Anterior
Vítor Gaspar fala amanhã às 15h
Seguinte
Vítor Gaspar apresenta conclusões da troika
Página Inicial   >  Economia  >   Até ao fim do ano Governo terá assinado 100 contratos mineiros

Até ao fim do ano Governo terá assinado 100 contratos mineiros

Desde a sua entrada em funções até ao final deste ano, o Governo espera ter assinado mais de 100 contratos no sector extrativo.
|
O ministro da Economia quer dinamizar o sector mineiro em Portugal. Nesta foto, Álvaro Santos Pereira, a 700 metros de profundidade, nas minas de cobre da Somincor, no Alentejo.
O ministro da Economia quer dinamizar o sector mineiro em Portugal. Nesta foto, Álvaro Santos Pereira, a 700 metros de profundidade, nas minas de cobre da Somincor, no Alentejo. / V.A.

Álvaro Santos Pereira, ministro da Economia, já assinou mais de 80 contratos no sector extrativo desde que tomou posse. No entanto, a sua meta é chegar ao final deste ano com mais de 100 contratos assinados com outros tantos grupos de investidores.

A área mais privelegiada tem sido a das minas, mas o sector extrativo envolve também a pesquisa e explroração de petóleo e gás natural, assim como águas minerais e rochas ornamentais.

Há muitas décadas que não se verificava uma atividade tão intensa no sector extrativo em Portugal, segundo alguns especialistas contactados pelo Expresso. As mesmas fontes garantem que desde a 2ª Guerra Mundial que em Portugal não se apostava tanto nesta área de atividade, onde agora se anunciam investimentos na exploração de ouro, volfrâmio, ferro, zinco, para além do reforço de algumas áreas, nomeadamente no cobre, onde serão investidos 700 milhões de euros nos próximos cinco anos, só nas minas da Somincor, em Castro Verde, no Alentejo.

Minas de norte a sul 


Serão reabertas as minas de ouro de Jales/Gralheira, em Trás-os-Montes - fechadas desde 1992 - e será criada uma mina (a segunda do país) de volfrâmio, em Távora (Tabuaço), para além da mina de ouro a céu aberto que se espera esteja em atividade já em 2013, perto do Escoural, no Alentejo.

Dezenas de intenções de investimento que estavam na gaveta, foram desbloqueadas por Álvaro Santos Pereira, incluindo a exploração de gás natural na costa algarvia, um projeto que tinha tivo o aval do ex-ministro da Economia Manuel Pinho, mas que, logo a seguir, foi travado pelo lóbi do turismo, que temia o impacto negativo desta atividade em certas zonas do Algarve.

A semana passada foi assinado um contrato entre a canadiana Mohave e a Galp, para exploração conjunta de gás e petróleo em Aljubarrota. Um investimento que começa nos 230 milhões de euros, a distribuir pelos próximos cinco anos, mas que poderá ascender aos 800 milhões.

Recorde-se que há duas semanas o Governo apresentou publicamente o plano estratégico para o aproveitamento dos recursos geológicos, um documento considerado "fundamental", pelo Executivo de Passos Coelho, pois pela primeira vez define, entre outras linhas de orientação, a política de dividendos para o Estado, resultante da atividade extrativa território nacional.


Opinião


Multimédia

Cheesecake com manjericão e doce de tomate

Especialista em pratos de confeção acessível, com ingredientes ao alcance de qualquer pessoa, Tiger escolheu a gastronomia como forma de estar na vida. Veja, confecione, desfrute e impressione.

Voámos num F-16

Um piloto da Força Aérea voou com uma câmara GoPro do Expresso e temos imagens inéditas e exclusivas para lhe mostrar num trabalho multimédia.

Salada de salmão com sorvete de manga

Especialista em pratos de confeção acessível, com ingredientes ao alcance de qualquer pessoa, Tiger escolheu a gastronomia como forma de estar na vida. Veja, confecione, desfrute e impressione.

Por faróis nunca dantes navegados

São a salvaguarda dos navegantes, a luz que tranquiliza o mar. Há 48 faróis em Portugal continental e nas ilhas. Este é um acontecimento único: todos os faróis e 1830 km de costa disponíveis num mesmo trabalho. Para entendê-los e vê-los, basta navegar neste artigo.

