Siga-nos

Perfil

Expresso

Manuela Goucha Soares

Manuela Goucha Soares

Jornalista

Chegou ao Expresso em finais de 1988 e ao jornalismo dois anos antes. Veio porque gosta de escrever, de escutar pessoas e de confrontar pontos de vista em busca da verdade e de uma sociedade mais igual. Detesta falsidades escorregadias, preferindo gente lutadora (mesmo que com mau feitio) a simpáticos songas-mongas . Em 2009 publicou a biografia "Marcello Caetano – O Homem que perdeu a Fé" e em 2006 a "Fotobiografia de Ramalho Eanes"; nesse mesmo ano foi coautora do livro "Primeiras-damas", publicado pelo Museu da Presidência. Pelo caminho estão outros livros, alguns para crianças, muitas reportagens que a desafiaram e obrigaram ao consumo excessivo de chocolates. Licenciou-se em Comunicação e pós-graduou-se em Estudos Portugueses. Foi uma das fundadoras do 'Superglamorosas', um blogue sobre cancro de mama já desativado, e gere uma página no Facebook de apoio a esta guerra tramada.

  • O cantor Olavo Bilac tem 49 anos. Mas Olavo Bilac foi aplaudido em Lisboa há 101 anos. Saiba como

    Cultura

    Manuela Goucha Soares

    Esta é a história de uma viagem que começa no Rio de Janeiro, passa por Cabo Verde, Lisboa, Paris, Moçambique e Macau. Uma história sobre a força dos jornais, poemas, prosas, crónicas que “foram sempre páginas de arte”, escritas pelo ‘príncipe dos poetas brasileiros”... e de palavras cantadas por outro homem. Entre os dois, um nome: Olavo Bilac

  • O cantor Olavo Bilac tem 49 anos. Mas Olavo Bilac foi aplaudido em Lisboa há 101 anos

    Diário

    Manuela Goucha Soares

    Esta é a história de uma viagem que começa no Rio de Janeiro, passa por Cabo Verde, Lisboa, Paris, Moçambique e Macau. Uma história sobre a força dos jornais, poemas, prosas, crónicas que “foram sempre páginas de arte”, escritas pelo ‘príncipe dos poetas brasileiros”... e de palavras cantadas por outro homem. Entre os dois, um nome: Olavo Bilac

  • O capitão que quase enganou a tristeza

    Sociedade

    A história definitiva do homem certo no sítio certo no dia certo. Que falava alto, que cantava desafinado, que não se encolhia, que foi maltratado depois de protagonizar História, que enganou enquanto pôde o que a tristeza lhe tirou na infância e na morte – o direito a ter o que é devido. Um herói português. No dia em que se completam 25 anos sobre a morte de Salgueiro Maia, o Expresso republica um trabalho multimédia sobre o militar que ficou conhecido como “capitão sem medo” e liderou no terreno o movimento que levaria à queda da ditadura

  • Michelle Bachelet contratou uma primeira-dama

    Internacional

    Manuela Goucha Soares

    Eugenia Hirmas move-se nos corredores do poder desde que o seu marido, Sergio Bitar, foi ministro de Allende. No último dia da visita de Estado de Michelle Bachelet a Portugal, o Expresso republica uma conversa com a mulher que exerceu as funções de primeira-dama no 1º mandato de Bachelet. O marido que assistiu à conversa lembra que “não há boa economia sem bons políticos”

  • Marcha, soldada!

    Diário

    O acesso das mulheres à vida militar constituiu a mais profunda e silenciosa revolução no interior das Forças Armadas. Talvez mesmo na própria sociedade portuguesa. Na altura em que passam 25 anos da entrada das mulheres na “tropa” e em que, pela primeira vez, uma militar acaba de entrar no curso para general, republicamos uma reportagem publicada originalmente na revista de 30 de maio de 1998, sobre quem eram e como era a vida de algumas das primeiras mulheres que enveredaram pela carreira militar

  • Hora mudou. E saiba quando os relógios de Greenwich comandaram os de Lisboa

    Sociedade

    Manuela Goucha Soares

    A mudança da hora é um ato político. Mete acordos, convenções e tratados internacionais. Até as duas Guerras Mundiais levaram muitos países a adotar novos horários e, na década de 1990, Portugal experimentou o horário de Bruxelas. Leia a história (um pouco) errática da hora legal, e não se esqueça de adiantar o relógio 60 minutos à 1h hora deste domingo. Se viver nos Açores, tem de adiantar o relógio à meia-noite

  • Palavras de Dijsselbloem são “ofensivas e xenófobas”. É o que diz o PS em carta enviada ao presidente do Partido Socialista Europeu

    Política

    Manuela Goucha Soares

    O PS apela a todos os partidos europeus para retirarem “qualquer apoio político à recandidatura” de Jeroen Dijsselbloem a presidente do Eurogrupo. Numa carta enviada ao líder do Partido Socialista Euroepu o PS pede a todos os “partidos membros” deste grupo para se distanciarem das declarações de Dijsselbloem sobre Portugal e os alegados gastos dos portugueses

  • Costa segue exemplo do Butão e cria site da felicidade

    Sociedade

    Manuela Goucha Soares

    “Felicidade é bem estar e pega-se”. E como se pega o Governo criou uma página na internet onde convida todos os portugueses a partilharem as suas experiências de bem estar para celebrarem o Dia Internacional da Felicidade que se comemora esta segunda-feira. Veja algum dos vídeos para decidir se quer fazer o seu e descubra se os ministros já partilharam o seu momento de felicidade

  • Carolina votou em 1911. Foi a primeira e a República mudou a lei para impedir o voto feminino

    Sociedade

    Manuela Goucha Soares

    As eleições para a Assembleia Constituinte da I República colocaram Portugal na vanguarda do movimento sufragista. Carolina Beatriz Ângelo, médica, viúva e chefe de família, foi a primeira mulher a exercer o direito de voto em toda a Europa Central e do Sul. Fez uma leitura ousada da lei, que os homens republicanos não foram capazes de prever, e recorreu para a Justiça para conseguir recensear-se. O juiz Castro proferiu uma sentença revolucionária e ela foi a única mulher a votar. Em 1913, a República mudou a lei e interditou o voto das mulheres. No Dia Internacional da Mulher, o Expresso recorda esta sufragista portuguesa