Siga-nos

Perfil

Expresso

Atualidade / Arquivo

PSD vai estar na manifestação

Arménio Santos, líder dos trabalhadores sociais-democratas e deputado do PSD, vai à manifestação de dia 8 de Março contra a política de educação do Governo.

Ao contrário do que Ribau Esteves, secretário-geral do PSD, chegou a admitir como possível, a direcção do PSD não se vai fazer representar na manifestação de professores marcada para 8 de Março. Nem Ribau, nem Luís Filipe Menezes, nem Pedro Duarte, o porta-voz do partido para a Educação, vão comparecer na manifestação, onde a presença social-democrata ficará a cargo de Arménio Santos, o líder dos TSD's(trabalhadores sociais-democratas).

Arménio Santos esteve na quarta-feira com o líder do PSD nas reuniões com os vários sindicatos que integram a Plataforma da manifestação nacional. E onde, além da Fenprof (afecta à CGTP), a maioria das estruturas sindicais (FNE, SINDEP e SINAP) são dirigidas pela tendência sindical social-democrata. "Não fui à manifestação promovida pela Plataforma há um ano contra a política de educação do governo mas desta vez quero estar presente", afirmou Arménio Santos ao Expresso, acrescentando ser um defensor intransigente da avaliação dos professores mas um opositor absoluto do processo de avaliação escolhido pelo governo de Sócrates.

Na reunião que o PSD teve quarta-feira com a Fenprof (uma reunião histórica, já que pela primeira vez a direcção do partido se sentou à mesa com esta estrutura afecta à CGTP), os responsáveis da Fenprof deixaram claro que quem está a liderar o protesto do dia 8 é o movimento sindical e não os partidos. A presença de rostos sociais-democratas conotados com a direcção do PSD não parece, no entanto, ter estado verdadeiramente em causa. Luís Filipe Menezes optou por retirar dividendos políticos desta crescente frente de contestação ao Governo deixando claro o seu total apoio à manifestação nacional.