Anterior
Fogo em Sintra combatido por 160 bombeiros
Seguinte
Incêndio no concelho de Sintra controlado
Página Inicial   >  Atualidade / Arquivo   >  Autor do massacre nos EUA diz-se inimigo de Batman
Com vídeo

Autor do massacre nos EUA diz-se inimigo de Batman

Desde que foi preso, James Holmes só falou com a polícia uma vez, para dizer que era o 'Joker', o vilão do filme Batman.
|
Traseiras do edifício onde Holmes se entregou às autoridades
Traseiras do edifício onde Holmes se entregou às autoridades /  John Wark/Reuters
Perfil de James Holmes numa rede social, divulgado pelo site TMZ

"Sou o 'Joker'". De acordo com relatos da polícia de Aurora, citada pela Reuters, o alegado atirador que matou 12 pessoas num cinema nos EUA só falou sobre o massacre quando foi capturado, para dizer que era o 'Joker', a personagem que é o némesis do herói fictício 'Batman'.

Desde então, James Eagan Holmes, 24 anos, tem mantido o silêncio, intrigando as autoridades sobre a motivação do massacre que terá cometido na quinta-feira à noite (madrugada de sexta-feira em Portugal) no cinema Century 16, em Aurora, durante uma sessão do filme 'Batman: O Cavaleiro das Trevas Renasce'.

O jovem norte-americano - que tinha pintado o cabelo de laranja recentemente - não tinha perfil no Facebook nem no Twitter, mas mantinha atividade em redes sociais de encontros amorosos. Na sua página no site 'match.com', revelada pelo site TMZ (que pode ser consultada aqui , em PDF), podem ler-se algumas frases do alegado atirador, inclusive uma questão misteriosa: "Irás visitar-me à prisão?"

Abandonou doutoramento de neurociências


James Holmes, oriundo de San Diego, na Califórnia, tinha abandonado, há cerca de um mês, o programa de neurociências da Faculdade de Medicina da Universidade do Colorado, doutoramento que frequentava com uma bolsa de estudos. Segundo a instituição, Holmes abandonou o curso "de forma voluntária" e súbita, sem apresentar justificações.

EPA Fotografia de James Holmes quando entrou na universidade do Colorado

Ainda não se conhecem pormenores sobre o passado de Holmes que possam ajudar a explicar o massacre - antes pelo contrário. Os meios de comunicação social norte-americanos têm publicado relatos de ex-colegas e vizinhos de Holmes que o caraterizavam com um jovem exemplar, incapaz de atos violentos.

A cadeia de televisão norte-americana ABC divulgou hoje o primeiro vídeo de Holmes, com 18 anos, a falar numa conferência sobre ciência com outros jovens (ver vídeo abaixo), numa altura em que também era visto como um aluno com um futuro radioso.

A imprensa norte-americana adianta que a polícia suspeita que Holmes tenha começado a mudar de comportamento há cerca de um ano, quando passou a refugiar-se de forma mais regular em casa, evitando sair à rua, de acordo com os vizinhos.

Uma estação de televisão de Denver adiantou que, antes do massacre, Holmes estaria com 100 mg de Vicodin, um medicamento analgésico - que foi encontrado no corpo de Heath Ledger, o ator que fazia de 'Joker', quando morreu de overdose em 2008 - no sangue.

Dezenas de jornalistas têm estado à porta da casa de Arlene e Robert Holmes, pais do suspeito, que não se quiseram pronunciar.

Armas e milhares de munições compradas "de forma legal"


Ontem, a polícia de Aurora revelou que o suspeito tinha comprado, nos últimos 60 dias, quatro pistolas numa loja de armas local e através da internet, e mais de 6 mil munições - mais de 3 mil balas de calibre 22 para uma espingarda de assalto, 3 mil de calibre 40 para as pistolas "Glock" que levava consigo, assim como 300 balas de calibre 12. Na internet comprou "carregadores múltiplos" para uma espingarda de assalto de calibre 223, incluindo um recuperado na cena do crime.

