Siga-nos

Perfil

Expresso

Luís Guerra

Jornalista

Estudou Comunicação – e outros delírios – na Nova, mas foi na internet que participou, em 1998, no primeiro trabalho de grupo (chamava-se Rádio Pirata). Desde logo encontrou também a música que o levaria à redação do jornal BLITZ um ano depois. No início do século XXI deu um ar da sua graça (humor, sim) na SIC Radical com Markl, Alvim e os Gato Fedorento à mistura, regressando ao mister de escriba para ver o BLITZ virar revista – é seu editor desde 2008. No Expresso também dá música.

  • Prazer com compromisso

    Cultura

    Luís Guerra

    “Casa de Cima”, das Pega Monstro, será lançado segunda-feira num ‘arraial’ no jardim do Palácio do Machadinho, na Madragoa, Lisboa, entre as 18h e as 24h, com entrada livre. Maria e Júlia tocam às 2

  • Prazer com compromisso

    Sociedade

    Luís Guerra

    “Casa de Cima”, das Pega Monstro, será lançado segunda-feira num ‘arraial’ no jardim do Palácio do Machadinho, na Madragoa, Lisboa, entre as 18h e as 24h, com entrada livre. Maria e Júlia tocam às 2

  • Prazer com compromisso

    Internacional

    Luís Guerra

    “Casa de Cima”, das Pega Monstro, será lançado segunda-feira num ‘arraial’ no jardim do Palácio do Machadinho, na Madragoa, Lisboa, entre as 18h e as 24h, com entrada livre. Maria e Júlia tocam às 2

  • Mexefest: oito concertos que não pode perder

    Diário

    Luís Guerra

    O festival lisboeta conta, esta sexta-feira e este sábado, com mais de seis dezenas de concertos em variadíssimas salas – e locais inesperados – do eixo Avenida da Liberdade-Rossio. Para que não se perca com tamanha oferta, apresentamos-lhe as propostas mais irrecusáveis (e uma playlist para ajudar...)

  • Cultura

    Luís Guerra

    Marcos do rock americano na segunda metade dos anos 80 e início dos 90 (e uma das bandas mais queridas da sua geração), regressam a Portugal para aquele que será o sexto concerto entre nós desde a reunião em 2004 — é quinta-feira, às 22h45, no NOS Alive. Agora que passam 25 anos sobre os míticos concertos nos Coliseus de Lisboa e Porto, David Lovering — o baterista mas também ilusionista ‘encartado’ — fala-nos da força do passado, do temperamento do ‘patrão’ Black Francis e do dia em que a banda conheceu Robert Plant (que atua no mesmo festival, imediatamente antes dos Pixies) num avião.