Siga-nos

Perfil

Expresso

Atualidade / Arquivo

Utilizadores deviam exigir ao Google e ao Facebook os seus dados

O inventor da Web, Tim Berner-Lee, diz que os utilizadores não têm consciência dos dados que os gigantes da Internet têm sobre si e de como essa informação lhes pode ser útil

Alexandre Costa (www.expresso.pt)

Nos anos mais recentes deu-se uma explosão da quantidade de informação personalizada que passou a ficar registada e a generalidade das pessoas ainda não se deu bem conta do seu valor, nem de como lhes pode ser útil, afirmou Tim-Berner-Lee, em entrevista ao "The Guardian".

As declarações do professor do M.I.T. que inventou a World Wide Web há três décadas surgem no sentido de incentivar os utilizadores a pressionarem os gigantes da Internet, como o Google e o Facebook, a fornecerem-lhes os dados que têm sobre si, de modo a avançar-se para uma nova era de serviços informáticos altamente personalizados com "um tremendo potencial para ajudar a humanidade".

"O meu computador sabe muito sobre a minha condição física, sobre as coisas que ando a comer, sobre os locais onde me encontro. O meu telefone compreende, por estar no meu bolso, quanto exercício tenho feito e quantos lances de escadas tenho subido e descido", referiu Tim Berners-Lee, exemplificando o tipo de informação personalizada que passou a ficar registada num passado recente.

Berners-Lee mostra-se preocupado com o surgimento de sistemas fechados como a rede social do Facebook ou os dispositivos da Apple, que considera ameaçarem a abertura e universalidade que os arquitectos da Internet consideraram central quando a conceberam.

Um equilíbrio quanto às restrições

Quanto aos dados obtidos sobre os utilizadores, Berners-Lee referiu que se deverá caminhar para um equilíbrio sobre as restrições à informação registada e a sua utilização.

"Se vou a comprar roupas a uma loja, será útil que a loja saiba o meu tamanho, pois sou péssimo a lembrar-me disso... Em vez de impedir as pessoas de obterem toda a informação, estamos a dirigirmo-nos para um mundo em que as pessoas acordem em não usar essa informação para fins específicos... como (por exemplo) certificar-me que uma companhia de seguros, mesmo que o seu agente de seguros seja amigo de um amigo nosso no Facebook, não use essa informação para definir o valor da apólice", afirmou.

Mas para Berners-Lee o motivo de maior preocupação em relação aos últimos desenvolvimentos da Internet são as tentativas de regimes políticos de aumentarem o controlo e espiarem a rede, o que poderá levar a uma "destruição de direitos humanos".