Anterior
Anúncio de Gaspar ao minuto
Seguinte
CGTP e UGT ausentes da reunião com ministro da Economia
Página Inicial   >  Dossiês  >  Dossies Atualidade  >  Mais austeridade  >   As 50 medidas de austeridade entre junho de 2011 e agosto deste ano

As 50 medidas de austeridade entre junho de 2011 e agosto deste ano

Desde junho de 2011, começando no memorando da troika e terminando nas novas medidas de austeridade anunciadas na semana passada, os portugueses já sofreram muitos cortes. Clique para visitar o dossiê Mais austeridade
|
As 50 medidas de austeridade entre junho de 2011 e agosto deste ano

As medidas de austeridade são sempre anunciadas como imprescindíveis. E quase sempre prometidas como as últimas. Mas os apertos de cinto têm sido sucessivos. E nem é preciso ir muito atrás no tempo. Desde o início da aplicação do memorando da troika até ao novo, brutal e muito criticado pacote de austeridade anunciado por Passos Coelho há uma semana, parece ter passado uma eternidade. Mas foi apenas um ano e três meses. E meia centena de medidas que afetam diretamente o bolso dos portugueses e os seus direitos.

Salários e pensões


1 Os funcionários públicos com vencimentos superiores a 1500 sofreram, em 2011, cortes entre 3,5 e os 10%. A medida manteve-se em 2012 e vai continuar.

2 Os trabalhadores do sector privado e do sector público perderam em 2011 o equivalente a meio subsídio de Natal, cerca de 3,5% do seu salário, através de uma sobretaxa no IRS.

3 Em 2012, os trabalhadores do Estado perderam o equivalente a duas remunerações (subsídio de Natal e de férias).

4 Em 2012, os pensionistas também ficaram sem os dois subsídios.

5 Em 2013, os trabalhadores do Estado ficam sem um dos subsídios e aumentam as contribuições para a Caixa Geral de Aposentações) - o que equivale a um corte de cerca de 14% dos salários brutos.

6 Para os trabalhadores privados, em 2013, o corte será equivalente a um dos subsídios, graças ao aumento de 7 pontos nas contribuições dos trabalhadores para a Segurança Social. Em muitos casos, a perda é superior ao equivalente a um salário líquido.

7 Corte nas pensões de reforma dos trabalhadores do Estado acima dos €1500 (cortes entre os 3,5 e os dez por cento) em 2013 e que se prolonga durante o programa da troika.

8 Passes sociais: acabam os descontos de 50% para estudantes e acabam as reduções automáticas para maiores de 65 anos.

9 Fim das reformas antecipadas aos 55 anos de 2012 em diante.

10 Corte adicional nas pensões mais elevadas: 50% do excedente de 7500 euros.

Função Pública


11 Reduziu-se o número de dirigentes da Administração Pública (menos 15% do total, 218 cargos desapareceram em 2012).

12 O número de funcionários públicos caiu 2% por ano - 19 mil a menos em 2011, quase 9 mil saíram até junho de 2012.

13 Corte de 50% do valor das horas extraordinárias a partir de 2012.

14 Corte de 168 organismos e institutos públicos, por extinção e fusão.

Trabalho


15 Corte do valor das indemnizações por despedimento no sector privado (de 30 para 20 dias por ano e com teto máximo de 12 anos).

16 Corte no subsídio de doença (uma baixa de menos de 30 dias equivale ao pagamento de 55% do salário).

17 No subsídio de desemprego: dura metade do tempo, tem um teto máximo 20% mais baixo e reduz progressivamente até 10% do valor inicialmente pago.

18 Não há tolerância de ponto no Carnaval para os funcionários públicos.

19 Eliminação de quatro feriados (a vigorar em 2013).

20 Fim dos três dias de férias de bónus por produtividade (para os trabalhadores do sector privado).

21 Limitação do acesso ao RSI (com um valor médio de €243 mensais para 370 mil famílias)

22 Corte real do salário mínimo nacional em 2013, com a anunciada subida da TSU dos trabalhadores. Em 2012 o SMN foi congelado. Uma baixa do valor real ocorre pela primeira vez na História.

