Siga-nos

Perfil

Expresso

Atualidade / Arquivo

Vêm aí as coimas para carros poluentes

A partir de segunda-feira, a Polícia vai começar a aplicar multas aos veículos anteriores a 1992 que circulem nas zonas interditas em Lisboa.

A Polícia Municipal de Lisboa vai começar, a partir de segunda-feira, a aplicar coimas aos veículos com matrículas anteriores a 1992 que circulem nas zonas onde estão proibidos e os valores podem ir de 25 até quase 125 euros.

Desde o dia 1 de abril que os veículos anteriores a 1992 têm restrições à circulação mais apertadas em Lisboa, no seguimento da implementação da segunda fase da zona de emissões reduzidas (ZER) criada pela câmara com o objetivo de melhorar a qualidade do ar.

Desde essa data, os veículos ligeiros e pesados anteriores àquele ano (sem catalisador) ficaram proibidos de circular na zona a sul do eixo criado pelas avenidas de Ceuta, das Forças Armadas, dos Estados Unidos da América, Marechal António Spínola, Santo Condestável e Infante D. Henrique e pelo Eixo Norte/Sul.

A implementação da segunda fase da ZER restringe a circulação também no eixo Avenida da Liberdade/Baixa, onde desde julho os carros sem catalisador estão impedidos de circular.

Nestas duas primeiras semanas de implementação da segunda fase da ZER, as autoridades e a autarquia optaram por ter uma postura de informação e sensibilização perante os automobilistas, mas a partir de segunda-feira acaba o período de tolerância.

Operações stop ocasionais

"Vamos começar a aplicar as coimas", disse à Agência Lusa o comandante da Polícia Municipal, André Gomes.

Além dos procedimentos habituais, a polícia vai realizar ocasionalmente operações stop para detetar possíveis infratores.

No entanto, o comandante André Gomes sublinhou que, em determinadas ocasiões, o infrator pode não ser mandado parar e a coima ser enviada para casa.

"Não vamos complicar o trânsito. Não faz sentido, na Avenida da Liberdade, estar a criar uma fila enorme", defendeu.

Do contacto que teve estas duas semanas com os automobilistas, o comandante da Polícia Municipal disse que "não ficam muito satisfeitos", mas, depois de os agentes explicarem que o objetivo é melhorar a qualidade do ar da capital, acabam por aceitar.

"Estamos numa altura complicada, de crise. Mas as pessoas podem pôr um catalisador e legalizar o veículo junto do Instituto da Mobilidade e dos Transportes Terrestres", lembrou.

André Gomes referiu ainda que as coimas vão dos 24,94 euros até aos 124,70 euros. De fora destas restrições ficam os táxis e os autocarros, que vão ter um período alargado para fazerem as modificações técnicas que os permitam circular nas zonas de emissões reduzidas.