Siga-nos

Perfil

Expresso

Atualidade / Arquivo

Rei de Espanha recebe perto de €300 mil brutos anuais

Inaki Urdangarin (à direita), marido da infanta Cristina, não foi até agora formalmente acusado mas as suspeitas que o atingem chamou a atenção da opinião pública para as finanças da família real espanhola

Dani Cardona/Reuters

Gastos do palácio real surgem depois das notícias que apontyam um genro do rei, Inaki Urdangarin, marido da infanta Cristina, como suspeito de apropriação de fundos públicos.  

A casa real de Espanha divulgou hoje pela primeira vez as finanças da família real, indicando que o Rei Juan Carlos tem um rendimento anual bruto de 292.752 euros e o filho, o príncipe Felipe, de cerca de metade.  

Segundo o palácio real, o rendimento do Rei engloba um salário de 140.519 euros e uma verba para despesas de representação de 152.233 euros. O montante total é sujeito a uma taxa de 40% de imposto.   

A rainha Sofia e as princesas Cristina, Elena e Letizia recebem um total de 375.000 euros - tanto o montante como a repartição são decididos pelo rei - e o príncipe Felipe 146.375 euros.  

O palácio real tem um orçamento anual atribuído pelo Parlamento. Em 2011, esse orçamento foi de 8,4 milhões de euros. As dotações e gastos da família real representam 9,65% do orçamento total.  

Salários reduzidos em 2012

A divulgação destas informações, colocadas no site do palácio, ocorre semanas depois de a imprensa noticiar que um genro do rei, Inaki Urdangarin, marido da infanta Cristina, é suspeito de apropriação de fundos públicos.  

Inaki Urdangarin não foi até agora formalmente acusado, mas o caso chamou a atenção da opinião pública para as finanças da família real, sobretudo dado o contexto de grave crise económica.  

Nem Inaki Urdangarin nem o ex-marido da infanta Elena receberam alguma vez rendimentos do orçamento da casa real, segundo o palácio.  

No âmbito das medidas de austeridade aprovadas pelo Governo espanhol, o orçamento do palácio real vai sofrer em 2012 um corte de cerca de 5% e os salários da família real e de todos os funcionários uma redução de 15%.