23 Aumento das horas de trabalho, efeito direto do fim de feriados e de dias de férias e com o alargamento dos bancos de horas.

Fisco


24 Corte das deduções fiscais em sede de IRS (corte de 2/3 das despesas de saúde e na Educação e fim dos benefícios para os dois escalões mais altos).

25 Corte de 33% no subsídio de funeral.

26 Corte no subsídio de morte (6 salários do falecido ou máximo de €2500).

27 Aumentos das taxas municipais, decretadas em várias autarquias.

28 Corte nas isenções do IMI e aumento das taxas por reavaliação dos imóveis.

29 IVA passou de 6 para 23% em vários bens e serviços. Aumentou o imposto sobre vários produtos alimentares e restauração.

30 Taxas agravadas para bens de luxo, como automóveis, embarcações de recreio. Ainda por anunciar quanto é o valor a aplicar a partir de 2013.

31 Imóveis de elevado valor, acima de um milhão de euros, passam a ter imposto de selo ainda não especificado.

32 Rendimentos de capital tributados a 26,5% a partir de 2013.

33 Aumento do IRC (na base de incidência) e revisão das tabelas de novo em 2013.

34 Tabelas de IRS sofrem nova alteração em 2013, ainda não esclarecida. A carga fiscal, em 2011, era de 39% em Portugal, acima da média da OCDE.

35 Para as empresas foi criada uma taxa adicional de IRC.

36 No IRS a taxa adicional é de 2,5% e aplica-se ao último escalão de rendimento (incide sobre o rendimento coletável que exceda 153.300 euros).

37 E também deixou de poder deduzir despesas quem está nos últimos dois escalões de IRS.

38 Último escalão do IRS passou de 45% para 46,5%.

39 No IRC a taxa adicional é de 3% para as empresas com lucros acima de 1,5 milhões de euros e foi eliminada a taxa de 12,5% sobre o primeiro escalão de €12.500 de matéria coletável. Foi ainda criado um novo escalão da derrama estadual, para lucros tributáveis acima de 10 milhões de euros, que passam a ser tributados a 5% adicionais.

40 No final de 2011, a taxa liberatória subiu de 21,5% para 25%.

Saúde


41 Corte na comparticipação no transporte dos doentes (menos 30%) pagos aos bombeiros.

42 Corte de 200 milhões de euros nos custos dos hospitais.

43 Cortes no sector dos medicamentos (preços, margens de lucro das farmácias e grossistas, por exemplo). Permitirá gastar menos 300 milhões em 2012.

44 30% de redução no volume de horas extras nos hospitais em 2012.

45 Cortes nos reembolsos aos utentes do SNS, nomeadamente no transporte de doentes.

46 Redução de 12% a 12,5% nos preços dos exames convencionados. Poupança de 40 milhões euros por ano.

47 Taxas moderadoras - o valor das taxas duplicou em 2012 e o Estado prevê ganhar 200 milhões por ano. Por exemplo, num grande hospital como Sta. Maria, a taxa era de quase €9,60 e agora é €20.

Aumentos


48 Em 2012, o IVA da eletricidade e do gás subiu de 6% para 23%. O valor médio da conta de gás (incluindo todos os impostos e taxas) de uma família no concelho de Lisboa aumentou 27%, entre julho de 2011 e julho de 2012 (de €16,73 para €21,30). Já a fatura de eletricidade subiu 8,8% entre 2010 e 2012, de acordo com o índice de preços da ERSE. Entre 2011 e 2012 uma fatura média passou de €47,59 para €49,88 (mais 4,8%). Com base no inquérito do INE aos gastos das famílias, entre 2005 e 2011, verifica-se que a conta do gás subiu 76,6% e a da eletricidade 25%.

49 Com a entrada em vigor da nova lei das rendas, prevê-se este ano um aumento de 3,36% (o maior desde 2004) que vai afetar cerca de 600 mil famílias.

50 Os preços dos transportes públicos subiram 20%, entre 2011 e 2012.

Texto publicado na edição do Expresso de 15 de setembro de 2012

Opinião


Multimédia

Lombinho de porco com broa e batata a murro

Especialista em pratos de confeção acessível, com ingredientes ao alcance de qualquer pessoa, Tiger escolheu a gastronomia como forma de estar na vida. Veja, confecione, desfrute e impressione.

