pegaram em várias músicas consideradas "pimba" - daquelas que ninguém admite ouvir mas que, no fundo, todos vão dançar assim que começam a tocar - e deram-lhe novos arranjos, num projeto que chegou aos coliseus de Lisboa e do Porto.  "Ninguém, ninguém", de Marco Paulo, tem possivelmente a introdução mais acelerada e frenética do panorama musical português. Mas, no frente-a-frente, quem é o mais rápido? Vai um tira-teimas à antiga?

Dez verdades assustadoras sobre filmes de terror

Este vídeo é como o monstro de "Frankenstein": ganhou vida graças à colagem de partes de alguns dos filmes mais aterrorizantes de sempre. Com uma ratazana mutante e os organizadores do festival de cinema de terror MotelX pelo meio. O Expresso foi à procura das razões que explicam o fascínio pelo terror, com muito sangue (feito de corante alimentar) à mistura. 

A paixão do vinil

Se para muitos o vinil é apenas uma moda que faz parte da cultura do revivalismo vintage, para outros ver o disco girar nunca deixou de ser algo habitual.

Portugal foi herdado, comprado ou conquistado?

Era agosto em Lisboa e, às portas de Alcântara, milhares de homens lutavam por dois reis, participando numa batalha decisiva para os espanhóis e ainda hoje maldita. Aconteceu em agosto de 1580. Mais de 400 anos depois, o Expresso deu-lhe vida, fazendo uma reconstituição do confronto através do recorte e animação digital de uma gravura anónima da época.

O Maradona dos bancos centrais

Dizer que Mario Draghi está a ser uma espécie de Maradona dos bancos centrais pode parecer estranho. Mas não é exagerado. Os jornalistas João Silvestre e Jorge Nascimento Rodrigues explicaram porquê num conjunto de artigos publicado no Expresso em Novembro de 2013 e que venceu em junho deste ano o prémio de jornalismo económico do Santander e da Universidade Nova. O trabalho observa ainda o desempenho de Ben Bernanke no combate à crise, revisita a situação em Portugal e arrisca um ranking dos 25 principais governadores de bancos centrais. Republicamos os artigos num formato especial desenvolvido para a web.

Com Deus na alma e o diabo no corpo

Quem os vê de fora pode pensar que estão possuídos. Eles preferem sublinhar o lado espiritual e terapêutico desta dança - chamam-lhe "krump" e nasceu nos bairros pobres dos Estados Unidos. De Los Angeles para Chelas, em Lisboa, já ajudou a tirar jovens do crime. Ligue o som bem alto e entre com o Expresso no bairro. E faça o teste: veja se consegue ficar quieto.

O Cabo da Roca depois da tragédia que matou casal polaco

Os turistas portugueses e estrangeiros que visitam o Cabo da Roca, em Sintra, continuam a desafiar a vida nas falésias, mesmo depois da tragédia que resultou na morte de um casal polaco, cujos filhos menores estavam também no local. Durante a visita do Expresso, um segurança tentou alertar os turistas para o perigo e refere a morte do casal polaco. O apelo não teve grande efeito. Veja as imagens.

Ó Capitão! meu Capitão! ergue-te e ouve os sinos

Ele foi a nossa ama... desajeitada. Ele foi o professor que nos inspirou no liceu. Ele trouxe alegria, mesmo nas alturas mais difíceis. Ele indicou-nos o caminho na faculdade. Ele ensinou-nos a manter a postura, mas também a quebrar preconceitos. Ele ensinou-nos que a vida é para ser aproveitada a cada instante. Ó capitão, meu capitão, crescemos contigo e vamos ter de envelhecer sem ti. 


Comentários 74 Comentar
ordenar por:
mais votados
Uma medida importante para contrabalançar a fuga
dos capitais para os paraísos fiscais seria a obrigatoriedade de todass as grandes empresas passarem para esses paraísos a s suas sedes fiscais e aumentarem os vencimentos e regalias dos seus administradores. E muito importanyte as empresas a privatizar dentro de 2 anois (periodo legal) admitirem para altos cargos os ministros responsáveis por essas privatizações bem como os legisladores do sistema. O povo ficaria feliz e contenye.
Nota: Post/past
veja la se alguem pergunta..
Re: veja la se alguem pergunta..
Re: veja la se alguem pergunta..
Re: veja la se alguem pergunta..
Re: veja la se alguem pergunta..
Re: veja la se alguem pergunta..
peço desculpa
Re: peço desculpa
Re: peço desculpa
Quanto da nossa oligarquia tem dinheiro

Quantos da nossa oligarquia têm dinheiro nesses paraísos fiscais?

