23 de abril de 2014 às 20:03
Página Inicial  ⁄  Atualidade / Arquivo   ⁄  António Costa: coligação está aberta ao PCP
Com vídeo

António Costa: coligação está aberta ao PCP

"Da minha parte, não há razão nenhuma para alterar uma equipa que funciona, por isso deve-se manter", disse o presidente da CML. O autarca socialista deixa a porta aberta também à participação do PCP
Lusa
«Em condições normais serei naturalmente candidato» Mário Cruz/Lusa «Em condições normais serei naturalmente candidato»

A confirmar-se a recandidatura para a presidência da Câmara de Lisboa nas autárquicas de 2013, António Costa quer manter a coligação com os movimentos de Helena Roseta e Sá Fernandes e mostra abertura à participação do PCP.

Em entrevista à agência Lusa para assinalar o quinto ano da sua liderança da capital, que se regista na quarta-feira, o autarca admitiu que "se as eleições fossem amanhã" seria o candidato socialista na disputa da Câmara de Lisboa em 2013.

"Em condições normais serei naturalmente candidato: se estiver de boa saúde, se estiver de consciência tão tranquila quanto tenho estado quanto ao trabalho que tenho feito e se tiver condições para uma equipa e um projeto mobilizadores e bons para a cidade", reafirmou o autarca.

António Costa mostrou também a intenção de manter a coligação com os movimentos liderados por Helena Roseta (Cidadãos por Lisboa) e por José Sá Fernandes (Lisboa é muita gente), com os quais conseguiu a maioria no executivo da capital.

Trabalho com independentes é positivo 


"Da minha parte, não há razão nenhuma para alterar uma equipa que funciona, por isso deve-se manter", afirmou. Recordando que na maioria que lidera no executivo camarário apenas três dos nove vereadores são militantes do PS, António Costa elogiou o trabalho de uma equipa "muito plural".

"A experiência destes anos de trabalho com estas pessoas, que são independentes, como Manuel Salgado, Maria João Mendes, José Sá Fernandes, Helena Roseta ou Nunes da Silva, tem sido positiva. Nem sempre estamos todos de acordo uns com os outros relativamente a tudo, mas temos criado um quadro de governabilidade na câmara que é muito importante", considerou.

O autarca socialista deixa a porta aberta também à participação do PCP numa candidatura alargada nas autárquicas do próximo ano, uma hipótese discutida desde 2007 e que, da sua parte, "nunca esteve fechada".

"Têm sido as outras partes a fechá-la [a coligação], nunca eu. Mas não posso passar a vida a insistir naquilo que os outros não querem. A minha vontade é conhecida desde 2007 e não está alterada.

A porta está aberta", disse o autarca. Referindo-se ao trabalho do vereador do PCP na câmara, Rúben de Carvalho, António Costa recordou que tem havido "convergência em muitas das matérias", mas que em algumas situações o autarcacomunista "faz questão de marcar a diferença" quanto à maioria.

"Muito que fazer antes das autárquicas" 


"Pode ser que haja evolução [nas próximas eleições], mas não sei mesmo. Por mim tenho a porta aberta e continuará a estar. São precisos sinais de convergência, mas não notei nada nesse sentido", referiu.

No entanto, e devido à "situação complexa do país e da vida municipal", o autarca da capital mostrou-se mais concentrado "cumprir o mandato", antes de começar a pensar nas próximas eleições.

"Até as autárquicas temos muita coisa para fazer. Há um quadro legislativo novo com as empresas municipais, pode haver um novo quadro da lei das competências das autarquias, há a aplicação prática da lei dos compromissos... E obras que temos em mãos. Temos muita coisa para nos concentrarmos para começarmos a pensar nas autárquicas", defendeu.

António Costa foi eleito pela primeira vez como presidente da Câmara de Lisboa nas eleições intercalares de 2007 com 29,54% dos votos e cumpriu um mandato de dois anos, após o qual reconquistou a presidência da autarquia em 2009, em coligação com Helena Roseta e José Sá Fernandes, conseguindo assim uma maioria no executivo.

Comentários 39 Comentar
ordenar por:
mais votados ▼
Assim tinhsmod uma alternativa patriótica
E que dizer das centenas de milhares de pessoas idosas, que
vivem numa penúria dramática? Os que, com muitos anos de trabalho,
contribuiram para fazer a riqueza do país, recebem do Estado, , ao fim da
vida, uma verdadeira esmola. E há ainda o problema da educação dos filhos.
Há o aumento do desemprego. Depois, o que fica, para viver, para olhar pelos
filhos, como se desejaria, para a cultura, para o amor? A solução, não passa
por criticar sem apresentar um programa comum de esquerda, onde os problemas
levantados pelo desenvolvimento e as necessidades que esse desenvolvimento faz
surgir exigem uma transformação profunda das estruturas económicas do país.
A união é, na verdade, um meio essencial para o êxito do combate contra os
tecnocratas neo liberais...e actualmente os ultra liberais...que querem impor em Portugal uma ideologia copiada da Escola de Chicago do economista Friedman que nos tem levado à miséria, à corrupção e ao enriquecimento de uma minoria parasita...
Nota: Seria o concretizar de uma luta que à muito tempo venho aqui a fazer. Eu que nunca pertenci a nenhum partido politico nem sou comunista, mas sim socialista intelectualmente de esquerda ficaria satisfeito se fosse possivel uma solução dessas com aconteceu ha alguns anos em França. Agora resta saber se o partido comunista participaria nesse acontecimento histórico em Portugal. Seria uma verdadeira alternativa a esta coligação ultra liberal que está a destruir o País..