Desaparecidos para sempre no Mar do Norte

O dia 15 de novembro já foi feriado, há 90 anos. A razão foi o desaparecimento de Sacadura Cabral algures no Mar do Norte. Depois de fazer mais de oito mil quilómetros de Lisboa ao Rio de Janeiro, o aviador pioneiro não conseguiu completar o voo entre a cidade holandesa de Amesterdão e a capital portuguesa. Ainda hoje, não se sabe o que aconteceu ao companheiro de Gago Coutinho e tio-avô de Paulo Portas, a quem o Expresso pediu um sms.

Os muros do mundo

Novembro relembrou-nos os muros que caem, mas também os que permanecem e os que se expandem. Berlim aproximou-se de si própria há 25 anos, mas há muros que continuam a desaproximar. Esta é a história de sete deles - diferentes, imprevisíveis, estranhos.

Tudo o que precisa de saber sobre o ébola. Em dois minutos

Porque é que este está a ser o pior surto da história? Como é que os primeiros sintomas se confundem com os de outras doenças? É possível viajar depois de ter contraído o vírus, sem transmitir a doença? E estamos ou não perto de ter uma vacina? O Expresso procurou as respostas a estas e outras dúvidas sobre o ébola.

A última viagem do navio indesejado

Construído nos Estaleiros de Viana e pensado para fazer a ligação entre ilhas nos Açores, o Atlântida foi recusado pelo Governo Regional por alegadamente não atingir a velocidade pretendida. Contando com os custos associados à dissolução do contrato, o prejuízo ascendeu a 70 milhões de euros. Foi agora comprado a "preço de saldo", para mudar de nome e ser reconvertido num cruzeiro na Amazónia. Fizemos a última viagem do Atlântida e vamos mostrar-lhe os segredos do navio.

O papa-medalhas que veio do espaço

O atleta português mais medalhado de sempre, Francisco Vicente, regressou dos campeonatos europeus de veteranos, na Turquia, com novas lembranças ao pescoço. Três de ouro e duas de prata para juntar à coleção. Tem 81 medalhas, uma por cada ano de vida.

Terror religioso está a aumentar

Relatório sobre a Liberdade Religiosa é divulgado esta terça-feira em todo o mundo. Dos 196 países analisados, só em 80 não há indícios de perseguições motivadas pela fé.

Vai pagar mais ou menos IRS? Veja as simulações

Reforma do imposto protege quem tem dependentes a cargo, mas pode penalizar os restantes contribuintes. Função pública e pensionistas vão ter mais dinheiro disponível. Veja simulações para vários casos.

Tem três minutinhos? Vamos explicar-lhe o que muda no orçamento de 350 mil portugueses (e no de muitas empresas)

O novo salário mínimo entrou em vigor. São mais €20 brutos para cerca de 350 mil portugueses (números do Ministério da Segurança Social, porque os sindicatos falam em 500 mil trabalhadores). Mudou o valor, mas também os descontos que as empresas fazem para a Segurança Social. Porque se trata de uma medida que afeta a vida de muitos portugueses, queremos explicar o que se perde e o que se ganha, o que se altera e o que se mantém.

Music fighter: temos Marco Paulo e Bruno Nogueira numa batalha épica

Está preparado para um dos encontros mais improváveis na história da música portuguesa? O humorista Bruno Nogueira e a cantora Manuela Azevedo, dos Clã, pegaram em várias músicas consideradas "pimba" - daquelas que ninguém admite ouvir mas que, no fundo, todos vão dançar assim que começam a tocar - e deram-lhe novos arranjos, num projeto que chegou aos coliseus de Lisboa e do Porto.  "Ninguém, ninguém", de Marco Paulo, tem possivelmente a introdução mais acelerada e frenética do panorama musical português. Mas, no frente-a-frente, quem é o mais rápido? Vai um tira-teimas à antiga?

