3
Anterior
Vinhos portugueses conquistam 153 medalhas em Berlim
Seguinte
1800 voluntários limpam florestas em oito zonas do país
Página Inicial   >  Economia  >  Agricultura  >   Agricultores em defesa da produção nacional

Agricultores em defesa da produção nacional

Centenas de agricultores marcharam hoje, desde a estação ferroviária de Aveiro até a feira agrícola Agrivouga, em protesto contras as políticas agrícolas do atual e anteriores governos.

Centenas de agricultores marcharam hoje, desde a estação ferroviária de Aveiro até a feira agrícola Agrivouga, em protesto contras as políticas agrícolas do atual e anteriores governos e apelando ao consumo de produtos nacionais.

Envergando cartazes com as palavras "A seca é só nossa", "Parem de sugar o povo" ou "Não a tanta importação, sim à produção", os diversos agricultores contactados pela Lusa insurgiram-se, sobretudo, contra a falta de apoio a quem mais produz.

"As pessoas não são incentivadas a produzir, porque o preço à produção é cada vez mais irrisório e todos os fatores da produção, seja adubos, seja sementes, seja gasóleo, aumentam cada vez mais", disse à Lusa João Sousa, dirigente da Associação da Lavoura do Distrito de Aveiro (ALDA).

"Há cada vez menos rendimento para os agricultores, daí o abandono da agricultura familiar", lamentou o dirigente, considerando que "é preciso dar a possibilidade às pessoas para produzirem como produziam no passado e escoar [a produção] e não importar".

"Não só estamos a prejudicar a nossa economia como estamos a mandar dinheiro para o estrangeiro", disse João Sousa. Em representação do Partido Comunista Português (PCP), a eurodeputada Inês Zuber disse à Lusa estar "solidária, porque esta manifestação é demonstrativa não só da vontade que os agricultores têm em continuar a produzir, mas também da capacidade que Portugal tem para produzir os seus próprios recursos".

"Não somos um país pobre, temos potencial para aumentar a nossa capacidade alimentar muito mais do que existe hoje, que é apenas cerca de 20 por cento das nossas necessidades", disse a eurodeputada".

Para o presidente da Associação de Agricultores da Guarda (AAG), António Machado, "a política agrícola que é aplicada em Portugal é um desastre", pelo que. em declarações à agência Lusa, quis "lançar um apelo à ministra da Agricultura", Assunção Cristas, para que pare "de dar dinheiro a quem nada produz." "Os milhões e milhões de euros que vieram da Comunidade [Europeia] foram dados a pessoas, na área da agricultura, que só têm a terra. Mas um agricultor não é aquele que tem terra, é aquele que nela produz. E é a esse que é preciso dar ajudas", disse à Lusa António Machado.

Com 84 anos de idade, o presidente da AAG garantiu à Lusa lembrar-se bem "dos anos 1930 e 1940, em que metade da população portuguesa passava fome." "Hoje já estamos [em situação] igual. São milhões de portugueses a passar fome e damo-nos ao luxo de batermos o recorde da Comunidade em terras abandonadas. Isto não pode continuar assim".


Opinião


Multimédia

O papa-medalhas que veio do espaço

O atleta português mais medalhado de sempre, Francisco Vicente, regressou dos campeonatos europeus de veteranos, na Turquia, com novas lembranças ao pescoço. Três de ouro e duas de prata para juntar à coleção. Tem 81 medalhas, uma por cada ano de vida.

Tudo o que precisa de saber sobre o ébola, em dois minutos

Porque é que este está a ser o pior surto da história? Como é que os primeiros sintomas se confundem com os de outras doenças? É possível viajar depois de ter contraído o vírus, sem transmitir a doença? E estamos ou não perto de ter uma vacina? O Expresso procurou as respostas a estas e outras dúvidas sobre o ébola.

United Colors of Gnocchi

Especialista em pratos de confeção acessível, com ingredientes ao alcance de qualquer pessoa, Tiger escolheu a gastronomia como forma de estar na vida. Veja, confecione, desfrute e impressione.

Vai pagar mais ou menos IRS? Veja as simulações

Reforma do imposto protege quem tem dependentes a cargo, mas pode penalizar os restantes contribuintes. Função pública e pensionistas vão ter mais dinheiro disponível. Veja simulações para vários casos.

A última viagem do navio indesejado

Construído nos Estaleiros de Viana e pensado para fazer a ligação entre ilhas nos Açores, o Atlântida foi recusado pelo Governo Regional por alegadamente não atingir a velocidade pretendida. Contando com os custos associados à dissolução do contrato, o prejuízo ascendeu a 70 milhões de euros. Foi agora comprado a "preço de saldo", para mudar de nome e ser reconvertido num cruzeiro na Amazónia. Fizemos a última viagem do Atlântida e vamos mostrar-lhe os segredos do navio.

Strogonoff de peixe espada preto

Faz agora cinco anos que o Chefe Tiger, especialista em pratos de confeção acessível e com ingredientes ao alcance de qualquer pessoa, começou esta aventura gastronómica. Veja, confecione, desfrute e impressione.

Caril de banana

Faz agora cinco anos que o Chefe Tiger, especialista em pratos de confeção acessível e com ingredientes ao alcance de qualquer pessoa, começou esta aventura gastronómica. Veja, confecione, desfrute e impressione.

