Siga-nos

Perfil

Expresso

Atualidade / Arquivo

Transplante: 'Milagre português' dá esperança a criança espanhola

Numa operação rara, menino espanhol recebe quatro órgãos de criança portuguesa. Os médicos falam em "milagre".

Um menino espanhol de quatro anos recebeu um transplante de quatro órgãos abdominais de uma criança portuguesa, uma dádiva considerada um "milagre" pelos pais que já agradeceram à família doadora.

Foi a cooperação europeia a nível de transplantação que "permitiu este milagre", disse à agência Lusa a coordenadora nacional das unidades de colheita da Autoridade para os Serviços de Sangue e da Transplantação (ASST), Maria João Aguiar.

Operação rara

O menino recebeu um multitransplante - duodeno, intestino, pâncreas e fígado -, uma operação "rara e difícil", segundo Maria João Aguiar.

Agora, a nova luta do rapaz de Arkotxa (Zaratamo, no País Basco) é adaptar o seu organismo aos novos órgãos doados por uma família portuguesa que perdeu o filho.

O transplante foi possível graças a uma doação proveniente de Portugal, disse o diretor da Organização Nacional de Transplantes espanhola, Rafael Matesanz.

"Perante a dificuldade de conseguir um doador em Espanha, estendemos as buscas além da nossa fronteira. O milagre ocorreu em Portugal: o país irmão com quem Espanha mantém uma cooperação muito estreita em matéria de transplantes e nos fez ver a luz no fim do túnel", adiantou Matesanz.

A operação, realizada na madrugada de quarta-feira e que durou mais de seis horas, foi conduzida por Manuel Lopes Santamaria, que dirigiu a equipa cirúrgica do Hospital de La Paz, em Madrid, e é considerado o melhor especialista de transplante pediátrico em Espanha.

Apesar de a operação ter sido considerada "perfeita" pelos familiares, os especialistas do hospital madrileno escusaram-se a fazer uma avaliação. "As primeiras 24 horas são críticas. A criança está na Unidade de Cuidados Intensivos" e só mais tarde será divulgado um relatório médico, disse um porta-voz do hospital.

O multitransplante ocorreu precisamente um mês depois da intervenção a que a criança doi submetida para remover um tumor raro, instalado no abdómen desde a gestação e que se desenvolveu até atingir os 700 gramas.

"O melhor presente de Natal"

Para o pai do menino, este foi "o melhor presente de Natal" e fez questão de agradecer o gesto de solidariedade à família portuguesa: "Nós temos os sentimentos à flor da pele e quero estender os nossos agradecimentos a uma família que está a passar por aquilo que não quero passar".

Maria João Aguiar manifestou-se "muito orgulhosa" com a rede de colheita portuguesa e com os profissionais que permitiram este "milagre europeu".

"As famílias compreendem muito bem os benefícios da doação e a nossa preocupação é que estes órgãos sejam todos aproveitados. E uma vez que não tínhamos recetor para os órgãos abdominais do dador, nós oferecemos a Espanha",contou.

Estas operações "tão raras e tão difíceis são ocasiões únicas e ficamos todos muito orgulhosos de Portugal ser tão bom em doação que consegue, a nível da Europa, ser um veículo destes milagres de transplantação", frisou.

Por outro lado, acrescentou, foi a "melhor maneira de honrar a doação desta família portuguesa".