Anterior
Lançamento de petardo agravou incidentes na Assembleia da República
Seguinte
António Costa explica mudanças no trânsito lisboeta
Página Inicial   >  Atualidade / Arquivo   >  As manifestações pela lente dos repórteres do Expresso
fotogaleria

Opinião


Multimédia

Edwin. O rapaz que aprendeu a sonhar

O que Edwin sabia sobre a vida era sobreviver. Na cabeça dele não cabiam sonhos e os dias eram passados à procura de comida para ele e para a mãe e para o irmão. A fome espreitava nos cantos da barraca de palha no Quénia e ele escondia-se dela como podia - chupar as pedras era uma forma de a enganar. Mas a sorte dele mudou porque alguém viu nele outra coisa. E tudo começou numa dança. Agora, os mesmos dedos que agarravam as pedras tocam hoje teclas de um piano Bechstein. E os pés dele já não estão nus mas calçados. Com chuteiras. Primeiro no Benfica, agora no Estoril, o miúdo de 15 anos que fala como gente grande descobriu que tinha um sonho: ser futebolista. Como Drogba.

Em três quartos de hora não se esquece só a idade. "Esquece-se o mundo"

Maria do Céu dá três voltas ao lar sempre que pode. Edviges vai a todos os velórios, faz hidroginástica e sopas de letras. António dá um apoio na Igreja e nos escuteiros. Tudo é uma ajuda para passar os dias quando se tornam todos iguais. No Pinhal Interior Sul, a região mais envelhecida da União Europeia, quase um terço da população tem mais de 65 anos. Os mais velhos ficaram, os mais novos partiram.

Profissão: Sniper

O Expresso foi ver como são selecionados, que armas usam, para que missões estão preparados os snipers da Força de Operações Especiais do Exército. São uma elite dentro da elite. Um pelotão restrito. Anónimo. Treinam diariamente com um único objetivo: eliminar um alvo à primeira, mesmo que esteja a centenas de metros. Humano ou material. Sem dramas morais, dizem.

Xarém com conquilhas

Especialista em pratos de confeção acessível, com ingredientes ao alcance de qualquer pessoa, Tiger escolheu a gastronomia como forma de estar na vida. Veja, confecione, desfrute e impressione com esta nova receita.

O que se passa dentro da cabeça dele

O que leva um tipo a quem iam amputando uma perna a regressar ao sítio onde os ossos se desfizeram, uma e outra vez, e testar os limites do seu corpo? Resposta: a busca pelo salto perfeito, que ele diz existir dentro dele e que ele encontrará mais dia menos dia. É a fé e a confiança que o movem e o levam a pular para lá do que é exigido a um campeão olímpico e mundial que não tem mais nada a provar a ninguém - a não ser a ele próprio. Este é um trabalho que publicámos em agosto de 2014, quando o saltador se preparava para os Europeus e falava das metas que tinha traçado para 2015 e 2016: mostrar que não estava acabado. Sete meses depois, provou-o no Europeu de pista coberta em Praga, onde venceu este fim de semana.

Amadeu, que aprendeu o mundo no campo e tinha o coração na ponta dos dedos

Em Portugal, a dedicação à língua mirandesa tem nome próprio: Amadeu Ferreira, o jurista da CMVM que - quando todos diziam que "era uma loucura impossível" - arranjou tempo para traduzir "Os Lusíadas", a "Mensagem", os quatro Evangelhos da Bíblia e ainda duas aventuras do Asterix para uma língua que pertence a um cantinho do nordeste português e é falada por menos de 15 mil pessoas. No final de 2014 deu ao Expresso aquela que viria a ser a sua última entrevista. Morreu no passado domingo e esta quinta-feira foi lançada a sua biografia, "O fio das lembranças", com quase 800 páginas.

Temos 16 imagens que não explicam o mundo, mas que ajudam a compreendê-lo

O júri do World Press Photo queria dar o prémio maior da edição deste ano (e talvez das edição todas) a uma fotografia com "potencial para se tornar icónica". A primeira imagem desta fotogaleria, por ser "esteticamente poderosa" e "revelar humanidade", é o que o júri procurava. A fotografia de um casal homossexual russo, a grande vencedora, é a primeira de 16 imagens de uma seleção onde há Messi desolado, migrantes em condições indignas no Mediterrâneo, a aflição do ébola, mistérios afins e etc - são os contrastes do mundo.

