Siga-nos

Perfil

Expresso

Atualidade / Arquivo

R.E.M. chegam ao fim (vídeos)

Banda norte-americana despede-se dos fãs após 31 anos de carreira. (Vídeos no fim do texto)

O grupo rock norte-americano R.E.M. anunciou hoje, na página oficial na Internet, que pôs um ponto final da banda, fundada em 1980.

Numa curta declaração dirigida aos fãs e amigos, os três músicos dizem que chegou o dia de anúncio de despedida, mas que o fazem com sentido de "gratitude" e de "espanto" por tudo o que fizeram.

"A todos os tocados pela nossa música, o nosso mais profundo agradecimento por nos terem ouvido", assinam.

Michael Stipe, Mike Mills, Peter Buck e Bill Berry (baterista que entretanto saiu) formaram os R.E.M. em 1980 em Athens, na Georgia, Estados Unidos, e editaram no ano seguinte o single "Radio Free Europe".

É a publicação Allmusic que diz: "Os R.E.M. marcam o momento em que o post-punk se transforma em rock alternativo" e o single "Radio Free Europe" alimentou o movimento de bandas de garagem.

"Sempre fomos uma banda no verdadeiro sentido da palavra, irmãos que se respeitavam e amavam", afirmou Mike Mills na mensagem de despedida, sublinhando que não há mágoas, nem advogados nem disputas na origem do fim da banda. "Pareceu-nos o momento certo", explicou o baixista.

"Collapse into Now", o último álbum da carreira

A despedida acontece meses depois da edição do álbum "Collapse into Now", o 15.º de carreira, e para a banda pareceu natural ser este o último disco: "as canções parecem traçar um percurso natural pelos 31 anos de trabalho conjunto", escreveu Mike Mills.

Para Michael Stipe, a decisão não foi fácil, mas "tudo tem um fim", ainda que fiquem as canções de trinta anos de carreira, importantes tanto para os fãs como para os músicos, reforçou o guitarrista Peter Buck.

Os grandes momentos de sucesso da banda foram vividos nos anos 1990, com os álbuns "Out of Time" (1991) e "Automatic for the people" (1992), como os quais foram crescendo até os apelidarem de uma das grandes banda do rock alternativo, para concertos de estádio e de grandes salas de espetáculos.

"Out of the Time" revelava as canções "Losing my religion" e "Shiny Happy People" e do album "Automatic for the people" ganhou vida "Everybody Hurts". Na ressaca do sucesso desses dois álbuns, gravaram "Monster" em 1994.

Nos últimos anos, a crítica deixou de ser unânime, mas a banda tentou manter-se fiel aos princípios estéticos que defendeu, a par de causas sociais e políticas às quais se foi associando.

Entre os últimos álbuns que os R.E.M. editaram, e chegaram a apresentar em Portugal, estão "Up" (1998), "Around the Sun" (2004), além de "Accelerate" (2008) e "Collapse into Now" (2011).

Recorde alguns dos seus êxitos:

Everybody Hurts
Man On the Moon
It's The End Of The World
Orange Crush
The One I Love
Fall On Me
Losing My Religion
Drive
Shiny Happy People
Imitation of Life