20 de abril de 2014 às 12:24
Página Inicial  ⁄  Blogues  ⁄  Do outro mundo  ⁄  Assaltante manda à sua vítima uma carta a pedir desculpa - mas chama-lhe burra

Assaltante manda à sua vítima uma carta a pedir desculpa - mas chama-lhe burra

Luis M. Faria
Há pelo menos um inglês que ninguém pode acusar de ser hipócrita. É o jovem de 16 anos que assaltou uma casa no West Yorkshire, zona de gente rude e verdadeira (segundo o estereótipo). Em tempos há muito olvidados, o jovem teria ido para a cadeia e sofrido maus tratos diversos. Agora tem acesso a um programa de reabilitação altamente sofisticado, onde é suposto aprender a comportar-se melhor. Como parte da terapia, escrevem-se cartas a pedir desculpa às vítimas. O jovem dispôs-se, mas fê-lo à sua maneira: com má educação e erros de ortografia. "Não cei porque tenho de lhe escrever! Fui obrigado", começa ele. "Para ser honesto, não estou nada incomodado ou arrependido de ter assaltado a sua casa. Basicmente, foi culpa sua de qq modo. Vou-lhe dizer todos os erros parvos que cometeu". A seguir refere cortinas abertas à noite, uma janela escancarada no rés-do-chão, e outras imprudências. Foi preciso você ser muito burro, acrescenta. A polícia de Leeds, que tornou pública a carta, espera que ela sirva para ilustrar o estado de espírito e as capacidades mentais dos vândalos que assaltam casas. Há o risco de o efeito final não ser exactamente esse.
Comentários 3 Comentar
ordenar por:
mais votados ▼
Os ingleses até a fazer coisas mal feitas acertam
Vejam como a pedagogia, até mesmo ao contrário, pode funcionar, pode ser eficaz.

Só mesmo os ingleses...

Será do nevoeiro?
Thanc iou for de trainslaition
Obrigado pela tradução precisa da carta do jovem delinquente.
Corrijam
Já agora aproveitem para corrigir os erros ortográficos deste artigo, assinado por Luis M. Faria.
É de lamentar e penso que exige igualmente um pedido de desculpa?
PUBLICIDADE
Expresso nas Redes
Pub