Vamos falar de sexo. Seis portugueses revelam tudo o que lhes dá prazer na cama

Neste primeiro episódio de uma série que vai durar sete semanas, seis entrevistados falam abertamente sobre aquilo que lhes dá mais satisfação na intimidade. Sexo em grupo, sexo na gravidez, prazer sem orgasmo e melhor sexo após a menopausa são alguns dos temas referidos nos testemunhos desta semana. O psiquiatra Francisco Allen Gomes explica ainda a razão de muitas mulheres fingirem o orgasmo. O Expresso e a SIC falaram com 33 portugueses que deram a cara e o testemunho de como são na cama. Ao longo das próximas sete semanas, contamos-lhe tudo.

Elvis. Gostamos ou não gostamos?

Ele não é consensual, mas é incontornável. Dispunha de penteado majestoso e patilha marota, aparentava olhar matador e pose atrevida. E deixou canções: umas fáceis e outras nem tanto, por vezes previsíveis e às vezes inesperadas, ora gentis ora aceleradas. E ele, Elvis, nasceu em janeiro de 1934 - há precisamente 40 anos, ao oitavo dia. Temos quatro textos sobre o artista: Nicolau Santos, Rui Gustavo, Nicolau Pais e João Cândido da Silva explicam o que apreciam, o que toleram e o que não suportam.

A última viagem do navio indesejado

Construído nos Estaleiros de Viana e pensado para fazer a ligação entre ilhas nos Açores, o Atlântida foi recusado pelo Governo Regional por alegadamente não atingir a velocidade pretendida. Contando com os custos associados à dissolução do contrato, o prejuízo ascendeu a 70 milhões de euros. Foi agora comprado a "preço de saldo", para mudar de nome e ser reconvertido num cruzeiro na Amazónia. Fizemos a última viagem do Atlântida e vamos mostrar-lhe os segredos do navio.

Desfile de vedetas

Saiba tudo sobre os modelos concorrentes ao Carro do Ano 2015/Troféu Essilor Volante de Cristal. Conheça o essencial sobre os 20 automóveis participantes nesta iniciativa, da estética, às características técnicas, do preço ao consumo. A apresentação ficará completa no dia 3 de janeiro.

Tudo o que precisa de saber sobre o ébola. Em dois minutos

Porque é que este está a ser o pior surto da história? Como é que os primeiros sintomas se confundem com os de outras doenças? É possível viajar depois de ter contraído o vírus, sem transmitir a doença? E estamos ou não perto de ter uma vacina? O Expresso procurou as respostas a estas e outras dúvidas sobre o ébola.

Desacelerámos a realidade para observar a euforia da liberdade

Ela, Jacarandá, é algarvia. Ele, Katmandu, é espanhol. São linces e agora experimentam a responsabilidade da liberdade: foram soltos esta terça-feira numa herdade alentejana, próxima de Mértola, eles que saíram de centros de reprodução em cativeiro. Foi inédito: nunca tinha acontecido algo assim em Portugal. Estivemos lá e ensaiámos o slow motion.


Comentários 35 Comentar
ordenar por:
mais votados
SERÁ QUE CONTINUAM DE UMA DE 117 MIL!
Querem enganar quem?
Os mesmos que vos enganaram?
Aqueles que vos prometeram uma quimera debaixo de um conqueiro?
Aqueles que numa qualquer QUIMERA ousou tirar um CURSO em 12 meses!
BASTA! BASTA! BASTA...
Abaixo o PassosRelvas e as suas MENTIRAS !
Re: SERÁ QUE CONTINUAM DE UMA DE 117 MIL!
Re: SERÁ QUE CONTINUAM DE UMA DE 117 MIL!
Muita parra e pouca uva nas manifs
Estas imagens transmitem de forma significativa um ambiente carnavalesco que nada tem a ver com a situação.
A maior parte dos slogans não tem qualquer conteúdo ou simplesmente não é justo incluindo o lema principal "Que le lixe a troika". De facto fomos nós que, como sociedade arruinada, chamámos a troika para podermos continuar a receber salários depois termos andado um ano e meio a jogar à ingovernabilidade.
O verdadeiro problema é interno e tem a ver com a injustiça social a começar pela perda do emprego e acabando com os ricos mais ricos e os pobre mais pobres.
Assim destaco a veracidade de slogans como:
"Contratos com direitos só com as PPP"
"Escola ensina a ponderar, governo ensina a mentir"
"Cortem na despesa"
Re: Muita parra e pouca uva nas manifs
Re: Muita parra e pouca uva nas manifs
Re: Muita parra e pouca uva nas manifs
Re: Muita parra e pouca uva nas manifs
Re: Muita parra e pouca uva nas manifs
Re: Surprese
Re: Muita parra e pouca uva nas manifs
Que se lixe a Troica?
Muitos dos cartazes esgrimem a palavra de ordem "que se lixe a Troica", ao que outros comentadores se apressam a acrescentar "isso mesmo, nós queremos morrer à fome".

Este tipo de argumento é desonesto. Ele é do género, se não segues a minha solução, o mundo acaba, se não és por mim, não és por Portugal. O que este tipo de pessoas está a dizer, é que só existe um caminho... algo absurdo de se dizer em democracia.

Ainda assim, haverá vozes informadas que dirão, fomos nós que chamámos a Troica, que a chamámos para podermos receber salários. A verdade simples é que nem todos a chamaram, e muitos se opuseram a ela.

Quanto às razões do pedido, na altura havia rumores de dificuldades de tesouraria para pagar salários, mas isso não evitou que o governo anunciasse o resgate com sucesso de uma tranche da dívida nesse mês. A Troica foi chamada para evitarmos incumprimentos... mas o confisco de salários e subsídios É UM INCUMPRIMENTO, o que mostra a que tipo de incumprimentos se dava prioridade.

Talvez seja a altura de lembrar que a Troica que se "chamou", não é "esta". A que se "chamou", iria ser eficiente a resolver os nossos problemas, as nossas dívidas, prevenir a nepotência, a corrupção, trazer transparência e vigiar as coisas para que não houvessem surpresas. A troica que nos calhou vai nos deixar uma dívida de 124%, deixa este governo falar por si, aceita batotas nos números, cobrava juros punitivos e as surpresas não param. É de admirar que "estejamos" fartos?
FLAGRANTES DE PASSOS E GASPAR
Pedro Passos Coelho dirigiu-se aos portugueses no Facebook ... após o anúncio de mais impostos ... chamando-lhes "amigos"

Ontem viram-se ... eram milhares e milhares ... de Norte a Sul ... nas ruas ... os amigos de Passos Coelho ...

Numa entrevista publicada na quarta-feira no Diário de Notícias, Vítor Gaspar dizia ...
  “Não há nenhum falhanço”
“Portugueses estão dispostos a fazer sacrifícios”

Claro que não há nenhum falhanço ... e os portugueses ontem foram para as ruas dizer que estavam dispostos a fazer (mais) sacrifícios ...

Deixa lá Gaspar ... que tu também tinhas lá muitos amigos ... eram aos milhares ...

Eu não sei como é que vocês arranjaram tantos amigos ...

Ai sei sei ...
Eu estive lá.
E, repetindo as palavras de alguém
" se aquilo não é o povo, onde está o povo"?
Milhares de gente de todos os extratos sociais, idades, gente de esquerda, gente de direita, gente indignada, sofrida, revoltada, desapontada.
Lisboa estava na rua.
E a indignação caminhou durante largas horas.
Passos/ Relvas e Portas que abram os olhos.
Acabou-se a nossa confiança neste governo de mentirada e fantochada.
E de facto quem ainda defende este gangue, de certeza que está a usufruir também das suas benesses.
Só pode!

 
Re: Eu estive lá.
“Que se Lixe a Troika, Queremos as nossas Vidas”
Na verdade o título proposto significa: “Que se Lixe a Troika, Queremos perder já as nossas Vidas”

Podem ser mais subtis e dizer "Não queremos dinheiro de terceiros - queremos matar todos os portugueses em lenta agonia, sem hipótese de salvação!"
Re: “Que se Lixe a Troika, Queremos as nossas Vida
Re: “Que se Lixe a Troika, Queremos as nossas Vida
Re: “Que se Lixe a Troika, Queremos as nossas Vida
ALTO A INTOX !!!
Deixem-se de desavenças sectarias. So com o Povo unido Portugal podera sair do esgoto para onde os politiqueiros neo-liberais o arrastaram.
Alto à Social Democracia ( PSD e PSP ), cumplice dos mercados-financeiros!!!
" PARE, OLHE E ESCUTE "
Os "morgadios" do Sôr-doutor ( BURROS !!! ) representam a anemia-geral dos Portugueses.
O mundo-financeiro desconhece fronteiras-nacionais.
A media-burguesia sonha com a alta-finança e é-lhe fiel.
Para que confiar-lhes as riquezas que produzimos com o nosso trabalho?
Alto aos exploradores e opressores!
Viva a CLASSE-UNICA!
O que notei de todos os comentários sobre
as manifestações, posto que não estou em Portugal, é que os comentadores, de uma maneira geral, não estiveram na rua, não se envolveram na tal passeata, por uma caixa de razões. Parece, se estou vendo bem, que a maioria ficou em casa e, de casa, partiu quase sempre para invalidar a passeata e os motivos que a impulsionaram. Apesar de uns e outros sentirem-se abatidos com a situação portuguesa, dão a entender que as pessoas devem aceitar os fatos como determinantes e que não podem ser mudados. Alinham razões suficientes para se sentirem péssimos, mas concordam que todos são os culpados, não apenas o governo. Até este ponto, posso aceitar. Mas, a partir daí, é como ser sadomasoquista e não perceber que, o pagante de tudo é, na verdade, o trabalhador assalariado. O rico é rico independente da situação. O político, qual equilibrista, é pago para mentir e distrair. E, o investidor estrangeiro, está se lixando para Portugal, quer apenas o seu lucro. Então, presumo que muitos dos comentaristas que aqui estiveram são, na verdade, pessoas que não foram afetados pela crise. Os outros, no exercício do puro masoquismo pessoal. Por isso, não consegui entender bem o que, afinal, querem os portugueses dos políticos e dessa política, ficando em casa e só tecendo comentários sem muito rumo. Se a manifestação foi adoçada, o que pensar daqueles que não foram às ruas dizer alguma coisa? Bom domingo a todos. Rio Grande
Em auto-defesa
E porque não nas manifestações pacificas o pov munirem-se com cacetes para no caso de serem agredidos por policias infiltrados ou fardados que utilizem a violência, para poderem defender-se? Assisti e Buenos Aires a grandes manifestações pacificas onde os manifestanes eram ordeiros e só reagiam quando vitimas de provocações ou violência...por parte da policia de choque.....

