Siga-nos

Perfil

Expresso

Atualidade / Arquivo

Penn State: o caso 'Casa Pia' que abala os EUA (vídeo)

Jerry Sandusky foi detido como consequência das alegações de abuso sexual de crianças

Pennsylvania State Attorney Generals Office/Handout/Reuters

Acusação de pedofilia contra o antigo treinador assistente de Penn State, Jerry Sandusky, está a revoltar os EUA e suscita críticas de encobrimento a um dos mais consagrados treinadores norte-americanos, Joe Paterno.

Tiago Oliveira (www.expresso.pt)

É o escândalo que ameaça abalar os mais profundos alicerces do funcionamento das equipas universitárias norte-americanas. O caso Penn State tem vindo a ocupar as primeiras páginas dos principais jornais dos EUA e as consequências das alegações de abuso sexual a crianças prometem permanecer na ribalta. A principal figura do caso de alegada conduta pedófila é Jerry Sandusky, antigo treinador assistente da equipa de futebol americano da Universidade de Penn State, na Pensilvânia. De acordo com a acusação, o técnico terá abusado de, pelo menos, oito crianças, entre 1994 e 2009. Para além da gravidade das acusações sexuais, o caso tem suscitado enorme revolta e indignação devido à conduta dos principais responsáveis da faculdade, que tendo conhecimento privado das acusações de que Jerry Sandusky era alvo continuaram a dar-lhe acesso ao campus e nada reportaram às autoridades policiais.
Joe Paterno foi treinador de Penn State durante 46 anos

Joe Paterno foi treinador de Penn State durante 46 anos

Carolyn Kaster/AP Photo

A polémica já custou a prisão de Jerry Sandusky, a demissão do reitor da Universidade de Penn State, Graham Spanier, e o despedimento de Jerry Paterno, o treinador principal da equipa de futebol americano desde 1966 e um dos mais consagrados e amados técnicos americanos.

Disfarce da caridade

Nascido a 26 de janeiro de 1944, Jerry Sandusky foi contratado como treinador assistente de Joe Paterno em 1969, tendo sido promovido a coordenador defensivo em 1977, posição da qual se reformou em 1999. Reconhecido pela sua valia técnica, foi considerado um dos grandes treinadores adjuntos a nunca ter atingido a posição de técnico principal, tendo, por vezes, o reconhecimento reservado apenas ao lugar de topo da equipa técnica. No final dos 30 anos que passou como treinador adjunto foi considerado treinador emérito pela Penn State e foi-lhe concedida permissão para continuar a frequentar o campus da universidade, onde os alegados crimes foram praticados. A criação da Second Mile, uma instituição de caridade onde se dava "segundas oportunidades" a crianças desfavorecidas em 1977, providenciou, de acordo com a acusação, a cobertura para os abusos sexuais.

Encobrimento criminoso

As primeiras suspeitas de pedofilia por parte de Jerry Sandusky surgiram na primavera de 2008, quando a mãe de um rapaz (conhecido nos autos judiciais como vítima 1) participante no programa Second Mile denunciou que o filho tinha sido abusado pelo treinador. Após uma investigação de três anos e entrevistas com oficiais da Penn State, conclui-se haver factos suficientes para acusar de abusos sexuais Jerry Sandusky, bem como responsáveis da faculdade e da equipa técnica de terem conhecimento das ações daquele e não terem atuado de forma mais decisiva.
Criada por Jerry Sandusky em 1977, a "Second Mile" ajudava alguns dos supostamente abusados

Criada por Jerry Sandusky em 1977, a "Second Mile" ajudava alguns dos supostamente abusados

Pat Little/Reuters

Uma conclusão alicerçada no relato de um dos treinadores adjuntos de Joe Paterno, Mike McQueary, que afirmou ter visto e ouvido Jerry Sandusky a ter comportamentos impróprios com uma criança no duche. Mike McQueary terá então relatado o caso a Joe Paterno, que por sua vez o reportou aos responsáveis da universidade, os quais meramente "aconselharam" Jerry Sandusky a não ir para o duche com crianças da Second Mile.

"Só brinquei"

A revelação do encobrimento das alegações, sobretudo por parte de Joe Paterno, geraram enorme consternação e indignação no país, levando inúmeras figuras públicas a pedir a demissão do treinador. Este anunciou que se retiraria no final do ano, só para ser despedido no mesmo dia. Os responsáveis da universidade que supostamente tiveram conhecimento do caso, bem como o treinador adjunto Mike McQueary, seguiram o mesmo caminho. Libertado sob fiança enquanto aguarda pelo julgamento, Jerry Sandusky afirmou em entrevista à NBC nada ter feito de impróprio nos duches, afirmando mesmo só ter estado "na brincadeira" com alguns jovens. Espera-se agora pelos próximos desenvolvimentos da história que centra atenções nos EUA. Veja o vídeo da entrevista de Jerry Sandusky: