16 de abril de 2014 às 23:53
Página Inicial  ⁄  Economia  ⁄  Américo Amorim é o mais rico de Portugal

Américo Amorim é o mais rico de Portugal

A edição de Agosto da Revista Exame, que chega amanhã às bancas, traz a lista das 25 maiores fortunas do país. Os 25 maiores patrimónios de Portugal somaram 14,7 mil milhões de euros em 2010. Veja a lista dos 10 mais ricos do país.
Américo Amorim tem um património estimado em 2,2 mil milhões de euros Rui Ochôa Américo Amorim tem um património estimado em 2,2 mil milhões de euros

Américo Amorim continua a ser o homem mais rico de Portugal. Este é o terceiro ano seguido em que o milionário lidera o ranking das 25 maiores fortunas do país, uma lista anual realizada pela Revista Exame. O empresário aumentou a fortuna em 9,1% durante 2010 e tem agora património estimado em 2,2 mil milhões de euros.

No segundo lugar da lista vem Belmiro de Azevedo. O 'patrão' da Sonae perdeu dinheiro, mas tem uma fortuna avaliada em 1,3 mil milhões de euros.

O terceiro lugar vai para a família Guimarães de Melo, com um património avaliado em 1017 milhões de euros, apesar de registar uma queda de 18,3% face ao ano anterior.

As 25 maiores fortunas de Portugal somaram 14,7 mil milhões de euros em 2010, o que equivale a uma queda de 6% em comparação com o ano anterior. Os 25 maiores patrimónios, que representam 9% do PIB, perderam dinheiro pelo terceiro ano consecutivo.

Soares dos Santos cresce


No último ano, só seis milionários conseguiram aumentar capital. Alexandre Soares dos Santos, Américo Amorim (mais 9,1%) e Rui Nabeiro (mais 5,7%) são alguns dos exemplos.

Alexandre Soares dos Santos registou o maior crescimento. O patrão da Jerónimo Martins viu o seu património aumentar 52%, de 665 milhões de euros em 2009 para 1015 milhões em 2010, ocupando o quarto lugar da lista da Exame.

As maiores quedas vão para a família Rocha dos Santos (menos 28,6%), para a família Mota (menos 25,8%) e para João Pereira Coutinho (menos 19,7%).

Na lista dos mais ricos apenas uma nova entrada e uma saída. Manuel Fino deixa o rankingdos 25 mais ricos de Portugal e Ilídio Pinho é a nova entrada.

Maria do Carmo Moniz Galvão Espírito Santo Silva é a mulher mais rica, com uma fortuna de 670 milhões de euros, menos 8,4% do que no ano passado.

Os 10 mais ricos

1.Américo Amorim: 2188,4 milhões de euros

2.Belmiro de Azevedo: 1283 milhões

3.Família Guimarães de Mello: 1017 milhões

4.Alexandre Soares dos Santos: 1015 milhões

5.Maria do Carmo Moniz Galvão Espírito Santo Silva: 670 milhões

6.Luís Silva e Perpétua Bordallo Silva: 646,4 milhões de euros

7.Manuel Soares Violas e Rita Celeste Soares Violas e Sá: 611,5 milhões

8.Família Cunha José de Mello: 605 milhões

9.Joe Berardo: 589 milhões

10.Teresa Roque Dal Fabbro e Paula Roque: 532,7 milhões de euros


Comentários 12 Comentar
ordenar por:
mais votados ▼
Homem rico, não é rico homem !!
È o mais rico, mas também o mais rafeiro !!

