1
Anterior
Euribor a seis meses em queda
Seguinte
Camargo Corrêa propõe fusão com Cimpor
Página Inicial   >  Economia  >   Alqueva descarrega maior caudal

Alqueva descarrega maior caudal

A Barragem do Alqueva descarregou o maior caudal de água, um dia depois de atingir, pela primeira vez, a capacidade máxima de armazenamento.
Lusa |
A albufeira alentejana descarregou cerca de mil metros cúbicos por segundo
A barragem do Alqueva alcançou a cota máxima de 152 metros
Depois de atingir o Nível de Pleno Armazenamento (NPA), a Barragem de Alqueva descarregou na quarta-feira o maior caudal de água, debitando "cerca de mil metros cúbicos por segundo", revelou à Lusa fonte da empresa gestora. 
 
"Por cada descarregador de meio fundo, estão a passar 300 metros cúbicos por segundo, mais cem metros cúbicos do que na terça-feira", disse à agência Lusa Carlos Silva, porta-voz da Empresa de Desenvolvimento e Infra-estruturas de Alqueva (EDIA). 
 
A juntar a este débito de água, segundo a mesma fonte, também a central hidroeléctrica instalada em Alqueva "está a turbinar mais cerca de 400 metros cúbicos por segundo". 
 
As descargas controladas, através da abertura dos descarregadores de meio fundo, começaram terça-feira à tarde, após a albufeira atingir a sua capacidade máxima, sendo que o caudal a libertar é "avaliado a cada momento", consoante as afluências. 

Cota máxima de 152 metros


 
O NPA, que significa que a água da albufeira alcançou a cota máxima de 152 metros, foi conseguido pela primeira vez desde que, em Fevereiro de 2002, as comportas foram fechadas para dar início ao processo de enchimento.
 
A cota 152, o Alqueva é o maior lago artificial da Europa, com uma área
inundável de 250 quilómetros quadrados e cerca de 1.100 quilómetros de margens, armazenando um volume de água de 4.150 hectómetros cúbicos. 
 
Segundo Carlos Silva, "muita gente" se deslocou esta manhã à zona do coroamento (paredão) da barragem para assistir às descargas controladas de água, que têm com objectivo libertar algum caudal para que a albufeira não chegue ao nível de máxima cheia (cota 153). 
 
"Estava muita gente no estacionamento do coroamento da barragem para ver o espectáculo da água a ser libertada, mas, como começou a chover, as pessoas foram-se embora", disse. 

Operação atraiu visitantes


 
Durante a manhã, também cerca de uma centena de alunos de uma escola observou as descargas, acompanhados por elementos da EDIA, que lhes foram explicando a operação e o projecto de Alqueva. 
 
Residente em Lisboa, mas com casa no concelho alentejano de Vidigueira, também José Pinto e alguns amigos fizeram questão de passar hoje pela barragem.
 
"Venho cá muitas vezes e, agora, vim com estes dois amigos. Como toda a gente dizia que o Alqueva estava cheio, viemos cá ver", explicou, confessando-se impressionado com o Grande Lago e com as descargas. 
 
A chuva que tem caído nas últimas semanas na região banhada pela albufeira, situada no rio Guadiana, levou o nível de água armazenada a atingir a cota máxima de 152 metros. 
 
Segundo o que foi medido pela EDIA, o NPA foi alcançado "entre as 14:00 e as 15:00" de terça-feira, enquanto que o Instituto Nacional da Água (INAG) registou essa mesma cota, nas suas medições, às 16:00. 

A EDIA justificou terça-feira a abertura das comportas devido às "afluências de água que continuam a registar-se em Alqueva" e às "previsões meteorológicas", com chuva, "para os próximos dias". 

Descarregamentos na barragem de Pedrógão



Também a barragem de Pedrógão, situada a 23 quilómetros a jusante de Alqueva, está a descarregar para o rio Guadiana, "prevendo-se que o caudal do rio se mantenha alto nos próximos dias". 
 
