Siga-nos

Perfil

Expresso

Fundos de investimento

2010 fez bem aos fundos de pensões

Os fundos de pensões estão com rendibilidade positiva desde o início do ano. Clique para visitar o canal Dinheiro

Ana Pimentel

Os fundos de pensões portugueses renderam 1,8% em Março e 1,9% desde o início do ano. A classe de activos com maior rendibilidade foram as acções (6,8% no mês de Março), enquanto que as obrigações se ficaram pelos 0,6%. Desde o começo de 2010, a diferença é menor: as obrigações renderam 2,1% e as acções mais 2%. Em Março, as acções europeias renderam mais do que as outras acções estrangeiras (7% contra 6,4%), mas desde o início do ano são as últimas que obtêm maior rendibilidade (5,3% contra 3,6% das europeias).

"O mercado accionista obteve uma boa performance no mês de Março devido à estabilização das condições macroeconómicas em que os mercados operam, verificando-se algum crescimento económico a par de baixa inflação", diz a consultora Mercer em comunicado. Depois dos problemas nas contas públicas, discutem-se agora os planos "concretos" de recuperação orçamental.

"Os mercados também reagiram positivamente ao crescimento da população industrial na China e nos Estados Unidos da América (EUA), à subida do preço do petróleo e ao crescimento do emprego nos EUA", indica a Mercer. Segundo a consultora, no mercado de obrigações de taxa fixa Euro, a maior componente de investimento das carteiras dos fundos de pensões portugueses, a curva de rendimentos acentuou um pouco mais a sua inclinação positiva. "A yield das obrigações de dívida privada com qualidade de crédito AA e maturidade superior a 10 anos, índice de referencia para as taxas de desconto dos fundos de pensões, era de 4,61% no final do mês", conclui.

Os fundos de pensões são patrimónios autónomos destinados exclusivamente ao financiamento de planos de reforma. Por isso, constituem um conjunto de activos cujo único objectivo é proporcionar o pagamento futuro dos benefícios previstos.

Estes fundos podem ser abertos ou fechados: os últimos dizem respeito apenas a um associado ou quando se verifica que existe um elo de natureza empresarial, associativo, profissional ou social. Os Planos Poupança Reforma/Educação e os Planos Poupança em Acções, quando constituídos sob a forma de fundos de pensões, tornam-se fundos abertos, permitindo a adesão individual.

Nos últimos cinco anos o fundo de pensões aberto gerido em Portugal mais lucrativo foi o Espírito Santo Multireforma, com 4,01% por cada ano investido, mas nos últimos 12 meses alguns outros se distinguiram como o Espírito Santo Multireforma Acções que subiu 58%, apostando forte em acções e o Horizonte Valorização Mais que cresceu 20% no mesmo período. Conheça os fundos de pensões em actividade na página da Associação Portuguesa de Fundos de Investimento, Pensões e Patrimónios (APFIPP).