Siga-nos

Perfil

Expresso

Atualidade / Arquivo

Presidente da Google orgulhoso da fuga aos impostos

"Chama-se capitalismo", declarou Eric Schmidt a propósito do esquema que permitiu à Google poupar milhares de milhões de euros através de paraísos fiscais

Alexandre Costa (www.expresso.pt)

O atual presidente executivo e ex-presidente do conselho de administração da Google, Eric Schmidt, diz que não fez nada de ilícito, acrescentando mesmo estar "orgulhoso" de ter criado um esquema que permitiu ao gigante da Internet poupar milhares de milhõesde euros em impostos através de paraísos fiscais.

"Estou muito orgulhoso da estrutura que montámos. Fizemo-lo com base nos incentivos que governos nos ofereceram", afirmou Eric Schmidt a propósito da estratégia da empresa sediada na Califórnia, que passou pela colocação de cerca de 7,7 mil milhões de euros das receitas de 2011 nas Bermudas, o que permitiu a poupança de cerca de 1,5 mil milhões em impostos.

As declarações, proferidas por Schmidt, ontem à noite em Nova Iorque, estão a causar impacto e a ser vistas como afronta, em especial no Reino Unido, após a recente revelação de que apesar de em 2011 a Google ter registado 3 mil milhões de receitas no território, apenas pagou 7,5 milhões em impostos.

As 'leis' do mercado 

"Chama-se capitalismo. Nós somos orgulhosamente capitalistas. Não faço qualquer confusão sobre isso", referiu Schmidt.

Comentando a sua opção e as estratégias similares seguidas pelos responsáveis da Starbucks e da Amazon, que permitiram fugir ao pagamento de impostos no Reino Unido, o presidente executivo da Google afirmou mesmo com algum sarcasmo que outra opção iria contra a lógica do mercado e a defesa dos interesses dos acionistas: "Há muitos benefícios em ser-se britânico (...) É muito bom para nós, mas, chegarmos aos acionistas e dizer 'ponderámos sobre 200 países mas sentimos pena das pessoas britânicas e quisemos (pagar-lhes mais)', provavelmente haverá alguma lei contra isso".