1
Anterior
As 3 maturidades do Facebook
Seguinte
Amazon: desafiando o futuro
Página Inicial   >  Blogues  >  Blogues Economia  >  Marketing Box  >   Allgarve: L ou XL?

Allgarve: L ou XL?

|

Já aqui falámos sobre a importância para a credibilidade do Marketing do facto de ser necessário explicar os impactos dos seus investimentos. Nas empresas é cada vez mais assim e nas acções de domínio público sê-lo-á mais cedo ou mais tarde.

O Algarve é uma região internacionalmente reconhecida, sobretudo no espaço europeu, conforme comprova qualquer estudo de mercado sobre notoriedade de marcas de regiões. Não tem a força da notoriedade espontânea de outros espaços turísticos com maior dimensão, prestígio (da região e do país) e posicionamento geográfico mais central, mas tem um nome próprio e uma marca bem identificada e facilmente perceptível e transmissível. E essa marca é Algarve, não Allgarve (sobretudo com pronúncia inglesa).

É verdade que no que diz respeito à imagem percebida, seguramente não compete com outras regiões turísticas no espaço europeu ou mundial, mas são inegáveis as melhorias da última década ao nível de infra-estruturas, organização de eventos e qualidade no acolhimento. Tem sabido demonstrar em diversos domínios a sua capacidade empreendedora e inovadora, designadamente ao nível cultural, com especial mérito para a acção municipal. Constitui, por isso, um local de referência para diferentes públicos-alvo, onde por exemplo encontramos o mercado sénior inglês ou os amantes de golfe do norte da Europa.

Se é este o contexto, está na altura de perguntar qual foi o retorno do investimento na marca Allgarve. Em que medida é que mais um "L" reforçou os índices de notoriedade, imagem, etc.. Era conveniente que todos soubéssemos esses resultados, comparativamente com o investimento na marca, para podermos aferir se estamos perante um case study positivo ou negativo.

Pude recolher algumas recomendações de férias de revistas e jornais internacionais e seleccionei o exemplo do Finantial Times para evidenciar que, para o mundo, Algarve se escreve com um "L". Posiciona o Algarve para um turismo de qualidade e, mais interessante do que tudo, é que a palavra Portugal ou portuguese não constam do anúncio. Porque não é preciso!

Este exemplo revela uma coisa muito simples: Algarve é uma marca forte, tradicional, independente e com estatuto de personalidade própria.

Partilho a ideia de que as marcas que são fortes e apetecíveis se devem manter e reforçar, de forma a não serem canibalizadas por outras mais débeis, apenas porque é preciso dar sinais de modernidade.

Marketing são resultados e factos e por enquanto "L" é melhor e maior que "XL".

Livro recomendado - In search of the obvious - Jack Trout


Opinião


Multimédia

Cheesecake com manjericão e doce de tomate

Especialista em pratos de confeção acessível, com ingredientes ao alcance de qualquer pessoa, Tiger escolheu a gastronomia como forma de estar na vida. Veja, confecione, desfrute e impressione.

Voámos num F-16

Um piloto da Força Aérea voou com uma câmara GoPro do Expresso e temos imagens inéditas e exclusivas para lhe mostrar num trabalho multimédia.

Salada de salmão com sorvete de manga

Especialista em pratos de confeção acessível, com ingredientes ao alcance de qualquer pessoa, Tiger escolheu a gastronomia como forma de estar na vida. Veja, confecione, desfrute e impressione.

Por faróis nunca dantes navegados

São a salvaguarda dos navegantes, a luz que tranquiliza o mar. Há 48 faróis em Portugal continental e nas ilhas. Este é um acontecimento único: todos os faróis e 1830 km de costa disponíveis num mesmo trabalho. Para entendê-los e vê-los, basta navegar neste artigo.

Parecem casulos onde gente hiberna à espera de ver terra

No Porto de Manaus não há barcos, mas autocarros bíblicos que caminham sobre água. Têm vários andares e estão cheios de camas de rede que parecem casulos onde homens, mulheres e crianças aguardam o destino. E há gente a vender o que houver e tiver de ser junto ao Porto. "Como há Copa, tem por aí muito gringo que vem ter com 'nóis'. E então fica mais fácil vender"

O adeus de Lobo Antunes às aulas de medicina

O neurocirurgião deu terça-feira a sua "Última Lição" no auditório do Instituto de Medicina Molecular da Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa, na véspera de deixar o seu trabalho no serviço nacional de saúde.

Jaguar volta a fabricar desportivo dos anos 60

Até ao verão será fabricado um número limitado de desportivos Jaguar E-Type Lightweight, seguindo todas as especificações originais, incluindo a continuação do número de série das unidades produzidas em 1963.

"Naquela altura estavam continuamente a acontecer primeiras coisas"

Mais do que uma manifestação, o 'primeiro' 1º de Maio é recordado como a grande festa da Revolução dos Cravos, quando o povo saiu às ruas em massa e a união das esquerdas era um sonho possível. "O 1º de Maio seria mais uma primeira coisa, porque naquela altura estavam continuamente a acontecer primeiras coisas." Foi há 40 anos.

Este trabalho não foi visado por qualquer comissão de censura

Aquilo que hoje é uma expressão anacrónica estava em relevo na primeira página do "República", a 25 de Abril de 1974: "Este jornal não foi visado por qualquer comissão de censura". Quarenta anos depois da Revolução, veja os jornais, ouça os sons e compreenda como decorreu o "dia inicial inteiro e limpo", como lhe chamou Sophia. O Expresso falou ainda com cinco gerações de 40 anos e percorreu a "geografia" das Ruas 25 de Abril de todo o país, falando com quem lá mora. Veja a reportagem multimédia.


Comentários 1 Comentar
ordenar por:
mais votados
'Allgarve: L ou XL?

Apoiado. Por mais dissonante e irritante que seja para mim a aposta no Allgarve, compreendo que a ideia apostasse no trocadilho em Inglês para chamara a atenção (Já agora, podia-se ter realçado ainda mais o trocadilho com um AllGarve e não um Allgarve... evidenciando as raízes mouras do nome). Mas isso não significa que qualquer ideia deve ser aceite, engolida, e deitada fora simplesmente quando se encontra outra melhor. Se vamos sacrificar a nossa toponímia tradicional ao altar do marketing, o mínimo que se deveria exigir era também um esforço de monitorização dos resultados da medida... e um critério de desistência para o caso de não resultar (mesmo que esteja a torcer para que não dê... embirro com o Allgarve, desculpem-me... ainda se fosse AllGarve...).
Comentários 1 Comentar

Últimas


Edição Diária 17.Abr.2014

Leia no seu telemóvel, tablet e computador
PUBLICIDADE

Pub