Expresso

Siga-nos

Perfil

Perfil

Atualidade / Arquivo

Zimbabwe tem novo primeiro-ministro

  • 333

O empossado Morgan Tsvangirai promete perdoar Mugabe e os seus apoiantes pelos assassínios no interior do partido que dirige, que ocorreram antes das eleições de Março de 2008 e no rescaldo das mesmas.

Sérgio Muti, correspondente em Harare

O líder da principal facção da oposição - Movimento para a Mudança Democrática (MDC) -, Morgan Tsvangirai, foi hoje empossado primeiro-ministro do Zimbabwe, num Governo de unidade em que participa o seu velho rival, Robert Mugabe.

Tsvangirai prestou juramento numa cerimónia à qual assistiu uma multidão de convidados no recinto da Casa de Estado oficial de Mugabe. "Servirei bem e lealmente o Zimbabwe no cargo de primeiro-ministro, com a ajuda de Deus," disse Tsvangirai ao prestar juramento perante Mugabe, sob uma tenda branca no relvado do palácio presidencial.

Tsvangirai prometeu perdoar Mugabe e os seus apoiantes pelos assassínios no interior do MDC, que ocorreram antes das eleições de Março de 2008 e no rescaldo das mesmas, quando Tsvangirai se retirou alegando violência e mortes.

"Prometo-lhe a dádiva do amor, a dádiva da paz. Todos sentimos tristeza pela perda daqueles que amamos. Vamos perdoar mas não esquecer. O Zimbabwe precisa de paz e em paz servirei como seu primeiro-ministro", disse Tsvangirai.

O ex-Presidente sul-africano Thabo Mbeki, que mediou as conversações de partilha do poder, assistiu à cerimónia ao lado do Presidente Armando Guebuza de Moçambique e do Rei Mswati III, da Suazilândia.

Tsvangirai e Mugabe serão pressionados a agir rapidamente para aliviarem o sofrimento dos zimbabueanos mais pobres. O colapso económico do país levou à maior taxa de inflação do mundo, deixou milhões de pessoas dependentes da assistência alimentar internacional, e não evitou um surto de cólera que matou cerca de 3 400 pessoas desde Agosto.

Foram igualmente empossados dois substitutos de Tsvangirai, Thokozani Khupe e Arthur Mutambara.