A forma miserável como paga aos seus trabalhadores e a maneira como promove despedimentos colectivos de trabalhadores com 30 anos de casa, não abona em nada a fórmula utilizada que lhe permitiu fazer fortuna.
Será que a crise só afecta os pobres?
Este Senhor não tem a noção do que é a crise. O ESTADO LAXISTA E PROMISCUO EM QUE VIVEMOS, conduzirá forçosamente à situação de que o GAP entre ricos e pobres cada vez será maior.
Com Salazar o país era controlado por meia dúzia de famílias.
Agora o país, é controlado por meia dúzia de bajuladores do poder político, que lhes entrega de mão beijada, o que não lhe pertence a troco de muitos e chorudos favores.
A isto chama-se roubar a quem não tem para dar a quem de já tudo dispõe... Será que podem mostrar a declaração de rendimentos, deste apoiante incondicional de Mário Soares?
Tempos!
No tempo do sr Salazar era eu quero, posso e mando, nesta democracia é assim: vou-te lixar democráticamente porque eu mando, quero e posso.
Tão diferentes, tão iguais!
80#8
E quem é o português mais pobre?
Onde estão os pobres?
Afinal Portugal é um país de gente rica.
Mas se em vez deste ranking da riqueza nos fosse apresentado o ranking dos salários elevados pagos por estes senhores aos que produzem as suas riquezas e através dele constatassemos que, afinal, além de se preocuparem em acumular riqueza se preocupam ainda mais em pagar salários dignos aos trabalhadores que criam essa riqueza para eles, distribuindo uma boa percentagem das mais-valias aos mesmos, grande notícia seria e digna de registo.
No entanto isso é pura utopia só digna de uma mente doentia como a minha:

Tal é pura utopia,
duma mente doentia.

Para haver grande riqueza,
tem de haver muita pobreza.

Até ao dia em que apareça
um novo Spartacus
levantando-se contra a avareza
e transformando tudo em cacos.
P'OIS É
COITADOS, FARTAM-SE DE TRABALHAR.
Parabéns
Porque foi à custa de muito trabalho suado nas fábricas que chegou a essa fortuna e a pagar ordenados muito generosos aos seus colaboradores. Um Comendador em toda a acessão da palavra. Espero que assim continue, mas quero lembrar-lhe que quando partir vai ficar cá todo o "dinheirinho, acções e outras coisas tais", não leva nada consigo.
Poucos ricos, milhões de pobres
Haver ricos não seria mau, se os pobres não estivessem a aumentar, e o esforço para diminuir o defice, é realizado pelo sacrificio dos pobres. Qual o contibuto destas fortunas para diminuir o defice?
Desta noticia so li que...
25 individuos tem 9% do PIB... Sobram 91 para os restantes 9.999.975...

Ainda ha muito para tirar aos outros!!
Não imaginava!!!
Esta notícia é uma completa surpresa!
Imagino isso sim que quando se acabarem os subsídios de desemprego e metade do País começar a passar fome, (já não falta muito), estes senhores, tal como aqueles que se governam, em vez de governarem o País, vão começar a oferecer muitos postos de trabalho, todos com a mesma especialidade: Guarda-Costas!
Exame de baixo nível.
Não estaria por acaso a revista Exame interessada em apresentar à boa e distinta sociedade portuguesa os 25 Mais Pobres do Portugal. Causa-me uma certa vergonha, (para não lhe chamar outra coisa) e uma grande revolta, ter sido assinante desta revista. Hoje, neste tempo, nesta época que se vive, esta Exame é um atentado a todos aqueles milhares de compatriotas meus com meses de ordenados em atraso que ficaram sem emprego ou que foram obrigados a perder bens adquiridos a prazo, crédito ou lá o que queiram chamar. E não me venham com a conversa da treta de jornalista estagiário, falar em exemplos de sucesso profissional que me agride a inteligência. É que ao menos essa, a Exame, ou quem a alimenta, não ma consegue tirar.
SE...
Pudesse ter o governo a impingir ao país a protecção da matéria prima com que trabalhasse, tinha condições de vir a ser o mais rico do país.
Mas como só temos de suportar o sobreiro, nem que esteja em cima da nossa casa...
Qual será o próximo protegido que teremos de aguentar?
PUBLICIDADE
Expresso nas Redes
Pub