Siga-nos

Perfil

Expresso

Atualidade / Arquivo

Novo CD dos Deolinda com ainda mais sátira (vídeo)

Os Deolinda estão de volta com "Dois selos e um carimbo", com novas canções em que se acentua o humor e a sátira, depois do sucesso de "Canção ao lado". (Veja vídeos no final do texto)

Os Deolinda estão de volta com novas canções em que se acentua o humor, a sátira, e também o sonho, depois do sucesso de "Canção ao lado".     O novo álbum, "Dois selos e um carimbo", recupera três temas que a banda já tocava nos palcos - "Quando janto em restaurantes", "Entre Alvalade e as Portas de Benfica" e "Fado Notário" - sendo "um reforço daquilo que é a sonoridade dos Deolinda", disse à Lusa, a vocalista da banda, Ana Bacalhau.   Os Deolinda são os irmãos Pedro da Silva Martins, Luís Martins, a sua prima Ana Bacalhau (ex-Lupanar) e o amigo José Pedro Leitão.     Falam todos com grande entusiasmo e ao mesmo tempo, a frase de um é completada por outro e retomada por um terceiro. O grupo entende-se, partilha conceitos e ideais.     "A química é grande entre nós, relacionamo-nos bem, e estamos todos na mesma onda", justificam entre animadas gargalhadas.  

14 novos temas 

"Dois selos e um carimbo" integra 14 temas, alguns que estavam "no estaleiro", e é editado na segunda-feira pela EMI Music Portugal.   

"Um novo disco é um desafio e decidimos aceitar outro desafio que foi a mudança de editora", disse Ana Bacalhau.     "Este segundo álbum pedia um reforço daquilo é a sonoridade de 'Canção ao lado' [CD de estreia]. Mudar seria não ter certeza daquilo que somos enquanto grupo, enquanto som e este disco sela a nossa a identidade", sublinhou Ana Bacalhau.     Luís Martins acrescentou: "Havia a necessidade de explorar as potencialidades do grupo até limite em termos de trabalho criativo, mas certamente, haverá muito que fazer".     Pedro Silva Martins, autor das letras da banda, referiu por seu turno: "Esta é uma sonoridade que pretendemos que chegue a muita gente, até no estrangeiro, mas que tenha um cunho próprio".     "Queremos que as canções sejam referenciais a uma cidade, a um país e a um grupo. Essa assinatura importa-nos muito", realçou.  

Apresentação no dia 22 nos jardins do Palácio de Belém 

Desde a saída de "Canção ao lado" em 2008, a banda fez mais de 200 concertos em Portugal e no estrangeiro. A agenda de apresentação de "Dois selos e um carimbo" começa dia 22 em Lisboa, nos jardins do Palácio de Belém e até julho estão previstos 20 espetáculos em Portugal, Bulgária e Itália.     Referindo-se às novas canções, José Pedro Leitão afirmou: "Todas nos satisfazem, até algumas que tínhamos posto de lado no álbum anterior porque os arranjos não nos agradavam, foram aqui retomadas".     O músico salientou que "se escutarmos, todas são diferentes nos tratamentos instrumentais, entre si e relativamente às do álbum anterior".   As canções - desvendaram - partem de uma melodia trauteada pelo Pedro da Silva Martins. "A melodia está logo a dizer que tipo de canção vai ser, e a temática que quer", explicou Silva Martins e Ana Bacalhau.     Depois vêm os arranjos que, se não são do agrado do grupo, "pomos de lado e deixamos no estaleiro", disse João Pedro Leitão.  

"Um contra o outro" é o primeiro single 

"Um contra o outro" é o primeiro single do álbum que inclui ainda, entre outros, "Se uma onda invertesse a marcha", "Não tenho mais razões", "Sem noção", "A problemática colocação de um mastro" ou "Patinho de borracha".   Pedro da Silva Martins escreve propositadamente para a voz de Ana Bacalhau, o que a cantora afirmou ser "uma felicidade e um privilégio".     Para desenhar a capa do álbum o grupo convidou o cartoonista João Fazenda.   O grupo afirmou que "a Deolinda está mais urbana, atrevida, e com um humor mais corrosivo, mas não é cínica e sonha. Neste álbum trabalha mais sobre o real e extrapola-o", disseram Ana Bacalhau e Luís Martins.     *** Este texto foi escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico*** 

Clique para ler a Nota da Direcção do Expresso sobre o novo Acordo Ortográfico.

Deolinda falam sobre o novo CD: