Siga-nos

Perfil

Expresso

Atualidade / Arquivo

Porteiro da escola de Leandro alvo de processo disciplinar (vídeo)

Porteiro da escola de Mirandela incorre numa sanção disciplinar quer pode levar à sua  expulsão da Função Pública, por ter resultado na morte de um aluno. (Veja vídeo SIC)

Um dos porteiros da escola de Leandro, a criança de 12 anos que morreu afogada no rio Tua, vai ser alvo de um processo disciplinar, determinou o inquérito conduzido pela autarquia a que Lusa teve hoje acesso. 

A escola EB 2/3 Luciano Cordeiro tem dois porteiros e aquele que se encontrava de serviço à hora de almoço a 2 de março poderá vir a ser sancionado disciplinarmente por não ter evitado a saída do grupo de alunos que acabou na morte de Leandro. 

O funcionário, que depende hierarquicamente da autarquia, incorre numa sanção disciplinar que poderá levar à aplicação da sanção mais grave, a expulsão da Função Pública, por ter resultado na morte de um aluno.  

Porteiro estava reportado em relatório do Ministério da Educação

O porteiro já tinha sido identificado no inquérito realizado pelo Ministério da Educação que ilibou a escola de responsabilidades e não encontrou motivo para procedimento disciplinar daqueles que dependem diretamente do Ministério, ou seja, docentes e dirigentes. 

Como o pessoal não docente está integrado nos quadros municipais, o Ministério remeteu certidões à autarquia para que agisse em conformidade, o que levou à realização de novo inquérito, cujas conclusões são hoje conhecidas.

*** Este texto foi escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico*** 

Clique para ler a Nota da Direcção do Expresso sobre o novo Acordo Ortográfico.