Dez verdades assustadoras sobre filmes de terror

Este vídeo é como o monstro de "Frankenstein": ganhou vida graças à colagem de partes de alguns dos filmes mais aterrorizantes de sempre. Com uma ratazana mutante e os organizadores do festival de cinema de terror MotelX pelo meio. O Expresso foi à procura das razões que explicam o fascínio pelo terror, com muito sangue (feito de corante alimentar) à mistura. 

A paixão do vinil

Se para muitos o vinil é apenas uma moda que faz parte da cultura do revivalismo vintage, para outros ver o disco girar nunca deixou de ser algo habitual.

Portugal foi herdado, comprado ou conquistado?

Era agosto em Lisboa e, às portas de Alcântara, milhares de homens lutavam por dois reis, participando numa batalha decisiva para os espanhóis e ainda hoje maldita. Aconteceu em agosto de 1580. Mais de 400 anos depois, o Expresso deu-lhe vida, fazendo uma reconstituição do confronto através do recorte e animação digital de uma gravura anónima da época.

O Maradona dos bancos centrais

Dizer que Mario Draghi está a ser uma espécie de Maradona dos bancos centrais pode parecer estranho. Mas não é exagerado. Os jornalistas João Silvestre e Jorge Nascimento Rodrigues explicaram porquê num conjunto de artigos publicado no Expresso em Novembro de 2013 e que venceu em junho deste ano o prémio de jornalismo económico do Santander e da Universidade Nova. O trabalho observa ainda o desempenho de Ben Bernanke no combate à crise, revisita a situação em Portugal e arrisca um ranking dos 25 principais governadores de bancos centrais. Republicamos os artigos num formato especial desenvolvido para a web.

Com Deus na alma e o diabo no corpo

Quem os vê de fora pode pensar que estão possuídos. Eles preferem sublinhar o lado espiritual e terapêutico desta dança - chamam-lhe "krump" e nasceu nos bairros pobres dos Estados Unidos. De Los Angeles para Chelas, em Lisboa, já ajudou a tirar jovens do crime. Ligue o som bem alto e entre com o Expresso no bairro. E faça o teste: veja se consegue ficar quieto.

O Cabo da Roca depois da tragédia que matou casal polaco

Os turistas portugueses e estrangeiros que visitam o Cabo da Roca, em Sintra, continuam a desafiar a vida nas falésias, mesmo depois da tragédia que resultou na morte de um casal polaco, cujos filhos menores estavam também no local. Durante a visita do Expresso, um segurança tentou alertar os turistas para o perigo e refere a morte do casal polaco. O apelo não teve grande efeito. Veja as imagens.

Ó Capitão! meu Capitão! ergue-te e ouve os sinos

Ele foi a nossa ama... desajeitada. Ele foi o professor que nos inspirou no liceu. Ele trouxe alegria, mesmo nas alturas mais difíceis. Ele indicou-nos o caminho na faculdade. Ele ensinou-nos a manter a postura, mas também a quebrar preconceitos. Ele ensinou-nos que a vida é para ser aproveitada a cada instante. Ó capitão, meu capitão, crescemos contigo e vamos ter de envelhecer sem ti. 


Comentários 11 Comentar
ordenar por:
mais votados
É o país que está em causa
Enquanto este país não estiver completamente destruído e os portugueses na completa e abjecta miseria , este governo não descansará.

Os portugueses só têm mesmo uma opção se ainda acreditam em Portugal e nos portugueses , saír para a rua para defender o país já que ninguem o defende no parlamento.

Há que ír a todas as manifestações que se puderem , sejam apartidárias ou não , porque isto já ultrapassa em muito os partidos e os sindicatos , já que é o país que está em causa , é uma questão de salvação nacional correr com este governo incompetente até na sua cartilha ideológica , negligente e traidor o mais rapido possível , antes que este aniquile completamente o país.
A fraude política deste governo
E segundo o Passos Coelho e o PSD na altura , os portugueses já não aguentavam mais os sacrifícios com o PEC4 , quantos PECS não estão aqui.

Se fosse um PEC por cada medida teríamos aqui 50 PECs.

Este governo é uma autêntica fraude política , que por comportamento imoral e de engano total aos portugueses não tem qualquer legitimidade política.

