4
Anterior
Primeiros atletas começam a chegar à Aldeia Olímpica
Seguinte
Os Jogos Olímpicos mais femininos de sempre
Página Inicial   >  Dossiês  >  Dossies Desporto  >  Jogos Olímpicos 2012  >   Atletas perdem-se a caminho da aldeia olímpica

Atletas perdem-se a caminho da aldeia olímpica

Autocarros com destino à aldeia olímpica têm tido alguma dificuldade em circular por Londres, apesar da linha especial criada para o efeito.
com Lusa |
Autocarros podem circular na "linha olímpica"
Autocarros podem circular na "linha olímpica" / Getty

A capital inglesa enfrenta alguns problemas de transportes a 10 dias do início dos Jogos Olímpicos, com os maiores constrangimentos a verificarem-se na ligação entre o aeroporto de Heathrow e o centro de Londres.  
 
As autoridades britânicas criaram uma linha especial para este percurso, a M4, de forma a agilizar a chegada das delegações desportivas e as representações oficiais estrangeiras, que têm como destino a aldeia olímpica, em Stratford, a este da cidade.  
 
A via está aberta das 5h até às 22h (as mesmas de Lisboa), mas a solução tem provocado grandes filas de carros no percurso.  
 
O caso com maior repercussão aconteceu com o atleta norte-americano Kerron Clement, bicampeão mundial dos 400 metros barreiras, que na segunda-feira passou quatro horas no autocarro com destino à aldeia olímpica.  
 
O norte-americano foi um dos primeiros atletas a chegar a Heathrow e, segundo revelações do próprio na sua rede social do Twitter, o condutor do autocarro perdeu-se e os atletas andaram às voltas por Londres.  
 
O presidente da Câmara londrina, Boris Johnson, deu pouca importância ao incidente, explicando que a situação vai melhorar nos próximos dias, optando por enaltecer a reação de agrado dos atletas em relação às instalações na aldeia olímpica.  
 
Entretanto, o metropolitano de Londres tem recomendado aos passageiros para evitarem a linha que une o centro ao este, em determinadas horas do dia (6h30 às 9h e 14h às 21h), sendo que esta é a mais utilizada para se chegar a Stratford.  
 
      


 


Opinião


Multimédia

Cheesecake com manjericão e doce de tomate

Especialista em pratos de confeção acessível, com ingredientes ao alcance de qualquer pessoa, Tiger escolheu a gastronomia como forma de estar na vida. Veja, confecione, desfrute e impressione.

Voámos num F-16

Um piloto da Força Aérea voou com uma câmara GoPro do Expresso e temos imagens inéditas e exclusivas para lhe mostrar num trabalho multimédia.

Salada de salmão com sorvete de manga

Especialista em pratos de confeção acessível, com ingredientes ao alcance de qualquer pessoa, Tiger escolheu a gastronomia como forma de estar na vida. Veja, confecione, desfrute e impressione.

Por faróis nunca dantes navegados

São a salvaguarda dos navegantes, a luz que tranquiliza o mar. Há 48 faróis em Portugal continental e nas ilhas. Este é um acontecimento único: todos os faróis e 1830 km de costa disponíveis num mesmo trabalho. Para entendê-los e vê-los, basta navegar neste artigo.

Parecem casulos onde gente hiberna à espera de ver terra

No Porto de Manaus não há barcos, mas autocarros bíblicos que caminham sobre água. Têm vários andares e estão cheios de camas de rede que parecem casulos onde homens, mulheres e crianças aguardam o destino. E há gente a vender o que houver e tiver de ser junto ao Porto. "Como há Copa, tem por aí muito gringo que vem ter com 'nóis'. E então fica mais fácil vender"

O adeus de Lobo Antunes às aulas de medicina

O neurocirurgião deu terça-feira a sua "Última Lição" no auditório do Instituto de Medicina Molecular da Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa, na véspera de deixar o seu trabalho no serviço nacional de saúde.

Jaguar volta a fabricar desportivo dos anos 60

Até ao verão será fabricado um número limitado de desportivos Jaguar E-Type Lightweight, seguindo todas as especificações originais, incluindo a continuação do número de série das unidades produzidas em 1963.

"Naquela altura estavam continuamente a acontecer primeiras coisas"

Mais do que uma manifestação, o 'primeiro' 1º de Maio é recordado como a grande festa da Revolução dos Cravos, quando o povo saiu às ruas em massa e a união das esquerdas era um sonho possível. "O 1º de Maio seria mais uma primeira coisa, porque naquela altura estavam continuamente a acontecer primeiras coisas." Foi há 40 anos.

Este trabalho não foi visado por qualquer comissão de censura

Aquilo que hoje é uma expressão anacrónica estava em relevo na primeira página do "República", a 25 de Abril de 1974: "Este jornal não foi visado por qualquer comissão de censura". Quarenta anos depois da Revolução, veja os jornais, ouça os sons e compreenda como decorreu o "dia inicial inteiro e limpo", como lhe chamou Sophia. O Expresso falou ainda com cinco gerações de 40 anos e percorreu a "geografia" das Ruas 25 de Abril de todo o país, falando com quem lá mora. Veja a reportagem multimédia.


Comentários 4 Comentar
ordenar por:
mais votados
QUE GRANDE FARRA VÃO SER OS JO!
A fazer fé na GR da selecção america, aquilo todos os dias é a estrear! A vida são 2 dias e o Carnaval são 3! ;-)
hehe
iam 2 a 2 de mão dada, um saiu do grupo para comprar um chocolate e o outro perdeu-se começaram a chorar e pronto...

ocontadordecenas.com
Para mim o maior probema de circulação em
Londres é o circular pela esquerda. Com o grande fluxo de visitantes nos Jogos olimpicos deve ser mesmo o caos.......
Começa cedo
a aventura
Comentários 4 Comentar

Últimas

Lisboa e Malabo

A entrada da Guiné Equatorial na CPLP é infeliz, mas irrevogável. Agora é a ...

Ver mais

Edição Diária 17.Abr.2014

Leia no seu telemóvel, tablet e computador
PUBLICIDADE

Pub