Re: Assim tinhsmod uma alternativa patriótica Ver comentário
Coligação PS/PCP?
É o que propõe António Costa,mesmo sabendo que isso não vai dar resultado para o País.
Se em Lisboa e na Câmara isso funciona,já num quadro nacional isso seria prejudicial ao PS.Costa sabe-o bem,mas precisa dos votos comunistas na sua recandidatura.
O António Costa não sabe o que diz. Ver comentário
Re: O António Costa não sabe o que diz. Ver comentário
Assim tinhamos uma alternativa patriótica
Deixemo-nos de conversas da treta e divisionistas na esquerda. Entendam-se e
constituam um programa comum de esquerda, se verdadeiramente querem alterar a
crise moral grave do País. O problema de mudar está na ordem do dia da vida
da nação. Hoje milhões de homens e mulheres dizem: "isto não pode continuar
assim". As causas desse descontentamento são simples: o regime agrava
constantemente as dificuldades da vida de todas as camadas da população
trabalhadora. Por isso, todos se interrogam agora com inquietação, e mesmo
com ansiedade, sobre a situação, sobre o futuro. A instabilidade domina.
Domina a insegurança. Milhões de familias, vivem mal, por vezes na miséria.
Dia após dia, multiplicam-se os problemas que têm por diante,
transformando-se em preocupações angustiantes e até em verdadeiros dramas.
Os salários são insuficientes, os preços sobem a uma velocidade nunca vista,
os impostos não param de aumentar e esmagam os pequenos orçamentos. Assim ,
para o dia a dia, as familias de trabalhadores são obrigadas a sacrificios
permanentes, as privações de toda a ordem, inclusive nos aspectos mais
vitais. Poupa-se na comida. E, por isso, nas casas dos trabalhadores,
consome-se menos carne, menos legumes frescos, menos frutos frescos. Poupa-se
nas férias. E para mais há o receio sempre crescente de que a doença atinja
quem trabalha. (continua)

Sócrates e Louçã:os moralistas do mentiu ou não Ver comentário
Re: Assim tinhamos uma alternativa patriótica Ver comentário
Re: Assim tinhamos uma alternativa patriótica Ver comentário
Re: Assim tinhamos uma alternativa patriótica Ver comentário
Re: Assim tinhamos uma alternativa patriótica Ver comentário
Re: Assim tinhamos uma alternativa patriótica Ver comentário
Duo
O António Costa com o apoio jornalístico do irmão, o vosso Ricardo Costa, é capaz de tudo só para satisfazer os seus interesses pessoais.
Re: Duo Ver comentário
Ó Costa
Na altura de preparar o tacho convida-se toda a gente, depois para o lambuzar já é outra loiça, é para os boys do costume.
Existe muita gente que já deve 100 anos à cadeia.
Alguem me pode informar do grau deste 'IRMAO' ...
Os 'IRMAOS'estao-se a mexer...... nao vem coisa boa dai.
Re: Alguem me pode informar do grau deste 'IRMAO' Ver comentário
irmao e a maezinha deles tambem...... Ver comentário
o estado empedernido do socialismo
Dilvulgue-se
Eestao a tentar meter pessos na cadeia por e-mails enviados. Alguem que envie dois e.mails difamatorios para a camara de Tavira recebe pela investigaçao nada rigorosa do Ministerio publico; cinco crime sde difamaçao, alguns agravada. Ora isso da varios anos de prisao! E naos e sabe quem é exatamente o autor desses e.mails. Este é o estado fascista que em nome da democracia tem sido implantado em Portugal pelos socialistas !. Perguntava ; se fosse um cidadao comum a ser atingido poe estes e.mails ( ate porque o bom senso mandava apagra estas banalidades) o Ministerio publico atribui tantos crimes ou simplesmente arquivava? Por aqui se ve que este estado todo poderoso controlado pelos feudos socialistas nao serve a democracia ! e os e.mails neme stao identificados !
É só hipocrisia
Sr. António Costa, o que o motiva para continuar com a coligação, é o bom trabalho realizado, ou é o facto de sem eles, se acabarem os tachos para todos?, porque que é que, onde o PS sabe que ganha sozinho, não faz coligação com as mesmas forças políticas?, se as sondagens lhe derem uma vitória folgada, concorrendo só, continua com a coligação?, deixe-se de hipocrisias, os portugueses conhecem a política e os ideais dos políticos!!
A esuerda ve-se na pratica
Ele que apresente o programa e depois logo se vê. A sigla PS só por si não vale nada;nem sequer garantia de esquerda
o que fazer em LX?
Em Lx a esquerda funciona...
Pois, tirando a requalificação do intendente, o que é que funciona mesmo em Lx?
é a PM q n tem $ para atestar os veículos; são os "almeidas" que se recusam a trabalhar; são as "obras de santa engrácia", com estradas esburacadas (só não percebo como os automobilistas que furam e que partem amortecedores,entre outras coisas,não remetem as respectivas faturas para a CML); é o Bairro Alto, c mercearias abertas até às 2h para concorrerem com as suas litrosas a 1,5 € com os bares daquela zona emblemática; é o lema de devolver a baixa aos lisboetas?!?!?; tudo funciona,pela esquerda,em Lisboa...
Não fora o chorudo prémio pelos terrenos do aeroporto e a esquerda teria os dias contados na edilidade...
se calhar é por isso que os portugueses tanto investem nos jogos da santa casa, um dia a sorte bate-nos à porta...
Espero que o PCP diga não
Já não dá para disfarçar o mal que o sistema partidocrático em Portugal está a fazer ao País. PSD e PS são as duas faces mais negras de uma mesma moeda que, alternadamente, tem governado (mal) o País, promovendo os seus dirigentes através de umas gosmas nojentas chamadas jotas e acobertando as suas malfeitorias através de uma rede imensa de influências começada na Maçonaria e acabada nas associações de bairro. Partidos como o PCP, o BE e (cada vez menos) o CDS, ainda se mantêm mais ou menos impolutos. Mas só podem constituír verdadeiras alternativas de Poder se assumirem o seu radicalismo no espectro político e, sozinhos, convencerem o Eleitorado que o Bloco Central é um polvo cinzento que está a minar a Democracia.
Pessoalmente, gostaria de poder votar em pessoas descomprometidas com tudo o que não seja uma ideologia e uma ideia para o País. Por isso, do PS e do PSD fujo que nem o Diabo da Cruz.
Força!
Será reconhecimento da fraqueza do PS de Seguro?