Parecem casulos onde gente hiberna à espera de ver terra

No Porto de Manaus não há barcos, mas autocarros bíblicos que caminham sobre água. Têm vários andares e estão cheios de camas de rede que parecem casulos onde homens, mulheres e crianças aguardam o destino. E há gente a vender o que houver e tiver de ser junto ao Porto. "Como há Copa, tem por aí muito gringo que vem ter com 'nóis'. E então fica mais fácil vender"

O adeus de Lobo Antunes às aulas de medicina

O neurocirurgião deu terça-feira a sua "Última Lição" no auditório do Instituto de Medicina Molecular da Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa, na véspera de deixar o seu trabalho no serviço nacional de saúde.

Jaguar volta a fabricar desportivo dos anos 60

Até ao verão será fabricado um número limitado de desportivos Jaguar E-Type Lightweight, seguindo todas as especificações originais, incluindo a continuação do número de série das unidades produzidas em 1963.

"Naquela altura estavam continuamente a acontecer primeiras coisas"

Mais do que uma manifestação, o 'primeiro' 1º de Maio é recordado como a grande festa da Revolução dos Cravos, quando o povo saiu às ruas em massa e a união das esquerdas era um sonho possível. "O 1º de Maio seria mais uma primeira coisa, porque naquela altura estavam continuamente a acontecer primeiras coisas." Foi há 40 anos.

Este trabalho não foi visado por qualquer comissão de censura

Aquilo que hoje é uma expressão anacrónica estava em relevo na primeira página do "República", a 25 de Abril de 1974: "Este jornal não foi visado por qualquer comissão de censura". Quarenta anos depois da Revolução, veja os jornais, ouça os sons e compreenda como decorreu o "dia inicial inteiro e limpo", como lhe chamou Sophia. O Expresso falou ainda com cinco gerações de 40 anos e percorreu a "geografia" das Ruas 25 de Abril de todo o país, falando com quem lá mora. Veja a reportagem multimédia.


Comentários 5 Comentar
ordenar por:
mais votados
Re: Até ao fim do ano Governo terá assinado 100 co
"exploração de gás natural na costa algarvia, um projeto que tinha tivo o aval do ex-ministro da Economia Manuel Pinho, mas que, logo a seguir, foi travado pelo lóbi do turismo, que temia o impacto negativo desta atividade em certas zonas do Algarve."

E caso continue a ter um impacto negativo deveria ser novamente travado, não tem jeito nenhum estragar o turismo! Certo que é muito bom para a economia a exploração de gás natural, mas também tem que se ver os outros fatores em conta, como a nível ambiental e das paisagens
Re: Até ao fim do ano Governo terá assinado 100 co
Possibilidades
Não entendo porque é o jornalista teima em continuar nesta hipótese.
Há muito se sabe o que temos no subsolo e que se fosse rentável, estaria a ser explorado. Estes contratos mineiros são pesquisas.
Fortuna
Eu bem sabia que 'inda tinha-mos algúma côsa.
Mas, esta de vender tud'ao estrangeiro para cobrir despesas de estado é que m'oltrapassa.
Terá que ser travado exploração de gás no Algarve
Exploração de gás natural na costa algarvia terá que ser travada por causa do turismo ? E o desenvolvimento do país ? Tem que pesquisar e se der certo explorar. Sim eses contratos saõ pesquisas .. Reclamão que vaõ dar para os estrangeiros explorar , Portugal não tem mão de obra classificada ,nem estrutura ,só sabem trabalhar de pedreiro , foi o que encontraram mais facil o resto são advogados , são todos aldravoes . Meus amigos um abraço e boa sorte com o nosso querido Portugal, Eu já estou no BRASIL á cinquenta anos mas não esquesim da terrinha Mário Fernandes
Comentários 5 Comentar

Últimas

Ver mais

Edição Diária 17.Abr.2014

Leia no seu telemóvel, tablet e computador
PUBLICIDADE

Pub