De acordo com Dan Oates, chefe da polícia local, todas as armas, munições e carregadores na posse do suspeito foram adquiridas "de forma legal".

James Holmes também tinha adquirido vários explosivos, que utilizou para armadilhar o próprio apartamento, antes de partir para o cinema onde decorreu o massacre. No entanto, as autoridades conseguiram desativar os engenhos sem danos.

Aurora, cidade de 335 mil habitantes nos arredores de Denver, a capital do estado do Colorado, continua em choque com o caso - que evocou memórias do massacre de 1999 no liceu de Columbine, situado a 27 km de Aurora - e ontem foi realizada uma vigília em homenagem aos 12 mortos, incluindo uma menina de 6 anos.

Os candidatos presidenciais Barack Obama e Mitt Romney apresentaram as suas condolências às famílias das vítimas (58 feridos, entre os quais um bebé de três meses) e interromperam temporariamente as suas campanhas no Colorado.

O Papa Bento XVI também fez referência ao caso, dizendo-se "profundamente impressionado com a insensata violência" do tiroteio.

James Holmes está confinado à solitária, para sua própria proteção, de acordo com as autoridades, e irá apresentar-se em tribunal na segunda-feira.



Veja o vídeo divulgado pela ABC:
Watch More News Videos at ABC
2012 Presidential Election
Entertainment & Celebrity News

Opinião


Multimédia

Edwin. O rapaz que aprendeu a sonhar

O que Edwin sabia sobre a vida era sobreviver. Na cabeça dele não cabiam sonhos e os dias eram passados à procura de comida para ele e para a mãe e para o irmão. A fome espreitava nos cantos da barraca de palha no Quénia e ele escondia-se dela como podia - chupar as pedras era uma forma de a enganar. Mas a sorte dele mudou porque alguém viu nele outra coisa. E tudo começou numa dança. Agora, os mesmos dedos que agarravam as pedras tocam hoje teclas de um piano Bechstein. E os pés dele já não estão nus mas calçados. Com chuteiras. Primeiro no Benfica, agora no Estoril, o miúdo de 15 anos que fala como gente grande descobriu que tinha um sonho: ser futebolista. Como Drogba.

Em três quartos de hora não se esquece só a idade. "Esquece-se o mundo"

Maria do Céu dá três voltas ao lar sempre que pode. Edviges vai a todos os velórios, faz hidroginástica e sopas de letras. António dá um apoio na Igreja e nos escuteiros. Tudo é uma ajuda para passar os dias quando se tornam todos iguais. No Pinhal Interior Sul, a região mais envelhecida da União Europeia, quase um terço da população tem mais de 65 anos. Os mais velhos ficaram, os mais novos partiram.

Profissão: Sniper

O Expresso foi ver como são selecionados, que armas usam, para que missões estão preparados os snipers da Força de Operações Especiais do Exército. São uma elite dentro da elite. Um pelotão restrito. Anónimo. Treinam diariamente com um único objetivo: eliminar um alvo à primeira, mesmo que esteja a centenas de metros. Humano ou material. Sem dramas morais, dizem.

Xarém com conquilhas

Especialista em pratos de confeção acessível, com ingredientes ao alcance de qualquer pessoa, Tiger escolheu a gastronomia como forma de estar na vida. Veja, confecione, desfrute e impressione com esta nova receita.

O que se passa dentro da cabeça dele

O que leva um tipo a quem iam amputando uma perna a regressar ao sítio onde os ossos se desfizeram, uma e outra vez, e testar os limites do seu corpo? Resposta: a busca pelo salto perfeito, que ele diz existir dentro dele e que ele encontrará mais dia menos dia. É a fé e a confiança que o movem e o levam a pular para lá do que é exigido a um campeão olímpico e mundial que não tem mais nada a provar a ninguém - a não ser a ele próprio. Este é um trabalho que publicámos em agosto de 2014, quando o saltador se preparava para os Europeus e falava das metas que tinha traçado para 2015 e 2016: mostrar que não estava acabado. Sete meses depois, provou-o no Europeu de pista coberta em Praga, onde venceu este fim de semana.

