Siga-nos

Perfil

Expresso

  • Ponha aqui o seu pezinho

    Sociedade

    Katya Delimbeuf e Ana Baião

    Pisar a pé é uma prática tradicional na altura da vindima, mas são cada vez menos os que a fazem seguindo os preceitos antigos. Na Herdade do Mouchão, no Alentejo, desde 1901 que a pisa se faz do mesmo modo. Os pés ficam pretos, prova de que se esteve dentro do lagar, num mar de uvas.

  • As Marias são rapazes e os rapazes também choram

    Sociedade

    Bernardo Mendonça e Ana Baião

    A propósito da acesa polémica aberta sobre os dois livros de exercícios, diferenciados para rapazes e raparigas, lançados pela Porto Editora e que vão sair do mercado por recomendação da Comissão para a Cidadania e Igualdade de Género, republicamos um trabalho saído na Revista E, em outubro de 2015, que aborda esta questão. O género conta cada vez menos

  • As famílias do rock

    Cultura

    Bernardo Mendonça e Ana Baião

    De onde vieram as nossas estrelas rock e pop? Que histórias têm para contar os pais e as mães destes roqueiros sobre a infância dos filhos e como eles foram parar à música? Com baterias e guitarras elétricas pelo meio, uns e outros revelam segredos, braços de ferro e cumplicidades. Reproduzimos o artigo publicado na revista no dia 16 de fevereiro de 2013

  • “O seu documento de identificação, por favor”: como voltámos a controlar fronteiras

    Sociedade

    Helena Bento e Ana Baião

    Há Papa em Portugal e, consequentemente, fronteiras repostas. Fomos ver como se trabalha entre Vila Verde de Ficalho, em Beja, com Rosal de La Frontera, Espanha, onde “qualquer bocado de terra batida está a ser patrulhado pela GNR e por pessoal do SEF”. E descobrimos um militar que queria ter ido a Fátima a pé. Porquê? “Não sei, gostava mesmo. Gostava de sentir”

  • As famílias do rock

    Diário

    Bernardo Mendonça e Ana Baião

    De onde vieram as nossas estrelas rock e pop? Que histórias têm para contar os pais e as mães destes roqueiros sobre a infância dos filhos e como eles foram parar à música? Com baterias e guitarras elétricas pelo meio, uns e outros revelam segredos, braços de ferro e cumplicidades. Reproduzimos o artigo publicado na revista no dia 16 de fevereiro de 2013

  • “Não gosto da ideia de que temos de ser supermulheres”

    Sociedade

    Raquel Moleiro e Ana Baião

    Catarina Marcelino, secretária de Estado para a Cidadania e Igualdade, quer que a paridade de género, que tem progredido no meio laboral, entre nas casas de família, onde as tarefas domésticas continuam a ser coisa de mulher. A solução, diz, está na escola, onde a educação para a cidadania vai começar a derrubar estereótipos desde o pré-escolar. “Temos uma base cultural que precisa de uma intervenção grande”, assegura. Em casa dela está tudo em pratos limpos

  • “Não gosto da ideia de que temos de ser supermulheres”

    Diário

    Raquel Moleiro e Ana Baião

    Catarina Marcelino, secretária de Estado para a Cidadania e Igualdade, quer que a paridade de género, que tem progredido no meio laboral, entre nas casas de família, onde as tarefas domésticas continuam a ser coisa de mulher. A solução, diz, está na escola, onde a educação para a cidadania vai começar a derrubar estereótipos desde o pré-escolar. “Temos uma base cultural que precisa de uma intervenção grande”, assegura. Em casa dela está tudo em pratos limpos

  • Barreiro faz revolução e dá gás aos autocarros

    Diário

    Paulo Paixão e Ana Baião

    Na outrora grande cidade industrial da margem sul, o serviço de transporte público é assegurado pelo município — mas é uma situação distinta da existente em Lisboa com a Carris, ressalva o PCP, que governa a Câmara. No Barreiro, no próximo ano, a autarquia fará uma verdadeira reforma estrutural: a frota, de 60 autocarros novos, será toda movida a gás natural