Tem três minutinhos? Vamos explicar-lhe o que muda no orçamento de 350 mil portugueses (e no de muitas empresas)

O novo salário mínimo entrou em vigor. São mais €20 brutos para cerca de 350 mil portugueses (números do Ministério da Segurança Social, porque os sindicatos falam em 500 mil trabalhadores). Mudou o valor, mas também os descontos que as empresas fazem para a Segurança Social. Porque se trata de uma medida que afeta a vida de muitos portugueses, queremos explicar o que se perde e o que se ganha, o que se altera e o que se mantém.

Cantaril com risotto de espargos

Faz agora cinco anos que o Chefe Tiger, especialista em pratos de confeção acessível e com ingredientes ao alcance de qualquer pessoa, começou esta aventura gastronómica. Veja, confecione, desfrute e impressione.

Music fighter: temos Marco Paulo e Bruno Nogueira numa batalha épica

Está preparado para um dos encontros mais improváveis na história da música portuguesa? O humorista Bruno Nogueira e a cantora Manuela Azevedo, dos Clã, pegaram em várias músicas consideradas "pimba" - daquelas que ninguém admite ouvir mas que, no fundo, todos vão dançar assim que começam a tocar - e deram-lhe novos arranjos, num projeto que chegou aos coliseus de Lisboa e do Porto.  "Ninguém, ninguém", de Marco Paulo, tem possivelmente a introdução mais acelerada e frenética do panorama musical português. Mas, no frente-a-frente, quem é o mais rápido? Vai um tira-teimas à antiga?

Dez verdades assustadoras sobre filmes de terror

Este vídeo é como o monstro de "Frankenstein": ganhou vida graças à colagem de partes de alguns dos filmes mais aterrorizantes de sempre. Com uma ratazana mutante e os organizadores do festival de cinema de terror MotelX pelo meio. O Expresso foi à procura das razões que explicam o fascínio pelo terror, com muito sangue (feito de corante alimentar) à mistura. 

A paixão do vinil

Se para muitos o vinil é apenas uma moda que faz parte da cultura do revivalismo vintage, para outros ver o disco girar nunca deixou de ser algo habitual.

Portugal foi herdado, comprado ou conquistado?

Era agosto em Lisboa e, às portas de Alcântara, milhares de homens lutavam por dois reis, participando numa batalha decisiva para os espanhóis e ainda hoje maldita. Aconteceu em agosto de 1580. Mais de 400 anos depois, o Expresso deu-lhe vida, fazendo uma reconstituição do confronto através do recorte e animação digital de uma gravura anónima da época.

O Maradona dos bancos centrais

Dizer que Mario Draghi está a ser uma espécie de Maradona dos bancos centrais pode parecer estranho. Mas não é exagerado. Os jornalistas João Silvestre e Jorge Nascimento Rodrigues explicaram porquê num conjunto de artigos publicado no Expresso em Novembro de 2013 e que venceu em junho deste ano o prémio de jornalismo económico do Santander e da Universidade Nova. O trabalho observa ainda o desempenho de Ben Bernanke no combate à crise, revisita a situação em Portugal e arrisca um ranking dos 25 principais governadores de bancos centrais. Republicamos os artigos num formato especial desenvolvido para a web.

Com Deus na alma e o diabo no corpo

Quem os vê de fora pode pensar que estão possuídos. Eles preferem sublinhar o lado espiritual e terapêutico desta dança - chamam-lhe "krump" e nasceu nos bairros pobres dos Estados Unidos. De Los Angeles para Chelas, em Lisboa, já ajudou a tirar jovens do crime. Ligue o som bem alto e entre com o Expresso no bairro. E faça o teste: veja se consegue ficar quieto.


Comentários 3 Comentar
ordenar por:
mais votados
Desertificação do País!
É um gravissimo problema nacional.Muito do dinheiro mal investido nas autoestradas tinha chegado para criar dinâmicas de desenvolvimento no interior de Portugal evitando o abandono da terra e o êxodo da sua população.
SRs. AGRICULTORES OU EMPRESÁRIOS AGRÍCULAS.
Pergunto aos senhores agricultores se já viram algum estrangeiro, mormento Holandês, que estão instalados no Alentejo, vir para a rua BERRAR por subsídios ou dizer q n conseguem vender os produtos? APRENDAM com eles como se enxofra.
Devem fazer uma coisa q o tuga n gosta de fazer q são emparcelamentos de terrenos a fim de fazerem culturas em larga escala dado que fica muito mais barata e assim já a podem vender em concorrência com os estrangeiros que a vêem cá vender os seus produtos.
Saibam escolher os produtos q têm melhor venda e de mais fácil cultura p que possa ser rentável. Percam de uma vez por todas o choraminga, o choradinho deixado pelos comunas de destruíram, não só toda a agricultura como todo o país. Mandem pessoal ou vão à Holanda e vejam como eles fazem, a fim de aprender. No Almograve, Costa vicentina, a terra não dava até que chegaram uns estrangeiros e começaram a trabalhar para exportar, agora eles ensinam como se faz, mas com muito trabalho.
O povo diz que para todos os males há um remédio
O povo diz que para todos os males há um remédio e os ditados do povo têm 100% razao. Caros lavradores aglumerem os vossos produtos e vao vendelos nas pracas do dentro das cidades do país. Peguem nos vossos tractores e vao por exemplo prá Praca do Comércio em Lisboa que tem uma área maior que 10 continentes, modelos, pingo doce , aldi e lidl`s, e vendam directamente ao público os vossos produtos. Nao se deixem ditar os recos pelos sanguesugas, gaios etc... Há tantos lugares idiais para venderem os produtos basta um bocadinho de imaginacao.
Comentários 3 Comentar

Últimas


Pub