Amadeu, que aprendeu o mundo no campo e tinha o coração na ponta dos dedos

Em Portugal, a dedicação à língua mirandesa tem nome próprio: Amadeu Ferreira, o jurista da CMVM que - quando todos diziam que "era uma loucura impossível" - arranjou tempo para traduzir "Os Lusíadas", a "Mensagem", os quatro Evangelhos da Bíblia e ainda duas aventuras do Asterix para uma língua que pertence a um cantinho do nordeste português e é falada por menos de 15 mil pessoas. No final de 2014 deu ao Expresso aquela que viria a ser a sua última entrevista. Morreu no passado domingo e esta quinta-feira foi lançada a sua biografia, "O fio das lembranças", com quase 800 páginas.

Temos 16 imagens que não explicam o mundo, mas que ajudam a compreendê-lo

O júri do World Press Photo queria dar o prémio maior da edição deste ano (e talvez das edição todas) a uma fotografia com "potencial para se tornar icónica". A primeira imagem desta fotogaleria, por ser "esteticamente poderosa" e "revelar humanidade", é o que o júri procurava. A fotografia de um casal homossexual russo, a grande vencedora, é a primeira de 16 imagens de uma seleção onde há Messi desolado, migrantes em condições indignas no Mediterrâneo, a aflição do ébola, mistérios afins e etc - são os contrastes do mundo.

Vamos falar de sexo. Seis portugueses revelam tudo o que lhes dá prazer na cama

Neste primeiro episódio de uma série que vai durar sete semanas, seis entrevistados falam abertamente sobre aquilo que lhes dá mais satisfação na intimidade. Sexo em grupo, sexo na gravidez, prazer sem orgasmo e melhor sexo após a menopausa são alguns dos temas referidos nos testemunhos desta semana. O psiquiatra Francisco Allen Gomes explica ainda a razão de muitas mulheres fingirem o orgasmo. O Expresso e a SIC falaram com 33 portugueses que deram a cara e o testemunho de como são na cama. Ao longo das próximas sete semanas, contamos-lhe tudo.

Elvis. Gostamos ou não gostamos?

Ele não é consensual, mas é incontornável. Dispunha de penteado majestoso e patilha marota, aparentava olhar matador e pose atrevida. E deixou canções: umas fáceis e outras nem tanto, por vezes previsíveis e às vezes inesperadas, ora gentis ora aceleradas. E ele, Elvis, nasceu em janeiro de 1934 - há precisamente 40 anos, ao oitavo dia. Temos quatro textos sobre o artista: Nicolau Santos, Rui Gustavo, Nicolau Pais e João Cândido da Silva explicam o que apreciam, o que toleram e o que não suportam.

A última viagem do navio indesejado

Construído nos Estaleiros de Viana e pensado para fazer a ligação entre ilhas nos Açores, o Atlântida foi recusado pelo Governo Regional por alegadamente não atingir a velocidade pretendida. Contando com os custos associados à dissolução do contrato, o prejuízo ascendeu a 70 milhões de euros. Foi agora comprado a "preço de saldo", para mudar de nome e ser reconvertido num cruzeiro na Amazónia. Fizemos a última viagem do Atlântida e vamos mostrar-lhe os segredos do navio.

Desfile de vedetas

Saiba tudo sobre os modelos concorrentes ao Carro do Ano 2015/Troféu Essilor Volante de Cristal. Conheça o essencial sobre os 20 automóveis participantes nesta iniciativa, da estética, às características técnicas, do preço ao consumo. A apresentação ficará completa no dia 3 de janeiro.

Tudo o que precisa de saber sobre o ébola. Em dois minutos

Porque é que este está a ser o pior surto da história? Como é que os primeiros sintomas se confundem com os de outras doenças? É possível viajar depois de ter contraído o vírus, sem transmitir a doença? E estamos ou não perto de ter uma vacina? O Expresso procurou as respostas a estas e outras dúvidas sobre o ébola.