Quero relembrar apenas que foi um Estado gordo (de despesa) (e PPPs ruinosas) que nos trouxeram aqui. Acabar com PPPs para voltar a engordar o Estado e o funcionalismo público não é solução. Tem de se cortar em tudo, ao mesmo tempo que se incentiva o investimento privado. E só há investimento se houver dinheiro.. nos bancos, para emprestar às empresas. Este governo infelizmente ainda não fez o seu trabalho no capítulo do investimento e nos cortes das PPPs..
tirem o cavalo da chuva
e hipocrita e cinica a retorica de costa,ele sabe bem que o pcp nao aceita coligaçoes e depois se ve,o pcp nao aceita o poder pelo poder,so vai para la se for para resolver os problemas da populaçao,costa mente ,o ps nunca convidou o pcp para discutir aconvergencia formalmente em lisboa,orque nao com vontades pessoais ,mas sim com programas concretos que vao ao encontro das necessidades do povo,e evidente que o pcp/cdu vota todas as propostas positivas para a populaçao venham de quem vierem mas tambem nao podem estar com deus eo diabo emtudo,opcp ja fez sacrificios para o bem do povo de lisboa ao abdicar da presidencia da camara para sampaio quando o pcp tinha 30% e o ps 15% portanto nao nos deiam liçoes esquerda,mas eu cnfio no pcp e sei que fara aquilo que for o melhor
Resolver os problemas da populaç Ver comentário
Re: tirem o cavalo da chuva Ver comentário
Re: tirem o cavalo da chuva Ver comentário
Sem novidade
Mas a CML já funciona em cogestão com o PCP. Quem manda no lixo e nas ruas é o PCP. Grandes fatias de poder estão nas mãos do dito partido, através das poderosas células enquistadas no aparelho da CML. E de acordos formais e informais de colaboração e partilha de ganhos politicos e não só. O que António Costa faz é comprar a paz com benesses ao PCP e outras faixas da esquerda. À custa dos interesses da cidade, e dos seus habitantes, claro. E em aliança com empresas privadas e municipais e de grupos económicos que ganham com a construção e a devastação do espaço do concelho que é uma selva de cimento cortada por autostradas (e agora para nos dar um rebuçado, por algumas ciclovias). A CML está entregue às clientelas e é um monstro de departamentos, comissões e estruturas de missão. Com milhares de funcionários nos gabinetes. Sem ofensa para os muitos funcionários que aí trabalham honestamente e sem culpa da situação. Nada de novo portanto nesta oferta de AC.
UNIÃO NACIONAL
A BOA TACTICA COMUNISTA, QUANDO SE NÃO PODEM DOMINAR, TENTAM-SE ADICIONAR. SE FOSSE VERDADE, MAIS PARECIA O ALBERGUE ESPANHOL, PARA NÃO DIZER A UNIÃO NACIONAL. DISTO O HOMEM PERCEBE, DEVE TER LIDO OS LIVROS TODOS DO MARXISMO-LENINISMO. ENTÃO O TRABALHO É TÃO BOM QUE PRECISA DE MAIS ALIADOS. GRANDE CALDO.
eu diria antes comuna de lisboa Ver comentário
PUBLICIDADE
Expresso nas Redes
Pub