Expresso

Siga-nos

Perfil

Perfil

Atualidade / Arquivo

Mário Soares diz que PS deve romper com a troika

  • 333

Antigo Presidente da República diz que a obrigação de cumprir o acordo com a troika chegou ao fim e que o socialista François Hollande pode levar à mudança na Europa.

O fundador do PS e antigo Presidente da República, Mário Soares, defendeu em entrevista ao jornal "i" que é tempo de o PS romper o acordo com a troika, uma vez que austeridade só cria "recessão e desemprego."

Segundo Mário Soares, o PS foi obrigado a cumprir o acordo na altura, porque foi assinado por José Sócrates, mas neste momento já não faz sentido. "Agora que está toda a gente a falar outra linguagem, porque é que o PS deve continuar a ser fiel ao acordo? (...) (O acordo) Pode ir ao ar. Se não for pelo PS, poderá ser pela própria troika que vai ao ar", disse o fundador do PS.

Mário Soares sublinhou ainda que a divisão no seio da troika deverá levar ao fim da atual austeridade.

Alternativa à austeridade

"A troika está dividida. O FMI tem uma posição, o Banco Central Europeu tem outra. Esta mudança vai avolumar a necessidade de se entenderem uns com os outros, e acabarem com a austeridade nos termos drásticos que a exigem", defende na entrevista.

O ex-Presidente da República diz ainda acreditar que François Hollande poderá mudar a situação europeia, até porque os líderes europeus já perceberam que a austeridade por si só não leva a lugar algum.

"Os dirigentes europeus, quase todos já perceberam que reduzir a União Europeia à austeridade e aos equilíbrios financeiros para favorecer os mercados usurários e sem ter em conta a recessão económica e o desemprego avassalador que está a crescer implica que a Europa vai de mal a pior", acrescenta.

Questionado sobre um eventual cenário de eleições a curto prazo, Mário Soares diz não acreditar esperar-se até 2015, embora sublinhe que o PS só terá benefícios em continuar de fora mais tempo.

Recuperar lugar da esquerda europeia

Também hoje, Mário Soares defende num artigo de opinião publicado no "Diário de Notícias" que a esquerda europeia deverá saber aproveitar a crise para resgatar a sua posição do passado. 

"Não sou profeta. Mas espero que a esquerda europeia saiba aproveitar a oportunidade que a crise global, paradoxalmente, lhe oferece, para se refundar (...) e e, em diálogo estreito com o movimento sindical, readquirir, o lugar que teve no ano passado, nos Governos europeus que, infelizmente, para o futuro europeu, tem vindo a perder", escreve.

O fundador do PS afirma ainda que esta é a oportunidade de os socialistas encontrarem uma alternativa à austeridade para sair da atual crise. "É, por isso, que a família socialista - se quiser subsistir ela própria - tem de aproveitar a Oposição em que se encontra, para definir, com clareza , a alternativa que se impõe à austeridade que nos livrará da crise e que pode renovar a sociedade de bem estar", defende Mário Soares.

"Não há dinheiro? Há sempre, desde que haja vontade política para o arranjar", conclui.