Desacelerámos a realidade para observar a euforia da liberdade

Ela, Jacarandá, é algarvia. Ele, Katmandu, é espanhol. São linces e agora experimentam a responsabilidade da liberdade: foram soltos esta terça-feira numa herdade alentejana, próxima de Mértola, eles que saíram de centros de reprodução em cativeiro. Foi inédito: nunca tinha acontecido algo assim em Portugal. Estivemos lá e ensaiámos o slow motion.


Comentários 33 Comentar
ordenar por:
mais votados
Posso não saber o que se passa com esse tipo
de criminoso, mas certamente percebo que ele é o produto de uma sociedade, aceitem ou não. E tal tipo de sociedade que, de certo modo está doente, não é um privilégio dos EUA, mas deste nosso mundo caótico, em que os sentimentos são apaziguados por métodos de compras, de idas aos "shoppings" e tantos outros produtos da nossa carente vivência de consumo, como se fosse a suprema felicidade. A eleição da violência como programa de chegar ao recinto da paz talvez, com a ajuda fictícia de super-homens, nos torne ainda mais enfermos diante dos deslizes diários dos homens comuns e, por isso, quem sabe é preciso uma resposta muito além do normal, como anormal tem sido o culto que fazemos da justiça praticada pelos tais eleitos defensores dos fracos e oprimidos, geralmente mascarados e com alguns poderes além da imaginação. Os resultados vulgarmente são o que vemos nas notícias, como a presente. Rio Grande
Re: Posso não saber o que se passa com esse tipo
Re: Posso não saber o que se passa com esse tipo
Incorrecto...
"Heath Ledger, o ator que fazia de 'Batman'," ... Heath Ledger fez de Joker e não de Batman... um pouco mais de atenção
Ôlho por ôlho!
Os loucos que aprendam!
Incorrecto II
Heath Ledger morreu, segundo o relatório forense, de intoxicação acidental de remédios prescritos com efeito calmante e sonífero, e não de overdose - como descrito neste artigo do Expresso.

Nota pessoal
Este jornal está-se a tornar preocupante com as notícias que, erradamente, emite e promove.
Estes actos são a consequência de desde sempre
incutirem no espirito dos adolescentes a violência atravez de jogos e de filmes para os mentalizar para no futuro incorporarem as forças armadas de países imperialistas, em vez de lhes transmitirem Cultura e respeito por todas ideiais e formas de se estar na vida em sociedade.....
Isso mesmo!
Re: Estes actos são a consequência de desde sempre
Re: Estes actos são a consequência de desde sempre
Re: Estes actos são a consequência de desde sempre
A AMERICANADA
começa a pedir um estudo profundo, extenso, minucioso, rico de análise à secreção dos seus poros. Esta estranha sociedade que povoa o imaginário do mundo, que o coloniza mental e culturalmente, que esmaga, e que impõe uma visão das coisas ao homem contemporâneo, cada vez mais, só vai sendo exemplo para este género de "heroísmo". Mas como é que culturas tão antigas e tão densas, com línguas e povos infinitamente mais ricos, se deixam abafar por isto é que é o mistério?
Re: A AMERICANADA
Re: A AMERICANADA
BATEMAL!!!!!
Eu também odeio o Batman! E nunca me passaria pela cabeça entrar a matar num cinema.

