18 de abril de 2014 às 18:17
Página Inicial  ⁄  Dossiês  ⁄  Dossies Atualidade  ⁄  Portugal 2009  ⁄  Aguiar Branco satisfeito com "maioria indiscutível"

Aguiar Branco satisfeito com "maioria indiscutível"

Perante o silêncio da líder Manuela Ferreira Leite, coube ao vice-presidente do PSD, Aguiar Branco, comentar a aprovação das listas de deputados pelo Conselho Nacional do partido, com 58% dos votos. Clique para visitar o dossiê Portugal 2009
Lusa

José Pedro Aguiar Branco, vice-presidente do PSD, manifestou esta madrugada a satisfação da direcção do partido com a aprovação das listas de candidatos a deputados por uma "maioria indiscutível". 

Clique para aceder ao índice do DOSSIÊ PORTUGAL 2009

As listas de candidatos a deputados do PSD às legislativas de 27 de Setembro foram hoje aprovadas pelo Conselho Nacional com 59 votos a favor, 37 contra e cinco abstenções. Estes resultados significam que as listas foram aprovadas por cerca de 58% dos conselheiros nacionais, quando em 2005 a aprovação tinha sido da ordem dos 67%. 

A líder do PSD, Manuela Ferreira Leite, abandonou o Conselho Nacional sem prestar declarações, tarefa que coube ao vice-presidente do partido Aguiar Branco, que elogiou os resultados da votação. 

"É uma maioria que mostra que o partido está em condições de apresentar uma lista unida e em condições de ganhar os próximos actos eleitorais", considerou, salientando que a votação foi feita por voto secreto. 

Questionado sobre as razões que levaram à exclusão de Pedro Passos Coelho, Aguiar Branco enumerou os "vectores essenciais" da decisão. "O critério da escolha de deputados tem três vectores essenciais: a opinião das distritais, a opinião do grupo parlamentar e a opinião da Comissão Política Nacional", disse. 

Segundo Aguiar Branco, "foi entendido que aqueles que foram indicados para cabeças-de-lista e na restante composição das listas são os que, no Parlamento, reúnem as melhores condições para o combate". "A afirmação do discurso político faz-se em vários palcos", reiterou.

Recusando comentar a acusação de Pedro Passos Coelho de "sectarismo" nas listas - "uma votação de 60% é por si só uma resposta a essa pergunta" - Aguiar Branco manifestou-se confiante de que o ex-candidato a líder do partido irá contribuir para a vitória do PSD nas próximas legislativas.

O vice-presidente do PSD escusou-se igualmente a comentar a inclusão, contra a vontade da distrital, de António Preto e Helena Lopes da Costa nas listas de Lisboa. "Aqueles que estão não são melhores que aqueles que não estão, são os que reúnem melhores condições", disse, garantindo que todas as distritais respeitam, mesmo que não concordem, com a composição final das listas. 

Aguiar Branco manifestou confiança de que, depois deste período de "maior tensão", as divergências serão ultrapassadas. "Estou certo de que a partir de amanhã estamos todos unidos para ganhar as eleições ao Partido Socialista, a bem de Portugal", concluiu.
Comentários 2 Comentar
ordenar por:
mais votados ▼
Aguiar Branco de ideias poucas
Não me parece que o PSD ganhe alguma coisa com este e outros deputados de segunda apanha.
Mas um partido que escolhe a Manuel Ferreira Leite como lider, só pode acreditar que os portugueses votam no PSD nem que seja a criatura do João jardineiro a liderar.
Esclarecido ...
À saída do CN, alguém pergunta a Aguiar Branco:
- Porque é que Pedro Passos Coelho foi excluído das listas ?
Resposta:
- Não foi excluído; não faz é parte dos escolhidos ......

Ficámos esclarecidos, senhor ex-Ministro da Justiça !
PUBLICIDADE
Expresso nas Redes
Pub