31 de janeiro de 2015
Página Inicial   >  Atualidade / Arquivo

É Passos, o conto de crianças.

Isabel Moreira |
Como é possível Passos olhar sem espírito democrático para a eleição de um colega europeu? Como é possível Passos não ter sentido de estado algum, o mínimo que seja? Como é possível Passos não perceber que está a falar de um povo em chagas de tanto sofrimento após uma receita falhada? ...

Porque é que os gays votam em Le Pen?

Henrique Raposo |
Conheço bem Hirsi Ali e Geert Wilders. Não conheço tão bem Pim Fortuyn, mas sei uma coisa: é verdade que Fortuyn não tinha a sensatez de Ali, mas também não era um mero extremista como Wilders. O ódio de Wilders é dirigido a um Islão abstracto. A crítica de Fortuyn, ao invés, partia de um ponto concreto e insofismável: a ...

Ai, eles andam tão preocupados!

Nicolau Santos |
Sinceramente, não se faz. Os ultramontanos defensores dos imensos benefícios das teorias da austeridade andam num desassossego. Pensavam que a batalha estava ganha. É que até agora só algumas almas académicas, jornalísticas e pequenos partidos sem expressão contestavam o mantra neo-liberal de serem necessários cortes profundos no Estado ...

A Grécia em Portugal

Daniel Oliveira |
Com o novo governo grego, a Europa deixa de ser uma entidade externa e passa a ser o palco de um confronto sobre o seu próprio futuro. A vida fica dificultada para quem se habituou a manter uma postura passiva de "bom aluno". Para o PS será uma revolução que exibirá as suas divergências internas. Para o resto da esquerda, a escolha do Anel ...

Quando António Costa se transforma em Seguro

Henrique Monteiro |
Há, sem dúvida, um pensamento mágico na política. É estranho, porque a política deveria, teria a obrigação de ser um assunto racional que diz respeito a todos, a uma comunidade. Mas não há dúvida que não andamos assim tão longe do tempo dos magos e dos adivinhos. Vejamos o exemplo do PS, apenas por simplicidade e não por ser o único

estrada V

Patrícia Reis |
Vês como é bonita a minha cidade? Vês como a ponte desenha um fio elegante até se chegar à zona norte? Não me ouves? Eu compreendo. É o baralho da estrada que se confunde com o lixo da razão. Posso tentar gritar, mas mesmo assim, já sei, não irás ouvir.

A tentação de meter os gregos na ordem

António José Teixeira |
Uns dias antes das eleições na Grécia, o nova-iorquino Ray Dalio dizia em Davos que virá aí um aumento da desigualdade social e do extremismo político se a Europa, particularmente o sul, não ultrapassar a depressão em que mergulhou. Dalio é o presidente da Bridgewater, o maior fundo de alto risco do mundo. Gere qualquer coisa como 160 mil ...

A perigosa deriva russa de Tsipras

Ricardo Costa |
Os últimos dias e as últimas horas têm sido demasiado movimentadas na Grécia. Depois da esmagadora vitória do Syriza, os mercados começaram por reagir lentamente, mas depois dispararam, para baixo, claro. As ações caíram, as dos bancos mergulharam, os levantamentos de capital estão em níveis alarmantes, os juros da dívida subiram e o Governo ...

Alexis Tsipras não merece respeito

Henrique Raposo |
Um sujeito que dá ao filho o nome de um assassino não merece respeito. Um dos filhos de Alexis Tsipras dá pelo nome de Ernesto Tsipras, em homenagem ao assassino pin-up da longa lista de assassinos comunistas: Ernesto Che Guevara. Mas o pior nem sequer está neste desrespeito pelas vítimas de Che e do comunismo em geral, a começar pelos ...

A crise nas urgências é política

Daniel Oliveira |
Uma gripe não chega. O caos nas urgências resulta da falta contratações de pessoal, de cortes orçamentais e da reduções de camas. Paulo Macedo aceitou gerir este emagrecimento do SNS até limites insustentáveis. É politicamente responsável pelos efeitos dramáticos dessa escolha. Pode ser mais profissional do que outros ministros. Mas até por ...
Ver mais
Receba a nova Newsletter
Ver Exemplo

Pub