Siga-nos

Perfil

Expresso

Atualidade / Arquivo

Van Zeller deixa estaleiros após cinco dias de presidência

Francisco Van Zeller manteve-se como presidente da Comissão para a reprivatização dos Estaleiros de Viana do Castelo apenas cinco dias. Leia as declrações polémicas que o terão levado à demissão.

Anabela Natário e Liliana Coelho (www.expresso.pt)

Os Ministros da Defesa e das Finanças assinaram ontem um despacho que aceita o pedido de demissão de Francisco van Zeller do cargo de presidente da Comissão de Acompanhamento do processo de reprivatização dos Estaleiros de Viana do Castelo (ENVC), segundo a "TSF".

Em causa estará uma entrevista de Van Zeller, terça-feira, à Antena 1, na qual fez algumas declarações polémicas como, por exemplo, que um dos entraves aos estaleiros é uma mão-de-obra "muito desatualizada e habituada a maus hábitos" e outro a existência de "um sindicato comunista violento".

"Tem um passivo gigante e tem um passivo pior do que tudo: uma mão de obra muito antiga, muito desatualizada, muito habituada a muitos maus hábitos, portanto, vai demorar muito tempo a pôr aquilo direito", afirmou.

 "Se conseguirem resolver o passivo, que é enormíssimo, e conseguirem resolver os problemas dos recursos humanos, que também são enormíssimos, sobretudo tem lá dentro, enquistado, um sindicato comunista muito violento... Têm de resolver isso primeiro, ao resolver isso os estaleiros em si são muito bons", acrescentou Van Zeller.

PCP e trabalhadores tinham pedido a demissão de Van Zeller 

No dia seguinte, quarta-feira, no Parlamento, o PCP questionava o Governo sobre se o ministro da Defesa Aguiar Branco, depois das declarações feitas à rádio, mantinha a confiança no presidente da Comissão de Acompanhamento do processo de reprivatização dos ENVC e pediu a demissão de Francisco Van Zeller.

O engenheiro químico e empresário terá pedido nessa quarta-feira, ainda segundo a TSF, a demissão do cargo, para o qual fora nomeado no dia 12. O Expresso tentou contatar Van Zeller mas não obteve qualquer resposta.

A Comissão de Trabalhadores dos Estaleiros Navais de Viana também já tinha considerado as afirmações "inaceitáveis" e solicitado a demissão de Francisco van Zeller, que foi presidente da CIP entre 2012 e 2010.

Em declarações hoje à "Antena1", o líder da Comissão de Trabalhadores dos Estaleiros, António Costa, disse que a demissão "é uma oportunidade para parar o processo de privatização depois de uma saída que considerou inevitável".  

Francisco van Zeller afirmara, na mesma entrevista, que o vencedor do concurso da privatização seria decidido antes do fim do ano. "Logo a seguir, têm de fazer todos os trâmites para eles poderem tomar posse e começar a trabalhar", frisara.

Ao início da noite de sábado, o secretário de Estado da Defesa, Paulo Braga Lino, disse à TSF ser possível alargar-se o prazo para aceitar as propostas à privatização, mas garantiu que não vai haver atrasos no processo.