é logico:
porque todos somos diferentes, a Justiça-Social principiara quando nos regermos por Direitos-iguais, aceitando respeitar Deveres-iguais!!!
MUDAR DE RUMO
O povo está decidido a não dar mais cheque branco ao governo. Ontem foi o início do que pode ser o fim deste governo. Mas isso não resolverá a situação. Eleger outro governo idêntico será repetir o mesmo erro. O PR, Cavaco Silva tem de nomear um governo de Salvação Nacional e reformar o sistema político da nação. É preciso mudar de rumo LEIAM: opaisquetemos.wordpress.com
Re: MUDAR DE RUMO/// Terei lido bem?...
Re: MUDAR DE RUMO/// Terei lido bem?...
Portugueses:
A intoleravel situação para onde nos deixamos arrastar devera servir-nos de lição, pois somos capazes de construir em Portugal aquele Futuro-novo que alguns têm tentado ( com medianos ou maus resultados ) : a DEMOCRACIA POPULAR.
VIVA A CLASSE-UNICA!
Avante para a Justiça-Social!
António José Seguro
O PS e António José Seguro devem estar vigilantes e procurar congeminar o futuro. Se o Governo de Passos capitular serão eles a liderar o país, de novo, nesta fase de inferneira. Eu não os aconselhava a terem pressa porque não vivemos uma época ordinária, estamos em tempos de transição e ninguém de bom senso pode querer ser Governo numa situação como a que vivemos. Para além dos prejuízos agravados para a economia nacional resultantes de uma crise política.
Passos já disse que não se interessa com eleições, o que parece ser verdade, portanto, deixem-no consumar a dura e ingrata tarefa de sanear as contas do Estado para podermos regressar à regularidade o mais rápido possível (15 ou 20 anos?). Aí sim, o PS poderá tornar ao normal estatuto de um partido político e começar a regular luta democrática pelo poder. Até lá, os socialistas deverão empenhar-se em auxiliar o nosso país a retornar à sua independência.
Por outro lado, o país está sob intervenção financeira estrangeira. Governar assim, além de limitativo, deve ser humilhante.
Definitivamente, Seguro é um dos principais interessados na continuidade do Governo de Passo e Portas e deverá tudo fazer para o ajudar. Seja com propostas alternativas, seja com silêncios em momentos chave. PSD e CDS deverão ser mais cooperativos entre si e chamar sempre o PS para decisões indubitáveis para a nossa economia, como teria sido o caso desta anormalidade de diminuir a TSU para os patrões, sendo os colaboradores a pagar a festa.
Re: António José Seguro/// BASTA!!!
Palavras de ordem como "Junta-te a nós", dirigidas
Palavras de ordem como "Junta-te a nós", dirigidas à Neo-Gestapo mostra a completa lavagem ao cèrebro das massas, inclusive as que tiveram coragem para protestar.
-> a Neo-Gestapo faz seu estàgio no Kosovo e Afeganistão onde os exames consistem em matar civis desarmados, no caso do Kosovo esses civis são cristãos de Mitrovica.
-> só entram para a policia de choque quando os illuminati estão convencidos que não terão hesitações para disparar sobre o próprio povo.
-> O que se passa na Siria vai acontecer em Portugal e no resto da Illuminatzilandia.
-> protest-suppression.blogspot.pt/
Comentários 35 Comentar

Últimas

Ver mais
Receba a nova Newsletter
Ver Exemplo

Pub