"Todas estas acções, já previstas, estão a ser articuladas com os Serviços de Protecção Civil, que acompanham e monitorizam as operações", garantiu a EDIA. 
 

Opinião


Multimédia

Cheesecake com manjericão e doce de tomate

Especialista em pratos de confeção acessível, com ingredientes ao alcance de qualquer pessoa, Tiger escolheu a gastronomia como forma de estar na vida. Veja, confecione, desfrute e impressione.

Voámos num F-16

Um piloto da Força Aérea voou com uma câmara GoPro do Expresso e temos imagens inéditas e exclusivas para lhe mostrar num trabalho multimédia.

Salada de salmão com sorvete de manga

Especialista em pratos de confeção acessível, com ingredientes ao alcance de qualquer pessoa, Tiger escolheu a gastronomia como forma de estar na vida. Veja, confecione, desfrute e impressione.

Por faróis nunca dantes navegados

São a salvaguarda dos navegantes, a luz que tranquiliza o mar. Há 48 faróis em Portugal continental e nas ilhas. Este é um acontecimento único: todos os faróis e 1830 km de costa disponíveis num mesmo trabalho. Para entendê-los e vê-los, basta navegar neste artigo.

Parecem casulos onde gente hiberna à espera de ver terra

No Porto de Manaus não há barcos, mas autocarros bíblicos que caminham sobre água. Têm vários andares e estão cheios de camas de rede que parecem casulos onde homens, mulheres e crianças aguardam o destino. E há gente a vender o que houver e tiver de ser junto ao Porto. "Como há Copa, tem por aí muito gringo que vem ter com 'nóis'. E então fica mais fácil vender"

O adeus de Lobo Antunes às aulas de medicina

O neurocirurgião deu terça-feira a sua "Última Lição" no auditório do Instituto de Medicina Molecular da Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa, na véspera de deixar o seu trabalho no serviço nacional de saúde.

Jaguar volta a fabricar desportivo dos anos 60

Até ao verão será fabricado um número limitado de desportivos Jaguar E-Type Lightweight, seguindo todas as especificações originais, incluindo a continuação do número de série das unidades produzidas em 1963.

"Naquela altura estavam continuamente a acontecer primeiras coisas"

Mais do que uma manifestação, o 'primeiro' 1º de Maio é recordado como a grande festa da Revolução dos Cravos, quando o povo saiu às ruas em massa e a união das esquerdas era um sonho possível. "O 1º de Maio seria mais uma primeira coisa, porque naquela altura estavam continuamente a acontecer primeiras coisas." Foi há 40 anos.

Este trabalho não foi visado por qualquer comissão de censura

Aquilo que hoje é uma expressão anacrónica estava em relevo na primeira página do "República", a 25 de Abril de 1974: "Este jornal não foi visado por qualquer comissão de censura". Quarenta anos depois da Revolução, veja os jornais, ouça os sons e compreenda como decorreu o "dia inicial inteiro e limpo", como lhe chamou Sophia. O Expresso falou ainda com cinco gerações de 40 anos e percorreu a "geografia" das Ruas 25 de Abril de todo o país, falando com quem lá mora. Veja a reportagem multimédia.


Comentários 1 Comentar
ordenar por:
mais votados
Mais uma notícia boa para a EDP;e para o nsso povo
Mais uma boa notícia;para a EDP; e para os cofres da nação..Ainda bem que as nossas barragens estão faturando milhões..E agora assim a nossa energia irá baixar..????Ou será que vai aumentar..???Será para compensar os invstimentos mais de 10 bilhões lá fora.. É verdade.. ainda bem;que já voltamos a ser uma nação importante..até lá..cumpts..kantiflas.
Comentários 1 Comentar

Últimas

Ver mais

Edição Diária 17.Abr.2014

Leia no seu telemóvel, tablet e computador
PUBLICIDADE

Pub