Siga-nos

Perfil

Expresso

Atualidade / Arquivo

Pedofilia: Bispo das Forças Armadas admite ocultação de casos

D. Januário Torgal Ferreira não acredita numa campanha contra o Papa e admite a existência de "ocultação" de casos de pedofilia por parte da Igreja. (Vídeo no fim do texto)

O bispo das Forças Armadas, D. Januário Torgal Ferreira, admitiu hoje a "ocultação" de casos de pedofilia por parte da Igreja e disse não acreditar na existência de uma campanha contra o Papa, numa entrevista à TSF e ao Diário de Notícias. 

Afirmando desconhecer a existência de casos de pedofilia na Igreja em Portugal e garantindo que se conhecesse algum o denunciaria, o bispo das Forças Armadas garante ter tomado conhecimento de problemas, sobretudo nos Estados Unidos. 

"A conclusão a que eu cheguei é esta: sem haver objetivos de ocultação (...) houve bispos - que eu tenho que respeitar - que perante determinados crimes olharam para o filho pródigo, que era o sacerdote, e puseram-no em roda livre: "Vais para aqui, para este caso não ser conhecido". Entretanto, não é só ocultar: "Eu espero que tu te convertas", explicou D. Januário Torgal Ferreira. 

Defendendo que este não é um problema de fundo da Igreja, o bispo das Forças Armadas manifestou-se "altamente escandalizado" com a situação e deixou uma pergunta: "Como é que colegas meus, anos e anos, permitiram estes erros?". 

"Não encontro explicação nenhuma, tenho muita vergonha. Eu tenho explicações do ponto de vista psicanalítico, que não quero tornar sistemáticas neste sentido: um tipo que é agredido sexualmente agride outro. Mas isso para mim não é regra", respondeu prontamente. 

Sobre as acusações que nos últimos dias têm visado o Papa Bento XVI, o bispo das Forças Armadas relembrou que não existem provas documentais.

Torgal Ferreira considerou igualmente que não existe uma campanha contra Bento XVI: "A minha posição de homem e de bispo é que não há campanha, não há má vontade. E quem entrar por aí - que é uma má vontade contra o Papa, contra a Igreja e uma perseguição - está a dar um tiro no pé".