18 de abril de 2014 às 20:05
Página Inicial  ⁄  Atualidade / Arquivo   ⁄  Bélgica: com rei mas sem Governo há 249 dias

Bélgica: com rei mas sem Governo há 249 dias

Bélgica cumpre hoje 249 dias sem conseguir formar Governo, batendo um recorde mundial que até agora pertencia ao Iraque. Para registar o facto, estudantes realizam protesto "Revolução das Batatas Fritas".
Maria Luiza Rolim (www.expresso.pt)com agências
Fotomontagem das primeiras páginas das edições de hoje de jornais belgas, a assinalarem os 249 dias sem Governo Virginia Mayo/AP Fotomontagem das primeiras páginas das edições de hoje de jornais belgas, a assinalarem os 249 dias sem Governo

A Bélgica permanece sem Governo há 249 dias. É um recorde mundial, que antes pertencia ao Iraque. Curiosamente, enquanto prossegue a busca por uma alternativa governativa, o país continua a funcionar normalmente devido à organização ímpar do estado belga.

Entretanto, 30 organizações de estudantes belgas convocaram uma manifestação para esta quinta-feira, dia em que a Bélgica completa 249 dias sem Governo, como protesto contra a situação política do país.

Governo de gestão


O país está a ser governado por um Executivo provisório desde 26 de abril do ano passado, quando o rei Alberto aceitou a renúncia do primeiro-ministro Yves Leterme. Nas eleições legislativas realizadas após a renúncia de Yves Leterme, nenhuma formação conseguiu maioria suficiente para governar sozinha e, desde aquele momento, os partidos políticos não foram capazes de alcançar um acordo para a formação de um Executivo.

A Bélgica está sem Governo há 249 dias devido à falta de entendimento entre os partidos flamengos e francófonos para a formação de uma coligação e a mediação está a cargo do liberal francófono Didier Reynders. O ministro das Finanças em funções recebeu a 2 de fevereiro a missão do rei de encontrar uma solução para a situação, na sequência da demissão do último mediador, o senador socialista flamengo Johan Van de Lanotte.  

O diferendo centra-se em assuntos como a definição do distrito eleitoral da capital e periferia (Bruxelas-Halle-Vilvoorde), o financiamento de Bruxelas, a transferência de competências para as entidades federadas e respetivo financiamento.    

"Revolução das Batatas Fritas"


Para manifestar descontentamento face à situação política, cerca de três dezenas de associações estudantis organizam hoje vários atos de protesto nas principais cidades belgas.  A manifestação foi apelidada de "Revolução das Batatas Fritas", pelo facto de estas serem um ícone do país.

A "manif" visa expressar a impaciência e preocupação dos cidadãos belgas face a uma crise política que se arrasta há mais de oito meses.

O rei dos belgas, Alberto II, prolongou na quarta-feira o mandato de Didier Reynders até 1 de março para permitir aprofundar os principais pontos de discussão entre os partidos flamengos e francófonos, temas em que será necessário voltar a partir do zero para vislumbrar alguma solução.


Comentários 11 Comentar
ordenar por:
mais votados ▼
Governo de gestão, com bastante Regionalização!
Depois tudo o que li, apetece-me perguntar aos que aqui escrevem, quantos são a favor da regionalização?
A Bélgica mais do que a Espanha, também ela uma Monarquia ou mesmo a República Federal da Alemanha, é o país mais regionalista da Europa. Há locais onde de um lado da rua se fala Francês e do outro Flamengo. Temos ainda uma pequena região contigua ao Luxemburgo de tendência Alemã.
Aqui continuamos a discutir entre Bimbos e Mouros, se o SLBenfica é mais ou menos beneficiado que o FC Porto?
Re: Governo de gestão, com bastante Regionalização Ver comentário
Re: Governo de gestão, com bastante Regionalização Ver comentário
"QUE BONITO"
De ver como um Estado que é do nosso campeonato se governa e gere sem conflitos à quase um ano baseado apenas na excelente organização que lhe deram.
Parecido com isto estamos nós.
Podíamos ficar sem governo até dava geito....mas não temos Rei.
Só temos Rainhas e calonas.
Kácus
Não os quer ver Portugal
Nós já estivemos de 1580 a 1640 sem governo, hoje, governos que teêm como objetivo o enriquecimento rápido e ilicito da sua casta, não fazem falta absulutamente nenhuma: ponham-se a caminho de Castela.
SE calhar estão melhor que nós!
Mais vale sem governo, do que ter um que só faz cagada e gasta dinheiro que não tem!
Regionalização
Isto só é possível porque a Bélgica tem Governos regionais que trabalham muito bem (porque estão mais perto dos cidadãos) e porque está inserida na União Europeia que é quem verdadeiramente manda nos países mais pequenos.
Re: Regionalização Ver comentário
PORTUGAL: com PR e sem Governo há quase 6 anos
Somos, então o 1º do Mundo, já que há quase 6 anos estamos sem Governo de fato!
percepcao duvidosa da belgica
Na minha opiniao o estado belga nao e tao organizado quanto isso. E verdade que o pais ainda vai funcionando, mas porque existe varias camadas na funcao publica belga, logo nao necessitando de decisoes governamentais para continuar o funcionamento corrente do pais.
Habito em Bruxelas a 2 meses e ja deu para perceber que existe muita burocracia e ate os belgas se queixam disso. Um exemplo e o "cartao de cidadao" que pode demorar ate 6 meses a ser emitido, com no minimo 3 visitas a "comune" (servico municipal) e pelo menos uma visita a policia. Esta demora na obtencao de um ID belga causa alguns atrasos na obtencao de outros servicos como servico de saude, conta bancaria, etc..
Nestes dois meses ja deu para observar que "os conhecimentos" e "os favores" sao tambem muito usados para contornar a burocracia.
Em relacao ao regionalismo nao sei se funciona bem ou mal, mas nas conversas do dia-a-dia so ouco os flamengos a discutir que querem a separaxao da belgica em duas partes e posso confimar que existe um odio notorio entre flamengos e francofonos.
Existem varios pormenores aqui em Bruxelas que nesse aspecto me fazem lembrar Portugal, no entanto o PIB belga e o dobro do portugues e pelo menos tenho conhecimento que a Belgica tem uma industria muito bem desenvolvida, com a sede de varias empresas nao europeias.
 
Re: percepcao duvidosa da belgica Ver comentário
PUBLICIDADE
Expresso nas Redes
Pub