Anterior
Piloto sírio fugiu do país em caça-bombardeiro
Seguinte
Líder parlamentar do PSD admite extinção do Tribunal Constitucional
Página Inicial   >  Atualidade / Arquivo   >   Anders Breivik poderá ser internado num hospital psiquiátrico

Anders Breivik poderá ser internado num hospital psiquiátrico

Acusação pediu ao tribunal que o autor dos atentados de Oslo seja internado num hospital psiquiátrico. Julgamento de Anders Breivik, acuasado de matar 77 pessoas, entrou hoje na fase final.
agências |
Anders Breivik, sorridente, na última sessão do seu julgamento, que hoje entrou na fase final
Anders Breivik, sorridente, na última sessão do seu julgamento, que hoje entrou na fase final / Getty Images

Na presença dos jurados, o Ministério Público norueguês pediu hoje ao tribunal de Oslo o internamento, num hospital psiquiátrico, do atirador Anders Breivik, autor confesso dos dois atentados de julho de 2011 na Noruega que resultaram na morte de 77 pessoas. A acusação apresentou as conclusões do parecer médico sobre o estado mental do réu.

O julgamento do autor dos massacres de Oslo entrou hoje na sua fase final. Se o tribunal norueguês reconhecer que o réu sofre de graves perturbações mentais, será internado, caso seja considerado imputável, Breivik poderá ser condenado a 21 anos de prisão.

Peritos dizem que Breivik é imputável


Há pouco mais de uma semana, durante o julgamento, alguns especialistas ouvidos no tribunal de Oslo afirmaram que Anders Breivik é mentalmente capaz para ser responsabilizado criminalmente.

Um desses peritos, Eirik Johannesen, disse estar "plenamente convencido" de que Breivik não estava fora de si no momento dos atentados, e que os seus atos não tiveram origem patológica, mas sim nos seus ideais.

O psicólogo, que observou o réu durante 26 horas no período de detenção, descreveu o seu contato com Breivik: "era como encontrar Hannibal (Lecter)", a personagem do filme "O Silêncio dos Inocentes".


Opinião


Multimédia

Portugal foi herdado, comprado ou conquistado?

Era agosto em Lisboa e, às portas de Alcântara, milhares de homens lutavam por dois reis, participando numa batalha decisiva para os espanhóis e ainda hoje maldita. Aconteceu em agosto de 1580. Mais de 400 anos depois, o Expresso deu-lhe vida, fazendo uma reconstituição do confronto através do recorte e animação digital de uma gravura anónima da época.

A paixão do vinil

Se para muitos o vinil é apenas uma moda que faz parte da cultura do revivalismo vintage, para outros ver o disco girar nunca deixou de ser algo habitual.

Com Deus na alma e o diabo no corpo

Quem os vê de fora pode pensar que estão possuídos. Eles preferem sublinhar o lado espiritual e terapêutico desta dança - chamam-lhe "krump" e nasceu nos bairros pobres dos Estados Unidos. De Los Angeles para Chelas, em Lisboa, já ajudou a tirar jovens do crime. Ligue o som bem alto e entre com o Expresso no bairro. E faça o teste: veja se consegue ficar quieto.

O Cabo da Roca depois da tragédia que matou casal polaco

Os turistas portugueses e estrangeiros que visitam o Cabo da Roca, em Sintra, continuam a desafiar a vida nas falésias, mesmo depois da tragédia que resultou na morte de um casal polaco, cujos filhos menores estavam também no local. Durante a visita do Expresso, um segurança tentou alertar os turistas para o perigo e refere a morte do casal polaco. O apelo não teve grande efeito. Veja as imagens.

Ó Capitão! meu Capitão! ergue-te e ouve os sinos

Ele foi a nossa ama... desajeitada. Ele foi o professor que nos inspirou no liceu. Ele trouxe alegria, mesmo nas alturas mais difíceis. Ele indicou-nos o caminho na faculdade. Ele ensinou-nos a manter a postura, mas também a quebrar preconceitos. Ele ensinou-nos que a vida é para ser aproveitada a cada instante. Ó capitão, meu capitão, crescemos contigo e vamos ter de envelhecer sem ti. 

Crumble. A sobremesa mais fácil do mundo

Tiger escolheu a gastronomia como forma de estar na vida, especialista em pratos de confeção acessível, com ingredientes ao alcance de qualquer pessoa. Veja, confecione, desfrute e impressione.

Voámos num F-16

Um piloto da Força Aérea voou com uma câmara GoPro do Expresso e temos imagens inéditas e exclusivas para lhe mostrar num trabalho multimédia.

Salada de salmão com sorvete de manga

Especialista em pratos de confeção acessível, com ingredientes ao alcance de qualquer pessoa, Tiger escolheu a gastronomia como forma de estar na vida. Veja, confecione, desfrute e impressione.

Por faróis nunca dantes navegados

São a salvaguarda dos navegantes, a luz que tranquiliza o mar. Há 48 faróis em Portugal continental e nas ilhas. Este é um acontecimento único: todos os faróis e 1830 km de costa disponíveis num mesmo trabalho. Para entendê-los e vê-los, basta navegar neste artigo.