Na Suíça e nas Ilhas Caimão?

Quantos são ? Quantos têm poupanças surrupiadas à nação portuguesa?

Eu conheço um... O Duarte Lima... Alguém conhece mais algum... Da tribo do Duarte Lima?
Re: Quanto da nossa oligarquia tem dinheiro
Re: Quanto da nossa oligarquia tem dinheiro
Re: Quanto da nossa oligarquia tem dinheiro
Re: Quanto da nossa oligarquia tem dinheiro
muito menos pedofilos na clandistinidade
Revolution worldwide!
O capitalismo ão se regenera. Nada fará para resolver a crise que ele próprio criou para abocanhar as riquezas do mundo sugando o sangue a todos os assalariados deste mundo.
Antes ainda foram permitindo a existência duma classe média e média baixa, por via disso foram fomentando divisões, elitismos, luta entre assalariados distinguindo os de colarinho colocando-os do seu lado contra os outros.
Agora está a destruir aqueles que eram seus aliados contra a classe operária, porque já não precisa deles.
A humanidade está encurralada num bêco sem saída. A única solução é a união de todos aqueles que não vivem da agiotagem, da especulação financeira, que não parasitam a humanidade. É a união de todos os profissionais que deve tomar as redeas do poder político e modificar radicalmente o regime.
Impor a criminalização das decisões políticas danosas para o Estado e meter efectivamente na cadeia aqueles que transgridem
Há trabalho para toda a gente, o que é preciso é dividi-lo por todos trabalhando muito menos horas e não deixar que a riqueza caia nas mãos do parasitas que até aqui vivem à custa dos rendimentos do trabalho dos outros.
Só com mudanças radicais do regime capitalista linertário se recupera a dignidade e o direito de todos ao pão.
Re: Revolution worldwide!
Re: Revolution worldwide!
Re: Revolution worldwide!
Re: Revolution worldwide!
Re: Revolution worldwide!
Escondidos ò meu?


Boa piada!
não esquecer
Parte desse dinheiro é usado para financiar os que defendem a doutrina da redução salarial e do empobrecimento da população como fator de competitividade.
lol
esta notícia é um bocado idiota... falam deste assunto como se isto fosse uma grande novidade. quando sabemos perfeitamente que isto acontece.

o mais idiota de tudo é quando no segundo parágrafo depopis de ""Buraco negro" na economia mundial" fazem aqueles cálculos... por ser verdade o que aí está escrito, é que eles escondem o dinheiro em paraísos fiscaís. para não terem de pagar esses impostos. lol

por último, colam o pagamento desses impostos à imagem de portugal dizendo: "...a receita para os cofres públicos alcançaria até 230 mil milhões de euros num ano, ou seja, cerca do triplo do valor do empréstimo da troika a Portugal..." ora, mas esse dinheiro, não é português... é chinês, russo, coreano e brasileiro, como diz no segundo parágrafo do texto, ou seja, o estado português nunca ganharia nada com isso.

