Expresso

Siga-nos

Perfil

Perfil

Atualidade / Arquivo

Polícia russa procura duas outras "Pussy Riot"

  • 333

Autoridades russas emitiram mandado de captura contra outras duas raparigas da banda "Pussy Riot", que participaram na "oração punk" contra o Presidente Vladmir Putin.

Maria Luiza Rolim (www.expresso.pt)

Afinal não são três, mas cinco as integrantes do "Pussy Riot". Depois de terem detido e levado a julgamento três das cinco integrantes da banda punk-rock - que acabaram por ser condenadas na passada semana a dois anos de prisão por vandalismo e "incitamento ao ódio religioso"-, as autoridades russas estão agora a procurar outras duas cantoras do grupo, que estão a monte.

As duas raparigas - junto com Nadejda Tolokonnikova, de 22 anos, Ekaterina Samoutsevitch, de 29, e Maria Alekhina, de 24 -  partiparam, encapuzadas, na performance no dia 21 de fevereiro, no altar da catedral ortodoxa de Cristo-Redentor, em Moscovo, e cantaram a canção de protesto contra o Presidente russo Vladimir Putin. Se vierem a ser detidas, serão igualmente julgadas e, muito provavelmente, condenadas a penas de prisão.

Em declarações à France Press, um representante da polícia de Moscovo afirmou que "as operações de busca estão em curso".

Defesa vai apresentar recurso

Entretanto, a defesa das "Pussy Riot" entretanto condenadas vai recorrer da sentença, afirmou hoje o advogado das raparigas. Nikolái Pólozov ressaltou que ainda não recebeu a cópia da sentença, e que a partir do momento em que o documento estiver disponível, terá dez dias para apresentar o recurso.

As manifestações  contra a condenação das "Pussy Riot", considerada desproporcional, sucedem-se dentro e fora de Moscovo, e um pouco por todo o mundo, como se viu nos últimos dias em Nova Iorque, Milão, Warsaw (Polónia), Praga e México, entre outras cidades.

O MNE russo pediu para se evitar "histeria" em torno da banda.