Parecem casulos onde gente hiberna à espera de ver terra

No Porto de Manaus não há barcos, mas autocarros bíblicos que caminham sobre água. Têm vários andares e estão cheios de camas de rede que parecem casulos onde homens, mulheres e crianças aguardam o destino. E há gente a vender o que houver e tiver de ser junto ao Porto. "Como há Copa, tem por aí muito gringo que vem ter com 'nóis'. E então fica mais fácil vender"

O adeus de Lobo Antunes às aulas de medicina

O neurocirurgião deu terça-feira a sua "Última Lição" no auditório do Instituto de Medicina Molecular da Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa, na véspera de deixar o seu trabalho no serviço nacional de saúde.

Jaguar volta a fabricar desportivo dos anos 60

Até ao verão será fabricado um número limitado de desportivos Jaguar E-Type Lightweight, seguindo todas as especificações originais, incluindo a continuação do número de série das unidades produzidas em 1963.

"Naquela altura estavam continuamente a acontecer primeiras coisas"

Mais do que uma manifestação, o 'primeiro' 1º de Maio é recordado como a grande festa da Revolução dos Cravos, quando o povo saiu às ruas em massa e a união das esquerdas era um sonho possível. "O 1º de Maio seria mais uma primeira coisa, porque naquela altura estavam continuamente a acontecer primeiras coisas." Foi há 40 anos.

Este trabalho não foi visado por qualquer comissão de censura

Aquilo que hoje é uma expressão anacrónica estava em relevo na primeira página do "República", a 25 de Abril de 1974: "Este jornal não foi visado por qualquer comissão de censura". Quarenta anos depois da Revolução, veja os jornais, ouça os sons e compreenda como decorreu o "dia inicial inteiro e limpo", como lhe chamou Sophia. O Expresso falou ainda com cinco gerações de 40 anos e percorreu a "geografia" das Ruas 25 de Abril de todo o país, falando com quem lá mora. Veja a reportagem multimédia.


Comentários 5 Comentar
ordenar por:
mais votados
Façam o mesmo com o Otelo e restante cambada
COMUNISTA que apoiou as FPS, o PREC e restantes crimes abrilisticos
Re: Façam o mesmo com o Otelo e restante cambada
ESCANDINAVOS,
são mairotáriamente racistas , xenófabos e nacionalistas.
Fui imigrante na Suécia entre 1979 e 1982 , visitei a Suécia e a Dinamarca frequentemente até à poucos anos.
Na minha experiência diria que são "bipolares" na maneira de estar na vida entre a sua vida de rotina no seu país e quando estão no estrangeiro.
Não são de confiar.
Re: Anders Breivik poderá ser internado num hospit
Não vou dizer que apoio ou não. É difícil de aceitar que alguém no seu perfeito juízo seja capaz de ir até onde esta pessoa foi. Não entendo porque é que assassinou tanta gente fria e cruelmente - diz ele, por razões políticas. Incomoda saber que há entre nós, humanos, pessoas capazes de fazer o que ele fez. Melhor seria prever uma moldura penal que fosse mais contundente para casos como este, mais não fosse para dissuadir potenciais imitações. Vão colocá-lo num Hospital psiquiátrico. Qual é a expectativa de vida para este indivíduo, familiares, e demais inquilinos do mesmo? Vão medicá-lo ao ponto de andar "cacetado"; vai ser uma espécie de zombie, é isso? Perdoe-se-me a crueza: melhor seria prever a pena capital para casos como este, para não falar de outros...
Um tolo
que anda por aqui a debitar uns bitaites, disse que deviam ter feito o mesmo ao Otelo e o pessoal que participou e interveio activamente no prec, por exemplo; ou seja, deviam ser internados num estabelecimento hospitalar dedicado às maleitas da mente. Não entendo assim. Afirmo aqui, com muito orgulho, que, na altura do prec, em 1975, participei activamente como militar, primeiro, e como militante de base de um partido progressista, depois, no amparo aos alentejanos na ocupação de herdades no âmbito da reforma agrária; que participei no apoio e protecção de operários na ocupação de empresas na sequência da contínua sabotagem por parte dos seus patrões, e mais, muito mais, de que não me arrependo em circunstância alguma. Termino para salientar: que o camarada Otelo Saraiva de Carvalho, passados que foram estas quase 40 anos desde a revolução, ainda mete medo e receio a muito capitalista e reaccionário deste país; que este querido camarada, mais os camaradas José Mário Branco, mais o PCP e BE, são os únicos que propões medidas que, de facto, são soluções, como mais tarde vem confirmar, as opiniões de gente de todo o espectro político-partidário do nosso país, nas suas propostas para a solução da crise que vivemos.
Comentários 5 Comentar

Últimas

Ver mais

Edição Diária 17.Abr.2014

Leia no seu telemóvel, tablet e computador
PUBLICIDADE

Pub