claro, não quer dizer com concorde com isto, mas infelizmente isto existe, podiam era não fazer notícias tão idiotas. lol
Re: lol
Re: lol
Re: lol
Re: lol
Re: lol
Re: lol
Re: lol
Re: lol
Re: lol
Re: lol
Biliões de euros, tintos de sangue!
Este dinheiro não foi fruto de trabalho mas de roubo feito por capitalistas porcos, com a protecção dos respectivos governos.
Só quando esta cambada desaparecer do cimo da terra a humanidades será feliz!
Re: Biliões de euros, tintos de sangue!
Re: Biliões de euros, tintos de sangue!
Re: Biliões de euros, tintos de sangue!
Re: Biliões de euros, tintos de sangue!
O DINHEIRO EXISTE
Está é mal distribuido e deslocalizado.....
Mas além de dinheiro é necessário riqueza, democracia e susentabilidade do planeta.
Mas ...
Para quando uma "Al kaeda " para limpar o mundo destes parazitas !???
Percebem agora??
É pena que estas noticias sejam abafadas e escondidas da comunicação social.EU TENHO SIDO INSULTADO POR DIZER QUE HÁ DINHEIRO A MAIS,MAS QUE DEIXOU DE ESTAR NAS MÃOS DOS PAÍSES,PARA ESTAR NAS MÃOS DE MEIA DÚZIA (MESMO) DE PESSOAS,QUE FORAM COMPRANDO O MUNDO,APROVEITANDO A GANÂNCIA E CORRUPÇÃO DE ALGUNS GOVERNANTES...(OU PORQUE ERA MODA DE UM LIBERALISMO SALOIO...)
Um notícia que não vai ser comentada por:
galinhadois, ondinhas, Odisseia Nazi, runaldinho, e outros sonsos "democráticos" fieis aos ultras criminosos do FMI/ Goldman Sachs/ BPN!
Re: Um notícia que não vai ser comentada por:
Re: Um notícia que não vai ser comentada por:
Re: Um notícia que não vai ser comentada por:
Re: Um notícia que não vai ser comentada por:
Re: Um notícia que não vai ser comentada por:
Re: Um notícia que não vai ser comentada por:
São biliões
É claro que são biliões honestissimos ! São biliões que têm de se proteger da perfídia dos povos e dos Estados, por isso honestamente se escondem em offshores !
Será que nunca mais aprendem a fazer contas ?
Irra, que nunca mais aprendem.

Já vi esta notícia dada com 3 valores diferentes:
a) 17 millhões de milhões de USD (SIC)
b) 17 milhões de USD (calinada da jornalista ao ler o valor)
c) 17 biliões de USD (calinada do EXPRESSO)

Como se 17 míseros biliões de USD fosse a soma de USD + Japão.
Só nós, plintras, pedimos 80 biliões !!!

Vamos lá a ver se nos entendemos.
Na EUROPA, bilião significa 1 milhão x milhão = 1.000.000.000.000 ou long_scale
Nos US bilião é tido como 1 milhar de milhões = 1.000.000.000 embora também se possam referir ao billion (large_scale)

Há que ter uma noção daquilo que se está a falar. Neste caso PIB dos USA + JAPAO é o bilião (large_scale en.wikipedia.org/wiki/Short_scale)

Logo o numero correcto são 17 milhões de milhões e não os míseros 17 mil milhões que não é nada a esta escala... OK ?

Também tenho direito a calinada ...
Re: Será que nunca mais aprendem a fazer contas ?
Re: Será que nunca mais aprendem a fazer contas ?
Re: Será que nunca mais aprendem a fazer contas ?
Re: Será que nunca mais aprendem a fazer contas ?
E a isto o que se chama?
www.kdo-mailing.com/redirect.asp?numlien=1276&numnews=1356&numabonneXSSCleanedXSSCl eanedXSSCleaned=62286
Re: E a isto o que se chama?
Re: E a isto o que se chama?
Re: E a isto o que se chama?
Nova Ordem Mundial
Não vejo nenhum açambarcadôr a retirar este dinheiro dos paraísos fiscais por vontade própria.
Não vejo nenhum País , Governantes, Presidentes ou Reis, a fazerem uma Cimeira - para resolver este tema - o roubo aos Países de onde os "abutres" são originários e onde obtem os lucros -muitos deles à custa dos seus concidadãos - que estão na miséria e insolvencia.

O que infelizmente vejo no horizonte próximo -são Guerras Civis - a obrigarem os Governantes a actuarem.

E, com muita mágoa - se isto não resultar - poderemos vêr - e mais grave - sofrer uma 3ª Guerra Mundial entre Países que - como sempre - só depois da destruição, da morte de inocentes, da eliminação material do Património -é que se arrependem - se ficarem vivos - de não ter actuado antes pelas primeiras vias - que são as mais correctas e a favôr da reposição da dignidade humana - igualdade de distribuição de riaqueza e sacrifícios...

Mas o Homem é mesmo o carrasco do próprio Homem - como dizia Wilhelm Reich... E eu já não acredito no no homem!
Re: Nova Ordem Mundial
Comentários 74 Comentar

Últimas


Pub