Siga-nos

Perfil

Expresso

Atualidade / Arquivo

Paula Rego pede mais apoio financeiro para a cultura

"Até era bom fazermos uma lotaria nacional e o dinheiro que se ganhasse reverteria para a cultura portuguesa", sugeriu Paula Rego.

A pintora Paulo Rego mostrou-se hoje "muito feliz" com o galardão de Personalidade Portuguesa do Ano que lhe foi atribuído pela Associação da Imprensa Estrangeira em Portugal, apelando a um maior apoio financeiro para a cultura.

Na cerimónia de receção do prémio, que teve lugar no Casino do Estoril, Paula Rego disse estar "muito feliz" pelo reconhecimento de 50 anos de trabalho e, uma vez na presença da ministra da Cultura, Gabriela Canavilhas, aproveitou para apelar a que haja mais apoio financeiro para a cultura.

"Até era bom fazermos uma lotaria nacional e o dinheiro que se ganhasse reverteria para a cultura portuguesa, que bem precisa", sugeriu.

A pintora, que dá nome a um museu em Cascais (Casa das Histórias de Paula Rego), dedicou o prémio ao presidente da autarquia cascalense, António Capucho, a quem deve a criação daquela obra e quem diz ser "um homem apaixonado pela cultura".

Figura mundial

Gabriela Canavilhas, que entregou o galardão à pintora, mostrou-se também muito satisfeita por, mais uma vez, o prémio ter sido destinado a uma personalidade ligada às artes.

"A Paula Rego é uma figura mundial que leva o nome de Portugal e estamos todos agradecidos pela sua obra, que nos enche de orgulho", afirmou a ministra.

Aos jornalistas, a pintora portuguesa reforçou o seu estado de espírito: "Estou muito feliz porque faço o que gosto."

Agraciada por Isabel II

Com um nome reconhecido em todo o mundo, Paula Rego é colocada entre os quatro melhores pintores vivos em Inglaterra, tendo sido este ano agraciada pela rainha Isabel II com o grau de Dama Oficial da Ordem do Império Britânico, pela sua contribuição para as artes.

Paula Rego nasceu em 1935, em Lisboa. Partiu em 1954 para Londres, onde frequentou a Slade School of Art. Casada com o pintor inglês Victor Willing, permaneceu em Inglaterra, onde fixou residência em 1976.

O Prémio Personalidade do Ano foi criado com o objetivo de distinguir um cidadão nacional com um forte contributo para a notoriedade de Portugal no mundo.