25 de abril de 2014 às 2:49
Página Inicial  ⁄  Dossiês  ⁄  Dossies Atualidade  ⁄  Mais austeridade  ⁄  Álvaro: "Vamos dar a volta à situação"

Álvaro: "Vamos dar a volta à situação"

Álvaro Santos Pereira não duvida que Portugal vai "dar a volta à situação" de crise em que se encontra, porque "o que precisamos de fazer é voltar a crescer rapidamente".
Lusa
Álvaro Santos Pereira durante a cerimónia de apresentação pública do SIREVE Miguel A. Lopes/Lusa Álvaro Santos Pereira durante a cerimónia de apresentação pública do SIREVE

O ministro da Economia e Emprego disse hoje não ter dúvidas de que Portugal vai contornar a atual crise económica e financeira, lembrando o "enorme legado" nessa área com que o Governo se deparou ao entrar em funções.

"Não temos dúvida que vamos dar a volta à situação", disse Álvaro Santos Pereira aos jornalistas em Lisboa, no final de uma cerimónia de apresentação pública do sistema de recuperação de empresas por via extrajudicial (SIREVE).

O governante reconhece que "ninguém gosta das medidas duras de austeridade" e dos sacríficos que estão a ser pedidos, mas sublinhou a "determinação" do Executivo em trabalhar com os portugueses e os parceiros sociais para uma mudança de rumo na economia portuguesa.

"O que precisamos de fazer é voltar a crescer rapidamente, foi nisso que apostámos todas as nossas energias nas reformas estruturais que já estão no terreno", considerou, lembrando a necessidade de "ajudar" cidadãos e empresas nesse sentido, e dando como exemplo o SIREVE como "salvaguarda de postos de trabalho".

Álvaro Santos Pereira reiterou ainda que as "medidas duras" e os sacrifícios pedidos têm de ser partilhados "por todos" os cidadãos portugueses. 

Comentários 12 Comentar
ordenar por:
mais votados ▼
ASP: é um bom ministro, e um excelente homem
« Ajuda externa: "Vamos dar a volta à situação" - Álvaro Santos Pereira »

Ao menos este é optimista e preocupa-se com o futuro de Portugal.

É muito melhor ministro que muitos vaidosos, que por ai pululam.

Até os jornalistas o trataram mal.

Portugal tem gente 'madrasta'...
O Pastel é um mediocre nada sabe de economia real Ver comentário
Álvaro,faça mais e fale menos!
E não repita tanto as mesmas frases que começam a ser sem sentido com a realidade.
Cair no ridiculo é o fim de um politico!
Re: Álvaro,faça mais e fale menos! Ver comentário
Re: Álvaro: "Vamos dar a volta à situação"
youtu.be/gNu5BBAdQec
RECUPERAÇÃO DE EMPRESAS PARA DAR A VOLTA Á
Palavras leva-as o vento...
O povo é que não sabe como é que vai pagar as contas...
Voces têm um bom salário, carro, casa, cartões e fico-me por aqui que isto nunca mais acaba...
se conseguir mudar a mentalidade do zé pagode
talvez consiga mudar o paradoxo!
mas não consegue...infelizmente!
os direitos adquiridos são dificeis de diminuir,estão devidamente balizados constitucionalmente, e qqr afectação de um direito fundamental(izado) não passa no crivo do nosso TC.
Tenho direito a ter um iphone 5(ou 2, 1 pra mim,outro pra maria); 2 leds tv-com sportv e tudo; uma casa grande, 2 carros, jantar fora, passar ferias no estrangeiro (mas bem longe pq gosto de andar de avião); trabalhar 6 a 8h (ou estar fisicamente presente no meu emprego durante este PNT)-fazer pausas a cada 10 minutos pq gosto de fumar o meu cigarrito em paz e estar na palheta com os meus colegas e dizer mal do patrão e dos chefes; passar fins de semana no alentejo ou em tras os montes ou na beira; e chegar à 2.ª feira e dizer que estou cansado do fds e à 6.ª a dizer que não consigo trabalhar pq já estou em modo de fim de semana; pagar a quotinha do sindicato para mamar qqr coisinha qdo o patrão me apertar para trabalhar; entre outras coisas... TODOS ESTES MEUS DIREITOS FUNDAMENTAIS ESTÃO PROTEGIDOS PELA CRP E QQR AFECTAÇÃO/INTERVENÇÃO RESTRITIVA OU CONDICIONAMENTO DE UM DELES SÓ PODERÁ EXISTIR mediante lei geral e abstracta para que depois eu possa interpor uma intervenção do TC para que eles reponham a legalidade dos meus direitos fundamentais! e mais nada!
querem cortar-me nos direitos?
VÃO MAS É CORTAR PARA OUTRO LADO! E vou estar nas manifs todas e mais algumas pq este governo é que tem culpa!!!de tudo! até da seca extrema!
RECUPERAÇÃO DE EMPRSAS ...
Ideia feliz, sem dúvida, se levada à prática.
É que se fica normalmente pelas intenções. Nisso, somos os maiores.

Tenho a roer-me as entranhas o que se passa com a aplicação do Decreto-Lei nº 48/2011, de 1 de Abril e Portaria nº 131/2011, de 4 de Abril.

Perguntem nas Câmaras Municipais que tratamento é dado àqueles instrumentos legais, se cair na patetice de querer abrir um restaurante, um café, uma pastelaria... Perguntem e preparem-se para conhecer a burocracia que lhes vai cair em cima da cabeça.

O Dr.Medina Carreira tem toda a razão, quando fala nessa doença terrível que contamina e mata à nascença as ousadias do empreendedor.

Licenciamento Zero, na prática, é igual a licenciamento inferno.

Quem não acreditar...tente. Se não ficar mental, física e materialmente afetado, será merecedor de felicitações.

Há uns tempos atrás, uma Câmara do Norte Trasmontano,
em plena campanha "Magalhães" indeferia um pedido de licenciamento de um gabinete de ensino informatico classificando como "máquinas de diversão" os computadores, o que ofendia o artº 9º (?) do Regulamento Municipal (sic).

A data do citado Decreto-Lei - 1 de Abril - já fazia jus ao dia das mentiras.

E assim vai este País.

Por isso, as minhas dúvidas quanto às declarações do Sr.Ministro da Economia. Se for levado à prática o que diz...os meus antecipados parabéns!
Partilha?
"e os sacrifícios pedidos têm de ser partilhados "por todos" os cidadãos portugueses." Ah ah ah ah!!
Poderia começar desfazendo-se de uns quantos
perturbntes e incompreensivelmente bem remunerados acessores.
Sai um pastel de nata.
Cabecinha redonda. Mente iluminada. Sábio, entre os sábios do Bando de Malfeitores. Sai um pastel de nata...ou dois. VAI DAR UMA VOLTA. O POVO AGRADECE.
PUBLICIDADE
Expresso nas Redes
Pub