Siga-nos

Perfil

Expresso

Atualidade / Arquivo

Novo Museu dos Coches dá azo a manifestação

A Plataforma Pelo Património Cultural e o Fórum Cidadania LX arrancam hoje com uma série de iniciativas contra a construção do museu. Os protestos incluem uma manifestação no local onde o edifício será construído.

"Basta de Trapalhadas: Quem quer o novo Museu dos Coches?; Basta de Esbanjamento: Se não sabem gastar dinheiro, perguntem; e Basta de Incompetência: Já não temos paciência", serão as palavras de ordem da manifestação organizada pela Plataforma Pelo Património Cultural (PP-CULT), pelo Fórum Cidadania LX e pelos subscritores e promotores da petição "Salvem os Museus dos Coches e de Arqueologia e a Cordoaria Nacional".

O protesto público está marcado para as seis da tarde de dia 18, em frente ao local onde o novo espaço museológico será construído.

A manifestação será o culminar de uma série de acções com vista a demover o Governo da sua decisão. O primeiro passo dos protestos levados a cabo contra a construção do novo Museu dos Coches será dado hoje com a entrega de uma carta na residência oficial do primeiro-ministro.

Até dia 18, este grupo de acção torna públicas as razões da sua tomada de posição. Segundo comunicado à imprensa, a PP-CULT e o Fórum Cidadania Lisboa assumem a sua consternação perante "a tentativa actualmente em curso de dar início ao processo de demolição de algumas das áreas onde se pretende vir a edificar o Museu Nacional dos Coches, sem para o efeito estarem sequer reunidas as condições mínimas de segurança respeitadores de pessoas, arquivos, colecções e equipamentos aí instalados".

E propõem desde já "denunciar veementemente a gravidade da acção assim empreendida, e considerar desde já passível de responsabilização, cível e criminal, todos os seus autores pelos eventuais danos pessoais e patrimoniais que daí possam advir".

José Aguiar (presidente do ICOMOS), Luís Raposo (presidnete do ICOM), João Neto (presidente da APOM), Helder Ferreira (presidente da PROGESTUR), João Caninas (presidente da AG da CPADA), Paulo Ferrero (um dos responsáveis do Fórum Cidadania LX) e José Morais Arnaud (um dos promotores da petição), entre muitos outros, exigem ainda "a imediata suspensão" das obras nas instalações das Oficinas Gerais de Material do Exército, "pelo menos até que esteja garantida e concretizada em condições dignas um Plano de Transferência para outras instalações de todos os arquivos, colecções e equipamentos do Ministério da Cultura actualmente localizados naquele espaço.

O mesmo grupo de acção vai solicitar a intervenção das competentes autoridades fiscalizadoras e inspectivas das condições de higiene e segurança no trabalho, de modo a que sejam certificados os requisitos que a lei impõe nestes domínios para a salvaguarda dos direitos de segurança e saúde no local de trabalho de todos os funcionários do Ministério da Cultura (MC) instalados naquele espaço.

Ao mesmo tempo, a PP-CULT e o Fórum Cidadania LX prometem vir a "acentuar" através de todos os meios ao seu alcance, "a extrema importância e o carácter único e insubstituível do acervo patrimonial e arqueológico existente nas Oficinas ainda tuteladas pelo MC.

Trata-se, dizem, de um acervo que "preenche funções essenciais em domínios tais como a monitorização e a fiscalização de trabalhos arqueológicos ou o acompanhamento de estudos de impacte ambiental, casos em que qualquer diminuição de operacionalidade do Estado não apenas terá consequência potencialmente dramáticas para o património nacional, como implicará as consequentes queixas e penalidades impostas pela legislação europeia.

Os signatários do comunicado, agora enviado às redacções, fazem também questão de afirmar a sua "convicção absoluta, unanimemente partilhada por todos os especialistas e meros observadores das questões patrimoniais, de que a construção de um novo Museu dos Coches não constitui de modo nenhumprioridade da política museológica nacional, possuindo mesmo um efeito devastador pelo encadeamento de consequências em monumentos e museus adjacentes".

Consideram "inaceitável o desperdício de verbas tão elevadas na construção de um novo museu que ninguém quer" e acusam os seus promotores de serem os "directos beneficiários financeiros" de tal empreitada.

O Projecto do novo Museu dos Coches, adiantam, "poder vir a ter efeitos altamente perversos na Cordoaria Nacional, classificada ela própria como monumento nacional, e no Museu Nacional de Arqueologia, que remotamente se admite transferir para esse local".

Por todas estas razões, a PP-CULT e o Fórum Cidadania LX lançam "um apelo urgente a todos os cidadãos de boa vontade para que se mobilizem contra a política do camartelo à solta no país", garantido que, depois de "ultrapassada a presente crise e garantida a tranquilidade e boa fé de todos os intervenientes", convocarão uma jornada de reflexão e debate subordinada ao título "Política Museológica Nacional: como se fazem e desfazem museus".