Mas não percebo porque é que as pessoas tinham de morrer. Se calhar a maioria das pessoas que estavam a ver o filme eram fãs do Joker ou da "Catwoman".
Louscos há muitos seus palermas!
Só acredito em loucos quando os vir rasgar o dinheiro e comer a própria caquinha.
jornalismo... e mazé so politica pa
heath ledger nao foi o batman mas sim o joker este ate que nem e um erro muito grave agora imagino certas invençoes que estes rapazes fazem e que eu nao posso corrigir por ignorar os factos isto de ter politicos a mandar na imprensa ...
Super-homens
Porque razão terá a America super-homens?
Será só para a Marvel Comics faturar uns milhões, ou será algo de social e psicologicamente mais profundo?
E porque será que, tal como Lord Vader, os super-herois combatem a violência por meio da violência?
E o que levará tantos jovens a identificarem-se mais com os vilões do que com os super-herois?
Será porque os vilões parecem mais próximos e portanto mais humanos que os super-herois?
Uma sociedade que conheço, com muitos defeitos e virtudes, que vive sobre grande influência do pensamento alemão do séc XVIII e XIX, que influenciou de forma definitiva a chamada maioria WASP (white, anglo-saxon, protestant) herdou do tempo do esclavagismo a desistência da inclusão.
Cada um por si.
E por outro lado é bom estar de bem com a comunidade, senão nada feito. Passa-se mal.
Por isso tantos ghetos e tantos que perdem o pedal...
mas atenção que aquele povo é muito nobre e educado (apesar da opinião que se tem na Europa...) e vive-se lá melhor. Basta ver que com 35 USD se enche o depósito do carro e o IVA são 6.5%+2,5%! e ter 3 ou 4 filhos é muito comum!
Por isso quando ouço na Europa, "coitadinhos dos americanos que não têm sistema de saúde", dá vontade de rir!
É verdade que as pessoas vivem mais separadas física e mentalmente (o que favorece este tipo de fenómeno) e que tudo se paga, não há favores.
Não existe caridade individual, apenas institucional, onde há voluntários (estudantes ou desempregados). Não se tolera o erro humano.
Re: Super-homens
Bolas...
Já vi o comentário-chavão que a culpa é da TV e dos jogos de vídeo, essas obras do demo... e ninguém se lembrou de apontar que naquele país qualquer maior de 18 anos compra as armas que quiser quando quiser? Será que isso teve alguma coisa a ver com o caso?

Não é só o jornal que cospe disparates incorrectos («Heath Ledger, o ator que fazia de 'Batman',»), a maioria dos leitores parece sofrer cada vez mais de acefalia aguda.
Cultura armamentista Bush Reagan e COWBOY
Cultura armamentista Bush Reagan e COWBOY
Nos USA há também gente boa , só que qualquer puto pode comprar uma arma ,
a seguir vem a cultura do Hollywood type superman e etc. que dá a volta à cabeça das pessoas , tal como aquele Nazi da Noruega que matou não sei quantos jovens !!
Parece-me que é típico de países superRicos como a Alemanha aparecer estes casos desta demência
Espero que não nos contaminem a n/ juventude
POis...
"Uma estação de televisão de Denver adiantou que, antes do massacre, Holmes estaria com 100 mg de Vicodin, um medicamento analgésico - que foi encontrado no corpo de Heath Ledger, o ator que fazia de 'Batman', quando morreu de overdose em 2008 - no sangue."

É incrível a quantidade de erros nesta frases...mas é que é o resumo de toda a porcaria de jornalistas que há neste mundo...Um resumo brutal, é que está tudo ali!!!
É por estas que deixei de comprar o expresso...estagiários servem cafés não escrevem artigos...agora memorizem, apreendam, e transmitam
Re: POis...
Quando o mundo deixa de sonhar :(
Sío pensa no valor monetario, nos milhares de milhoes, nas dividas dos estados. quando o homem deixa de ir ao espaço de tentar atingir novas fronteiras, se fecha sobre si proprio, porqué viver, qualquer rico vos dirá como a vida é vazia, sem significado.
Daí no mundo de hoje haver jogos de violencia gratuita, filmes cada vez mais gores, até a bd de onde vem o batman, deixou de ter alguma contenção, é comum o heroi arrancar as tripas do vilão e ata-las ao pescoço.
Que se queixem deles próprios!
A liberdade de comprar armas nos EUA é a explicação para estes actos. Esta é a mentalidade dos americanos, uma mentalidade que conduz ao crime e que enriquece os fabricantes. Não tenho pena deles.
Comentários 33 Comentar

Últimas

Receba a nova Newsletter
Ver Exemplo

Pub