É um governo que só sabe destruír o país e a vida dos portugueses , tem que ser derrubado o mais rapido possível antes que aniquile de vez o país e a vida dos portugueses,
Re: A fraude política deste governo
Depois esquerdo rouba ainda mais o bolso direito
A unica diferença em relação à TSU , é que da vez de roubar o bolso esquerdo dos trabalhadores , rouba o direito , com um aumento medio de 35% no IRS , ou seja ainda um corte maior nos salários do que o que seria feito na TSU.

Ou seja na prática , este governo pune e vinga-se dos portugueses com um roubo ainda maior por estes o terem obrigado a recuar na TSU.

Um governo de ladrões que só sabe roubar quem trabalha , não tem competência para mais.

O pior é que ao cortar ainda mais o rendimento dos trabalhadores vai afundar a economia portuguesa de vêz numa espiral recessiva como a Grecia.

Para fazer o que está fazer , não era preciso governo , pelo menos a situação pior não estria , já que este governo nada faz para reerguer a economia e combater o desemprego , pelo contrario , ainda afunda mais a economia e faz alastrar o desemprego como uma epidemia.

Próximo 5/10 promete ser intenso em cidadania
O próximo e último 5 de Outubro promete ser intenso em termos de cidadania.

Resgatar Portugal para um futuro decente
Congresso Democratico das Alternativas - Aula Magna Univ. Lisboa

www.congressoalternativas.org/

Concentrações previstas :

Palácio de Belem - 10 horas

5 de Outubro em Belem (BASTA)

www.facebook.com/#!/events/102544873233250/?fref=ts

Assembleia da República - 17 horas

www.facebook.com/#!/events/364911966918981/
Já não estamos de tanga
a tanga já quase k nem se vê, já vamos com akelas mini tangas do borat lol
Não Funciona,Nem via Funcionar.
"O Governante que continuamente aumenta os impostos é um Louco"
Proverbios (Biblia)
Neo liberalismo da Pacotilha
Menos Estado, Mais impostos para pagar juros de agiotas (já é superior ao que se gasta com a saúde).

Renegociação dos juros!? Nem pensar, a submissão irá trazer-nos a luz..

QUE SAUDADES DOS PEC...
E pensar que esta corja derrubou o Sócrates com o argumento de que a carga fiscal já tinha superado todos os limites...
Longe de mim defender o Sócrates. Nem ele está preocupado com isso, lá em Paris, onde provavelmente anda a ver se consegue subornar os professores para lhe darem uma licenciatura... Mas cada vez que me lembro que a malta da direita se fartou de lhe chamar mentiroso apetece-me pôr-me no lugar dele e perguntar: «E SOU SÓ EU? CADÊ OS OUTROS?».
Vou passar
a komprar tambem o tabako de enrolar em españa...
kada vez kompensa mais passar a fronteira para ir ás kompras e atestar o deposito...(sempre são 200 km), uma vez por mês e traz-se mais 1/3 das koisas que kompraria por ká... o ke vale é o karro ser a gasoleo, gastar pouko (kondução poupadinha e estrada 'nassional').
Vale "por lo passeo e por la kuenta..." e porke sempre é bom saber ke o meu dinheiro não vai encher o ku a politikos gulosos.
NOTA: Este komentário foi eskrito ainda para além do Novo Akordo Ortografiko
PEDRO PASSOS COELHO,e o ser vivo mais mentiroso
Como e que consegue dormir,ao estar a maltratar de uma forma tao cruel os portugueses .Voce e mentiroso, foi traidor para com os portugueses.Voce destruiu a classe media, e para satisfazer os seus caprichos e dos seus amigos,colocou o pais na miseria absoluta.Voce e um traidor, porque mentiu aos portugueses durante a campanha para as eleiçoes e, apos estas, o governo começou a roubar aos portugueses tudo o que eles tinham.Criticava os que o antecederam,e tinha toda a razao.Mas, voce e ainda muito pior.Lembro-me constantemente do periodo da ditadura em que vivi na minha infancia e na minha juventude.
Comentários 11 Comentar

Últimas


Pub