Anterior
Orçamento: PSD reúne órgãos nacionais para tomar posição
Seguinte
OE 2011: Despesas em consultoria são "absolutamente essenciais"
Página Inicial   >  Dossiês  >  Dossies Economia  >  Orçamento do Estado 2011  >   Bagão Félix: "Este orçamento é mau, mas uma inevitabilidade"

Bagão Félix: "Este orçamento é mau, mas uma inevitabilidade"

Ex-ministro das Finanças acusa o primeiro ministro de ser "bastante hábil a vitimizar-se" mas defende que PSD e CDS-PP deveriam viabilizar o Orçamento do Estado para 2011 .
Lusa |

O ex-ministro das Finanças Bagão Félix, considera que o Orçamento do Estado para 2011 "é mau, mas é uma inevitabilidade", porque a alternativa nesta altura seria pior, defendendo que PSD e CDS-PP deveriam viabilizar o documento. 

Clique para aceder ao índice do dossiê Orçamento do Estado 2011

"Este orçamento é mau, mas é uma inevitabilidade. Este é provavelmente o argumento mais estúpido e mais resignado que temos perante esta situação. Este não deveria ser o nosso orçamento", afirmou o antigo governante na Assembleia da República, à margem de um colóquio sobre dívida pública. 

Bagão Félix considera que "a alternativa seria pior" nesta altura, e mesmo que "ficaria mal ao PSD e ao CDS-PP fazer a vontade ao primeiro-ministro que era que não houvesse orçamento". 

"É melhor ter um orçamento, ainda que péssimo, do que não ter"


O economista acusa ainda o primeiro ministro de ser "bastante hábil a vitimizar-se" e de não querer ver o orçamento aprovado na Assembleia da República, baseando-se no que considera ser a postura do Governo nesta matéria.

"Quando um Governo, e em particular um primeiro-ministro, quer que haja orçamento, não trata os seus potenciais parceiros dessas aprovação, ou dessa negociação, da maneira insolente, agressiva, ou indiretamente, chamando imaturo ao líder do PSD", disse o economista, que considera que José Sócrates "sabe que se não houver orçamento, tem mais possibilidades" de se aguentar no poder. 

"É melhor ter um orçamento, ainda que péssimo, do que não ter orçamento, numa circunstância em que não podem haver alternativas políticas", disse.

Bagão Félix diz que é "claro" que a economia portuguesa "vai entrar em recessão" e que "nem o Governo acredita nos números que tem no orçamento", afirmando que não entende como é que uma queda no rendimento disponível das famílias na ordem dos 2,6 por cento daria uma contração de apenas 0,5 por cento no consumo privado (que é a projeção do Governo na proposta de orçamento). 

O economista considera ainda que os credores irão olhar para as responsabilidades do Estado português a mais longo prazo, sublinhando que, segundo os seus cálculos, caso se junte a dívida das empresas públicas, os encargos com as Parcerias Público-Privadas (PPP) e as responsabilidades assumidas no âmbito da Segurança Social e da Caixa Geral de Aposentações (CGA), a dívida pública "ultrapassa largamente os 200 por cento do PIB". 


Opinião


Multimédia

Cheesecake com manjericão e doce de tomate

Especialista em pratos de confeção acessível, com ingredientes ao alcance de qualquer pessoa, Tiger escolheu a gastronomia como forma de estar na vida. Veja, confecione, desfrute e impressione.

Voámos num F-16

Um piloto da Força Aérea voou com uma câmara GoPro do Expresso e temos imagens inéditas e exclusivas para lhe mostrar num trabalho multimédia.

Salada de salmão com sorvete de manga

Especialista em pratos de confeção acessível, com ingredientes ao alcance de qualquer pessoa, Tiger escolheu a gastronomia como forma de estar na vida. Veja, confecione, desfrute e impressione.

Por faróis nunca dantes navegados

São a salvaguarda dos navegantes, a luz que tranquiliza o mar. Há 48 faróis em Portugal continental e nas ilhas. Este é um acontecimento único: todos os faróis e 1830 km de costa disponíveis num mesmo trabalho. Para entendê-los e vê-los, basta navegar neste artigo.

Parecem casulos onde gente hiberna à espera de ver terra

No Porto de Manaus não há barcos, mas autocarros bíblicos que caminham sobre água. Têm vários andares e estão cheios de camas de rede que parecem casulos onde homens, mulheres e crianças aguardam o destino. E há gente a vender o que houver e tiver de ser junto ao Porto. "Como há Copa, tem por aí muito gringo que vem ter com 'nóis'. E então fica mais fácil vender"

O adeus de Lobo Antunes às aulas de medicina

O neurocirurgião deu terça-feira a sua "Última Lição" no auditório do Instituto de Medicina Molecular da Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa, na véspera de deixar o seu trabalho no serviço nacional de saúde.

Jaguar volta a fabricar desportivo dos anos 60

Até ao verão será fabricado um número limitado de desportivos Jaguar E-Type Lightweight, seguindo todas as especificações originais, incluindo a continuação do número de série das unidades produzidas em 1963.

"Naquela altura estavam continuamente a acontecer primeiras coisas"

Mais do que uma manifestação, o 'primeiro' 1º de Maio é recordado como a grande festa da Revolução dos Cravos, quando o povo saiu às ruas em massa e a união das esquerdas era um sonho possível. "O 1º de Maio seria mais uma primeira coisa, porque naquela altura estavam continuamente a acontecer primeiras coisas." Foi há 40 anos.

Este trabalho não foi visado por qualquer comissão de censura

Aquilo que hoje é uma expressão anacrónica estava em relevo na primeira página do "República", a 25 de Abril de 1974: "Este jornal não foi visado por qualquer comissão de censura". Quarenta anos depois da Revolução, veja os jornais, ouça os sons e compreenda como decorreu o "dia inicial inteiro e limpo", como lhe chamou Sophia. O Expresso falou ainda com cinco gerações de 40 anos e percorreu a "geografia" das Ruas 25 de Abril de todo o país, falando com quem lá mora. Veja a reportagem multimédia.


Comentários 2 Comentar
ordenar por:
mais votados
Estão todos a brincar connosco?
O trabalho está mau, sabemos que está mau, não vamos fazer nada para corrigir, tem de ser porque é assim?

Isto são conversas de responsáveis políticos, de call-centers que nada resolvem ou de inconscientes?

Se temos de fazer sacrifícios, ao menos que valham a pena. Mas são os próprios políticos quem nos diz que vamos passar mal e não vai servir para nada???

Esta gente é formada em Economia e Finanças, ou em artes de circo?

Posologia: 1 colher de xarope prá tosse
O frasco contém veneno, mas vou tomar, pode ser que não morra.

:))))
Comentários 2 Comentar

Últimas

Ver mais

Edição Diária 17.Abr.2014

Leia no seu telemóvel, tablet e computador
PUBLICIDADE

Pub