Siga-nos

Perfil

Expresso

Atualidade / Arquivo

Noruega: suspeito diz que agiu sozinho (vídeo)

Momento da chegada das forças especiais norueguesas à ilha de Utoeya

Jan Bjerkeli/Reuters

Anders Behring Breivik, suspeito do duplo atentado que abalou a Noruega, confessou à polícia que agiu sozinho. Leia o manifesto e veja o vídeo deixados por Breivik.

O suspeito dos dois ataques sangrentos que levaram à morte de pelo menos 92 pessoas na Noruega confessou hoje à polícia que agiu sozinho.

Na sexta-feira, a Noruega foi abalada com dois ataques, um à bomba em Oslo e um a tiro na ilha vizinha de Utoeya num acampamento de jovens, que causaram a morte a pelo menos 92 pessoas e ferimentos em 97.

A polícia deteve um norueguês de 32 anos, identificado como Anders Behring Breivik, que já confessou a autoria dos ataques, considerando que foram "cruéis", mas necessários.

Anders Behring Breivik, 32 anos, está a ser interrogado pela polícia norueguesa que tenta apurar se os disparos na ilha de Utoeya foram perpetrados apenas por um ou por vários atiradores.

Segundo um responsável da polícia de Oslo, o suspeito garantiu hoje que agiu sozinho.

"Durante os interrogatórios, disse que era único", declarou o responsável policial Sveinung Sponheim em conferência de imprensa, adiantando que as autoridades vão continuar a investigar tendo em conta que alguns sobreviventes indiciam a possibilidade de o ataque na ilha ter sido realizado com um segundo atirador.

No dia do ataque, Anders Behring Breivik publicou na internet um manifesto de 1518 páginas a descrever a preparação dos ataques (leia mais abaixo), juntamente com um vídeo (veja mais abaixo).

92 mortos, 97 feridos e vários desaparecidos

Noventa e dois mortos, 97 feridos e um número indeterminado de desaparecidos é o último balanço dos dois ataques sexta-feira na Noruega, um à bomba em Oslo e um a tiro numa ilha próxima, anunciou hoje a polícia.

Na sexta-feira, a Noruega foi abalada por dois ataques, um à bomba em Oslo e um a tiro na ilha vizinha de Utoeya num acampamento de jovens.

A polícia deteve um norueguês de 32 anos, identificado como Anders Behring Breivik, que já confessou a autoria dos ataques, considerando que foram "cruéis, mas necessários".

Segundo o comissário da polícia, Sveinung Sponheim, 67 pessoas tiveram de receber cuidados médicos na sequência do tiroteio na ilha e outros 30 depois da explosão de uma bomba de forte potência perto da sede do governo em Oslo, no bairro dos ministérios.

O comissário adiantou que há ainda um número indeterminado de desaparecidos quer no bairro dos ministérios quer na ilha Utoeya.

Entretanto, a familia real e o primeiro-ministro noruegueses participam hoje numa missa na catedral de Oslo em homenagem às vítimas.

Leia o manifesto publicado por Anders Behring Breivik no dia dos ataques:

Veja o vídeo publicado por Anders Behring Breivik no dia dos ataques: Veja vídeo SIC sobre Anders Behring Breivik: Veja vídeo SIC sobre o luto da Noruega: