Anterior
Dezenas de crianças a morrer em autocarros superlotados. No governo, ...
Seguinte
Bombas, raptos, assassínios. Haverá cura para tanta raiva? Sim: ioga e ...
Página Inicial   >  Blogues  >  Do outro mundo  >   Assaltante manda à sua vítima uma carta a pedir desculpa - mas chama-lhe burra

Assaltante manda à sua vítima uma carta a pedir desculpa - mas chama-lhe burra

|
Há pelo menos um inglês que ninguém pode acusar de ser hipócrita. É o jovem de 16 anos que assaltou uma casa no West Yorkshire, zona de gente rude e verdadeira (segundo o estereótipo). Em tempos há muito olvidados, o jovem teria ido para a cadeia e sofrido maus tratos diversos. Agora tem acesso a um programa de reabilitação altamente sofisticado, onde é suposto aprender a comportar-se melhor. Como parte da terapia, escrevem-se cartas a pedir desculpa às vítimas. O jovem dispôs-se, mas fê-lo à sua maneira: com má educação e erros de ortografia. "Não cei porque tenho de lhe escrever! Fui obrigado", começa ele. "Para ser honesto, não estou nada incomodado ou arrependido de ter assaltado a sua casa. Basicmente, foi culpa sua de qq modo. Vou-lhe dizer todos os erros parvos que cometeu". A seguir refere cortinas abertas à noite, uma janela escancarada no rés-do-chão, e outras imprudências. Foi preciso você ser muito burro, acrescenta. A polícia de Leeds, que tornou pública a carta, espera que ela sirva para ilustrar o estado de espírito e as capacidades mentais dos vândalos que assaltam casas. Há o risco de o efeito final não ser exactamente esse.

Opinião


Multimédia

Cheesecake com manjericão e doce de tomate

Especialista em pratos de confeção acessível, com ingredientes ao alcance de qualquer pessoa, Tiger escolheu a gastronomia como forma de estar na vida. Veja, confecione, desfrute e impressione.

Voámos num F-16

Um piloto da Força Aérea voou com uma câmara GoPro do Expresso e temos imagens inéditas e exclusivas para lhe mostrar num trabalho multimédia.

Salada de salmão com sorvete de manga

Especialista em pratos de confeção acessível, com ingredientes ao alcance de qualquer pessoa, Tiger escolheu a gastronomia como forma de estar na vida. Veja, confecione, desfrute e impressione.

Por faróis nunca dantes navegados

São a salvaguarda dos navegantes, a luz que tranquiliza o mar. Há 48 faróis em Portugal continental e nas ilhas. Este é um acontecimento único: todos os faróis e 1830 km de costa disponíveis num mesmo trabalho. Para entendê-los e vê-los, basta navegar neste artigo.

Parecem casulos onde gente hiberna à espera de ver terra

No Porto de Manaus não há barcos, mas autocarros bíblicos que caminham sobre água. Têm vários andares e estão cheios de camas de rede que parecem casulos onde homens, mulheres e crianças aguardam o destino. E há gente a vender o que houver e tiver de ser junto ao Porto. "Como há Copa, tem por aí muito gringo que vem ter com 'nóis'. E então fica mais fácil vender"

O adeus de Lobo Antunes às aulas de medicina

O neurocirurgião deu terça-feira a sua "Última Lição" no auditório do Instituto de Medicina Molecular da Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa, na véspera de deixar o seu trabalho no serviço nacional de saúde.

Jaguar volta a fabricar desportivo dos anos 60

Até ao verão será fabricado um número limitado de desportivos Jaguar E-Type Lightweight, seguindo todas as especificações originais, incluindo a continuação do número de série das unidades produzidas em 1963.

"Naquela altura estavam continuamente a acontecer primeiras coisas"

Mais do que uma manifestação, o 'primeiro' 1º de Maio é recordado como a grande festa da Revolução dos Cravos, quando o povo saiu às ruas em massa e a união das esquerdas era um sonho possível. "O 1º de Maio seria mais uma primeira coisa, porque naquela altura estavam continuamente a acontecer primeiras coisas." Foi há 40 anos.

Este trabalho não foi visado por qualquer comissão de censura

Aquilo que hoje é uma expressão anacrónica estava em relevo na primeira página do "República", a 25 de Abril de 1974: "Este jornal não foi visado por qualquer comissão de censura". Quarenta anos depois da Revolução, veja os jornais, ouça os sons e compreenda como decorreu o "dia inicial inteiro e limpo", como lhe chamou Sophia. O Expresso falou ainda com cinco gerações de 40 anos e percorreu a "geografia" das Ruas 25 de Abril de todo o país, falando com quem lá mora. Veja a reportagem multimédia.


Comentários 3 Comentar
ordenar por:
mais votados
Os ingleses até a fazer coisas mal feitas acertam
Vejam como a pedagogia, até mesmo ao contrário, pode funcionar, pode ser eficaz.

Só mesmo os ingleses...

Será do nevoeiro?
Thanc iou for de trainslaition
Obrigado pela tradução precisa da carta do jovem delinquente.
Corrijam
Já agora aproveitem para corrigir os erros ortográficos deste artigo, assinado por Luis M. Faria.
É de lamentar e penso que exige igualmente um pedido de desculpa?
Comentários 3 Comentar

Últimas

Ver mais

Edição Diária 17.Abr.2014

Leia no seu telemóvel, tablet e computador
PUBLICIDADE

Pub